> > >

Pesquisar este blog

quinta-feira, 19 de maio de 2016

CONTINUAÇÃO DA 2.ª PÁGINA: av(NUVEM BRANCA-PREFÁCIO) a ba(SACRAMENTO)


avNUVEM BRANCA - PREFÁCIO e INTRODUÇÃO
:
 Prefácio por Ellen G. White"'Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.'(Êxo. 20:16) Falar falsamente em qualquer assunto, qualquer tentativaou propósito de enganar o semelhante aqui se incluem. Uma intenção de enganar é o que constitui falsidade. ... Todo exagero intencional, todo indício ou insinuação calculados para transmitir uma impressão errônea ou exagerada, mesmo a declaração de fatos de molde a enganar, é falsidade." - Patriarcas e Profetas, p. 309."Ele [Jesus] ensina que a verdade exata devia ser a lei do falar. 'Seja o teu falar, Sim, sim; Não, não; porque o que passa disso é de procedência maligna' [Mat. 5:37]. Essas palavras condenam ... as falsidades no comércio que se pratica na sociedade moderna ... Ensinam que ninguém que tente parecer o que não é, ou cujas palavras não transmitem o real sentimento do coração, pode ser chamados veraz." - O Maior Discurso de Cristo, p. 68 IntroduçãoRecordo-me que, quando garoto, via minha mãe ativamente martelando as teclas de sua máquina de escrever. De vez em quando, detinha-se e apanhava um pequeno frasco contendo um líquido branco pastoso. Cuidadosamente, pintava com o líquido branco a palavra que havia escrito errado, e a palavra desaparecia sob a brancura como que por arte de magia - como se nunca houvesse existido. Para uma criança pequena, isso era fascinante.Tendo crescido num lar adventista do sétimo dia de segunda geração, e tendo sido educado em escolas adventistas por dezesseis anos, fui completamente instruído sobre a vida e ensinos da profetisa adventista, Ellen G. White. Quando meus professores me narravam as visões e as milagrosas circunstâncias da vida dela, ficava muito admirado. Li a história de sua vida e convenci-me de que essa pequena senhora certamente devia ser profetisa de Deus. O que não percebia é que só estavam me contando parte da história. Como perceberá, trechos críticos da história de sua vida haviam sido "branqueados" por seguidores bem intencionados. Os fatos históricos que estes seguidores decidiram excluir de seus relatos eram ocorrências que não se encaixavam bem no quadro dela como profetisa da igreja remanescente do final do tempo, que estavam buscando pintar.O propósito deste livro é eliminar o brilhante exterior pintado pelos historiadores adventistas e ter uma visão nítida da verdadeira Ellen White - a Ellen White que seus amigos e associados conheceram. Surpeender-se-á de ver a Sra. White estabelecer datas para o regresso de Cristo - depois do Grande Desapontamento de 1844! Ficará perturbado ao ver a Sra. White em visão dizer a outros adventistas que a porta da salvação havia se fechado para sempre para os pecadores. Contemplará o escandaloso fanatismo que se apoderou das primeiras reuniões nas quais a Sra. White profetizou. Ficará assombrado ao inteirar-se de como as porções prejudiciais dos escritos da Sra. White foram eliminadas silenciosamente e os escritos republicados como se os originais jamais houvessem existido. Verá as citações antes e depois de haverem sido "branqueadas", e averiguará quem as retirou, e por quê.Este livro lhe mostrará como os adeptos de Ellen White têm-se ocupado através dos anos em corrigir, eliminar, apagar, e pulir seus escritos. Passaremos em revista os falsos ensinos que desapareceram de seus escritos, e veremos até livros inteiros que já não se publicaram mais e que desapareceram, como que por arte de magia, nas brumas da história - como se nunca tivessem existido.Enquanto lê este livro, pode ser que se sinta incomodado. Pode ser que se sinta furioso. Às vezes poderá até rir-se surpreso. Faça o que fizer, por favor tome o tempo necessário para considerar cuidadosamente a evidência apresentada. A Sra. White declarou que seus escritos "resistiriam ao teste da investigação." 1 Assim, mãos à obra nessa investigação!Dirk Anderson


avONZE PERGUNTAS AOS ADVENTISTAS -

1) - Onde no Novo Testamento Jesus Cristo mandou Guardar o Sábado?

2) - Se vcs adventistas Guardam o sábado, como o fazem os judeus, então me explique professor por que vcs seguem apenas uma lei judaica sem seguir as outras?

3)- Se a Doutrina adventista é conforme o Evangelho , Como o vc explica o fato de que durante 1863 ANOS, DEUS QUE É PERFEITO Permitiu que o seu povo andasse no "erro" guardando o Domingo e não o Sábado?

4) - Por que vc não deixa o Sábado para trás, como Cristo deixou para trás o Seu Sepulcro, e não guarda o Dia do Senhor, o Dia de sua Ressurreição.?

5) - Todos os outros protestantes que guardam o Domingo irão para o Inferno pq estão obedecendo Roma?

6) - Uma vez que a verdade é absoluta , não podendo haver várias verdades como o Sr explica o fato de os Adventistas terem se dividido em 5 ramos? (hoje apenas os do sétimo dia têm uma importância maior)

7) - Como o Professor explica o fato que existe uma nova Seita dos Adventistas a qual concorda com o fato de que você deve guardar o dia em que o Senhor ressuscitou dos mortos ?OBS: "pelos cálculos bíblicos", desta seita da seita, esse dia foi um Sábado e não um Domingo

8) - Uma vez que os Adventistas descendem diretamente do Protestantismo, porque que a grande maioria das seitas protestantes não consideram os Adventistas Cristãos ?

9) - Como vc explica o fato de que William Miller precursor dos Adventistas, usando a Bíblia fixou a Data de 22 de Outubro de 1844 para a vinda de Cristo à terra ?

10) - Vc Como "iluminado" Adventista poderia nos adiantar a Próxima vinda de Cristo à Terra?

11) - Por favor me diga porque a Bíblia teria precisado de 1863 anos para ser entendida corretamente, se ela é teoricamente algo que qualquer um pode ler e entender?

avOPUS DEI - DOCUMENTO FALSO - ahhhhhhhh!!!!!!!Esta mensagem não passa de pura sutileza. Este texto está muito parecido de um texto que já conheço, publicado no livro o Retorno da Glória, de Randy Maxweel. Parece-me que este texto não passa de pura paráfrase criados pelos adventistas.com. "Acautelai-vos dos maus profetas"... (forista WAGNER)

avPORTA FECHADA - "E saindo elas [as virgens insensatas] para comprar, chegou o noivo, e as que estavam apercebidas entraram com ele para as bodas; e fechou-se a porta!" Mat. 25:10.Ensinavam que o versículo anterior se cumpriu em 22 de outubro de 1844, quando Cristo se levantou no santuário celestial e passou do Lugar Santo ao Lugar Santíssimo. Ao fazê-lo, Cristo fechou a porta da salvação para todos, exceto para "as virgens prudentes," os crentes adventistas que haviam participado do movimento de Guilherme Miller de 1844. Criam que Jesus agora estava "encerrado" com seu povo especial, preparando-o e purificando-o por meio de uma série de provas e tribulações para que fosse digno de receber o Seu reino. Criam que, desde 22 de outubro de 1844, Cristo estava ministrando só a Israel – os crentes adventistas. Ensinavam que Cristo estava provando Seus filhos sobre certos pontos da verdade, como o sábado, e que Sua obra em favor da salvação dos perdidos havia terminado.

avRACISMO - 

♥ღ εïз Re - vivo por Jesus :) e você?: - ... As pessoas deveriam ter mais cuidado ao vir para a internet levantar falsos testemunhos. Lamentável, além de transgredirem o segundo e o quarto Mandamento da Lei de Deus, transgridem também o nono Mandamento. Isso é pecado (1 João 3:4)... 
================================



Ao contemplar a foto exibida, longe de nós julgar arbitrariamente, a partir dela, pensando tratar-se de uma reunião racista. Creio que não, se contemplarmos os semblantes felizes e alegres dos participantes posicionadas em duas alas separadas, branco à direita dos negros e os negros à esquerda dos brancos (chega a lembrar-nos a separação entre ovelhas e cabritos no juízo final).

Não obstante, vendo-a, é-nos impossível não considerar a opinião da profetisa adventista Ellen Gould White relativamente ao casamento entre brancos e negros pondo-se vivamente contra. Talvez a cor da pele lhe afigurasse de suma importância, ela, que até pelo nome, era branca (White). Suas palavras:

"Mas há uma objeção ao casamento de brancos com negros. Todos devem considerar que não têm o direito de trazer à sua prole aquilo que a coloca em desvantagem; não têm o direito de lhe dar como patrimônio hereditário uma condição que o sujeitaria a uma vida de humilhação. Os filhos desses casamentos mistos tem um sentimento de amargura para com os pais que lhes deram essa herança para toda a vida. Por essa razão, caso não houvesse outras, não deveria haver casamentos entre branco e negros" (Manuscrito 7, 1896)

"Nenhuma animação [estímulo] deve ser dada a casamentos desse espécie entre o nosso povo... pois o Senhor não está dirigindo nessa direção" (Mensagens Escolhidas, Vol. 2, Pgs. 343-344)

Por tais afirmações, além de se manifestar contra, diz também que tal é o pensamento de Deus.

Na opinião da profetisa máxima dos adventistas, sem qualquer sombra de dúvida o negro é absolutamente inferior ao branco e deve se conformar em sua condição:

"As pessoas de cor não devem pressionar para serem colocadas em igualdade com os brancos" (Testemonies for the Church - IX - Pg. 214 - § 3).

Resumindo, a partir de seus escritos, quem é negro:

1. Está em desvantagem com relação ao branco;
2. Carrega um patrimônio hereditário inferior;
3. Vive uma vida de humilhação;
4. Vive amargurado por ser negro;
5. Está proibido de se relacionar com um parceiro branco;
6. É incapaz de liderar.

Diga-nos, caríssimo "♥ღ εïз Re", se, nesta questão de racismo, a Igreja Adventista não está em pé de igualdade com a Igreja dos Santos dos últimos dias



ATÉ AQUI CONFERIDO COM MEUS REGISTROS



ba - BATISMO, BATIZAR

baASPERSÃO - Na Bíblia n tem nada que diga de Batismo de asperção...

NABUCODONOZOR
Caríssimo, a própria palavra Batismo vem do grego e significa exatamente ASPERGIR. Tomo esta informação de um site presbiteriano (clique e confira):  "... no grego clássico este termos significava “imergir”, todavia, no grego do Novo Testamento, o Koinê, os termos nunca são empregados com esse sentido de imergir: Batizar nem sempre é imergir: Cristo não se "batizava" (não se aspergia) antes de comer - Lucas 11.38 -, “ἐβαπτίσθη ” (Ebaptisthê) "καὶ ἐγένετο ἐν ἐκείναις ταῖς ἡμέραις ἦλθεν ἰησοῦς ἀπὸ ναζαρὲτ τῆς γαλιλαίας καὶ ἐβαπτίσθη εἰς τὸν ἰορδάνην ὑπὸ ἰωάννου. (São Marcos 1, 9); Marcos diz em 7.4 “quando voltam da praça, não comem sem se aspergirem - "καὶ ἀπ᾽ ἀγορᾶς ἐὰν μὴ βαπτίσωνται οὐκ ἐσθίουσιν, καὶ ἄλλα πολλά ἐστιν ἃ παρέλαβον κρατεῖν, βαπτισμοὺς ποτηρίων καὶ ξεστῶν καὶ χαλκίων [καὶ κλινῶν] "; e há outras cousas que receberam para observar, como a lavagem (βαπτισμοὺς  - Baptismus) de copos, jarros e vasos de metal e camas”. Como explicar Dn. 4.25? Na versão grega do Antigo Testamento (Conhecida como Septuaginta) diz que “Nabucodonozor foi "batizado" no Orvalho do Céu. Nenhuma chance para uma submersão!"

baCATACUMBAS - DESMASCARANDO O MÁRIO NETQuem é esse Mario net de "pastor", para querer aqui com sua ignorância, contradizer a ciência e os arqueólogos??? [Diz que as imagens das catacumbas foram produzidas por pagãos]Será que ele está querendo contradizer até o livro abaixo da Assembléia de Deus, do desesperado José???Veja o que diz o livro:<<>>Detalhe do livro da Casa Publicadora das Assembléias de Deus:Autor: Benjamin ScottEditora: CPADEdição: 21º EdiçãoPáginas: 184Ano: 2002ISBN: 85-263-0364-3Acabamento: BrochuraFormato: 14 x 21 cm CAI A FARSA!!!!!

baCRIANÇAS - ARREPENDIMENTO VS. BATISMO - Monica Adriana:-1) - Ritual eh um cerimonial religioso, e no caso da ICAR eh cheio de muitas pompas! (...) 2) - Vc quer comparar o batismo heretico de criancinhas q eh praticado pela Icar com o Batismo de um adulto, crente em Jesus Cristo ? Impossible!3) - Ninguem esta em Cristo ou na Nova Alianca via batismo! Eh pela feh em Jesus Cristo e arrependimento dos pecdos!Heb 8:7-13!A agua q nos lava eh o Sangue de Jesus Cristo!-

RESPOSTAS: 

1 - POMPAS -Afinal, com ou sem pompas, aconteceu ou não um ritual na Última Ceia? Será, porventura, que o fato de uma cerimônia religiosa ostentar algum aparato suntuoso condizente com a dignidade do que se está celebrando, anula a validade desta celebração? Em que lugar da Bíblia é proibida a pompa na celebração dos mistérios divinos?

2 – BATISMO DE CRIANÇAS – "Quem não crer será condenado". Você acredita que uma criançinha será condenada "por não crer? A fé é produto da mente humana ou é dom de Deus? Se é dom, não poderá ser infuso a uma criancinha que ainda é incapaz de entender? Como entender isto à luz das Escrituras que afirmam:"Porque o marido descrente é santificado pela mulher e a mulher descrente é santificada pelo marido; doutra sorte os vossos filhos seriam imundos: Mas agora são santos", isto é, SÃO CRENTES junto, com os pais (1Cor 7,14)?

3 – NECESSIDADE DO BATISMO – "Aquele que crer e for batizado será salvo" (Mc 16, 16). À luz do que nos fala aqui o Espírito Santo como se explica que alguém poderá ser salvo sem o batismo?Para terminar, uma historinha:- Numa localidade na roça:Um padre batizando 40 crianças em frente a sua Igreja. Um pastor estava olhando do lado oposto, com a Bíblia, e disse a um jovem: Depois do batismo, "Fala ao padre: se encontrar na Bíblia onde está escrito de batizar as crianças, vou lhe dar um milhão." O padre mandou de volta o jovem: "Se o pastor me encontrar na Bíblia onde está escrito que só se deve batizar adultos, dou-lhe 10 milhões.

baCRIANÇAS - HIPÓLITO DE ROMA - "Onde não há escassez de água, a água corrente deve passar pela fonte batismal ou ser derramada por cima; mas se a água é escassa, seja em situação constante, seja em determinadas ocasiões, então se use qualquer água disponível. Dispa-se-lhes de suas roupas, batize-se primeiro as crianças, e se elas podem falar, deixe-as falar. Se não, que seus pais ou outros parentes falem por elas (Hipólito, ano 215 - Tradição Apostólica 21,16).


baCRIANÇAS - IGREJAS PROTESTANTES QUE BATIZAM - presbiterianos luteranos calvinistas Ou seja os mais tradicionais, os patriarcas do protestantismo, que hoje vive a reforma da reforma da reforma da reforma.

baCRIANÇAS - JOÃO BATISTA - "...desde o ventre de sua mãe será cheio do Espírito Santo" (São Lucas 1,15)

baCRIANÇAS - PATRÍSTICA - CIPRIANO - "Do batismo e da graça não devemos afastar as crianças ". (São Cipriano em 258 dC. - Carta a Fido )

baCRIANÇAS - PATRÍSTICA - IRENEU - "Jesus veio salvar todos os que através dele nasceram de novo de Deus: os recém-nascidos, os meninos, os jovens e os velhos ". (Ireneu - 180dC. Adv.Haer. livro 2, 22.4).

baCRIANÇAS - PATRÍSTICA - ORÍGENES - "A igreja recebeu dos Apóstolos a tradição de dar batismo também aos recém-nascidos". (Orígenes - 185-255 dC. Epist. ad Rom. Livro 5,9).

baCRIANÇAS - RAZÕES TEOLÓGICAS - A razão teológica da prática do Batismo de crianças é a seguinte: o sacramento não é mera matrícula numa associação, mas é um renascer, um receber a vida nova dos filhos de Deus, que tem pleno sentido mesmo que a criança ignore o que lhe acontece; esse renascer para a vida eterna é que dá pleno sentido ao primeiro nascimento (a partir dos pais), pois torna a criança herdeira do Sumo Bem.
O fato de que as crianças ainda não podem professar a fé pessoalmente não é obstáculo, pois a Igreja batiza os pequeninos na fé da própria Igreja, isto é, professando a fé em nome dos pequeninos. Esta doutrina se acha expressa no Ritual do Batismo, quando o celebrante pede aos pais e padrinhos que professem "a fé da Igreja, na qual as crianças são batizadas".

baCRIANÇAS - RESPOSTAS AOS PROTESTANTES - A Igreja Católica o faz, lembrando que as crianças dos Judeus eram consagradas a Deus, sobretudo os primogênitos, pela circuncisão; e que Jesus, que não precisava ser batizado, foi circuncidado como criança segundo o rito Judaico e depois batizado por João como adulto. Ora, se o menino puro e santo que era Jesus, e seus pais aceita o rito, que no Judaísmo equivalia ao batismo dos cristãos, por que negar às crianças esse sinal de entrega a Deus?O batismo das crianças é então uma circuncisão nova, que agrega ao novo povo de Deus (Colossences 2,11) (Efésios 2,11-22) unido à páscoa de Cristo por esforços e por uma fidelidade generosa, o batizado se prepara para entrar no seu reino glorioso (Colossences 1,12) e na posse da celeste herança da qual tem as primícias pelo dom do espírito (2 Cor 1,22) (Efésios 1,14).Que é o Batismo Cristão?É um sacramento da nova lei, que Jesus Cristo instituiu para nos fazer cristãos, filhos de Deus e da sua igreja.Como é que o Batismo produz esses efeitos?Pela força sobrenatural que Jesus Cristo lhe deu de produzir um verdadeiro "Renascimento" ou "Regeneração Espiritual" (João 3,5) (Tito 3,5-7), que perdoa o pecado original e outros, se houver, comunicando à alma a graça divina e santificante (Efésios 5,26-27).Então há pecado original?Sim. Além dos pecados pessoais que cada um comete após chegar ao uso da razão, é o que afirma a Bíblia (Romanos 5,19) (Romanos 5,12-14).Então o pecado original atinge a todos?Sim, exceto a virgem Maria por sua invencibilidade pelo maligno (Gêneses 3,15) e por sua plenitude da graça (Lucas 1,28) todos nós contraímos o pecado original (Romanos 5,12-14) E isso desde o primeiro momento da nossa concepção (Salmo 50,7) (Romanos 5,14).Então o Batismo é necessário para todos?Sim. Foi o que Jesus afirmou: "quem não renascer pela água e pelo Espírito Santo, não entrará no reino dos céus" (João 3,5). Quem não excluí ninguém, não põe limite de idade.E as crianças?As crianças sem o uso da razão, não podendo opor qualquer obstáculo à graça, estão na melhor das disposições espirituais para receber o batismo e o seu efeito a graça santificante.Não se deve esperar que cresçam para pedir o batismo?Não. Como não se espera que peçam o alimento. Assim apenas nascidas para vida natural as crianças recebem o batismo pelo qual renascem para a vida sobre natural da graça. É pecado priva-las desse grande benefício. É impedi-las de irem a Jesus (Marcos 10,14).Como explicar a frase: "Quem crer e for batizado será salvo, quem não crer será condenado" (Marcos 16,16).Nesta passagem, os protestantes, na verdade só observam a primeira parte. Veja bem: Quando eles falam que a criança não crê, porque não entende nada, deveriam também considerar a segunda parte do texto: Quem não crer será condenado! Se for por esse raciocínio, todas as crianças serão condenadas, pois elas não tem nenhuma condição de crer. Portanto mais uma vez, eles se contradizem, nesta passagem.A criança não crê. De que forma, então poderá ser batizada? Vejamos: A fé não é produto da mente humana, de gente grande; "A fé é dom de Deus" (Efésios 2,8). E, sendo a fé dom de Deus, não é somente individual, mas também comunitária. A fé manifesta também, na família, no lar, onde a criança participa da fé paternal e material, como participa do seu afeto, do seu carinho e do seu amor.Ora, essa participação da fé já é um pressuposto para que a criança venha receber validamente o batismo. Vejamos: "Porque o marido descrente é santificado pela mulher" " E a mulher descrente é santificada pelo marido; doutra sorte os vossos filhos seriam imundos: Mas agora são santos", isto é, são crentes junto, com os pais (1Cor 7,14).Definitivamente, os pais que vivem a fé apóiam Biblicamente os filhos para a válida recepção do batismo.Em (1Cor 10,2) Paulo mostra que todos os Israelitas foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar (como símbolo do batismo Cristão). Sabemos porém que este batismo não aconteceu por imersão, pois os Israelitas, junto com todas as crianças passaram o mar vermelho a pé enxuto, tocando apenas a areia úmida do mar.E o Batismo nos rios e por imersão? Que pensar?É outro erro julgar que o Batismo tem que ser nos rios, e por imersão. Ao afirmarem tal exclusividade confundem o Batismo instituído por Cristo – que é Sacramento de regeneração espiritual – com o de João Batista, que era mero rito para excitar à penitência ou conversão (Mateus 3,11) (Atos 11,16) (João 1,29-34).Esse modo de pensar e de agir é pois, contraditório:1.º porque a Bíblia não afirma que João Batista imergia (mergulhar n’água) as pessoas. Muito menos o fez com Jesus Cristo, a Quem tinha grandíssimo respeito. Além disso, o costume constante dos hebreus era antes o das abluções rituais, isto é, derramar água por cima da pessoa que se purificava (Marcos 7,4) (João 2,6).2.º porque nenhum dos seis casos de batismos cristãos feitos no tempo dos Apóstolos, e registrados na Bíblia, foram feitos em rios.Onde estão na Bíblia esses batismos?Estão narrados nos Atos dos Apóstolos:= o 1.º está em (Atos 2,41) : cerca de três mil pessoas batizadas no dia de Pentecostes em Jerusalém, onde não há rios;= o 2.º está em (Atos 8,36-38) : é o batismo do servo da rainha da Etiópia, em uma fonte na qual havia "alguma água" (no original da Bíblia);= o 3.º está em (Atos 9,11-18) : é o batismo de Saulo no interior de uma casa em Damasco;= o 4.º está em (Atos 10,47) : é o batismo de um grupo de gentios em Cesaréia "com água de batismo";= o 5.º está em (Atos 16,33-35) : é o batismo do carcereiro de Filipos, numa cadeia à meia noite, feito por São Paulo;= o 6.º está em (Atos 19,3-5) : é o batismo de um grupo de ex-discípulos de João Batista em Éfeso, em que, como sempre, não há qualquer menção de rio.Portanto, a maneira mais conforme à Bíblia, de se administrar o Batismo Cristão, é a de ablução (derramar água na pessoa a quem se batiza).A demais, como se batizariam os enfermos? Ter-se-ia que providenciar tanques térmicos? Ou deixar-se-iam as pessoas morrerem sem o Batismo que, no entanto, é necessário para a salvação? Portanto, além das razões bíblicas e da prática constante da Igreja, quantos e sérios problemas na ordem prática?Se quisermos celebrar o batismo por imersão, o ritual do batismo dá toda explicação de como fazer, embora, a quantidade de água comum, mergulhando o indivíduo no rio ou derramando água sobre sua cabeça, não altera em nada o batismo, pois a função da água, do líquido usado é, biblicamente, simbolizar a água viva, Jesus Cristo (João 4,14). Purificando a pessoa.Há igrejas que não batizam as crianças porque, dizem eles, é contrário a Bíblia. Além disso, dizem que para ser batizados é preciso se arrepender dos pecados e as crianças não tem condições de fazer isso.- Vejamos de agora em diante que o batismo é para todos independente de idade, ler (Mateus 28,19) (João 3,3).- O batismo deverá ser tomado em sintonia com o poder de "ligar e desligar" dado pelo senhor Jesus a Igreja (Mateus 16,19) (Mateus 18,18).- Jesus disse: Ide, pois ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.- Nos atos dos apóstolos se lê que estes batizam famílias inteiras, ora, nas famílias há sempre crianças: Ler: (Atos 16,14-15) (Atos 32-33) (1 Coríntios 1,16) (Atos 9,18-19) (Colossenses 2,11-14).Nestas três vezes em que os apóstolos batizavam, eles o fizeram por infusão e não por imersão, pois não havia nem rios nem riachos, estavam em casa ou no cárcere (Prisão). Ler ainda: (Atos 18,8).No diálogo que Jesus teve com Nicodemos sobre o novo nascimento, por questão de humildade, não falou nada explicitamente sobre a entrega a ele, frisou sim, que é preciso nascer da água (João 4,14), água viva, simbolizada por aquela natural, aplicada no batismo e do espírito (João 3,5).Na Nova e Eterna Aliança "o Batismo substituiu a circuncisão da Antiga Aliança", como rito da entrada para o povo escolhido de Deus. Ora se o próprio Deus ordenou a Abraão circuncidam os meninos já no 8.º dia depois do nascimento, sem exigir deles uma fé adulta e livre escolha, então não seria lógico recusar o Batismo às crianças dos Pais Cristãos, por causa de tais exigências.Orígenes (185 255) escreve: "A igreja recebeu dos apóstolos a tradição de um batismo também aos recém-nascidos". (Epist. Ad. Rom. Livro 5,9). Cipriano em 258 escreve: "Do batismo e da graça não devemos afastar as crianças". (carta a Fido). Seguindo à tradição apostólica, cada homem honesto reconhece que os cristãos dos primeiros séculos conheciam muito bem e observavam a doutrina e as práticas religiosas recebidas dos apóstolos.Ora, se a Igreja Católica, analisando os textos bíblicos que nos revelam: "... Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus." (Romanos 3,23) (Romanos 5,12) (1 Coríntios 15,21-23) ou eis que nasci na culpa, minha mãe recebeu-me no pecado (Salmos 50,7) achou por bem batizar todos, grandes e pequenos, colocando como condição para o batismo dos pequenos a participação na fé familiar de seus pais (1 Coríntios 7,14) (Atos 16,31-33), ela age, mediante Cristo, correta e autorizadamente.- Uma localidade na roça:Um padre batizando 40 crianças em frente a sua Igreja. Um pastor estava olhando do lado oposto, com a Bíblia, e disse a um jovem: Depois do batismo, "Fala ao padre: se encontrar na Bíblia onde está escrito de batizar as crianças, vou lhe dar um milhão." O padre mandou de volta o jovem: "Se o pastor me encontrar na Bíblia onde está escrito que só se deve batizar adultos, dou-lhe 10 milhões.Autor: Jaime Francisco de Moura

baCRIANÇAS OU ADULTOS? - Dom Estêvão Bittencourt - Não poucas pessoas desejariam adiar o Batismo para a idade madura dos candidatos, visto que muitos dos que são batizados em idade infantil não assumem as obrigações decorrentes do Sacramento. Em vista dos debates assim oriundos, a Congregação para a Doutrina da Fé publicou, em nome do Papa João Paulo II, em 20 de outubro de 1980, uma Instrução sobre o Batismo das Crianças, na qual analisa a problemática. Vejamos, a seguir, o conteúdo desse documento.A Sagrada Escritura não se refere explicitamente ao Batismo de crianças. Todavia narra que vários personagens pagãos professaram a fé cristã e se fizeram batizar "com toda a sua casa". Assim o centurião romano Cornélio (At 10,1s.24.44.47s), a negociante Lídia de Filipos (At 16,14s), entre outros.A expressão "casa" (domus, em latim; oikos, em grego) tinha sentido amplo e enfático na antigüidade: designava o chefe de família com todos os seus domésticos, inclusive as crianças (que geralmente não faltavam). Indiretamente, pois, as Escrituras sugerem o Batismo de crianças.Renascer da água e do EspíritoEsta impressão se confirma desde que consideremos que os judeus batizam os filhos pequeninos dos pagãos que abraçassem a fé de Israel. Ademais, Orígenes de Alexandria (+250) e Santo Agostinho (+430) atestam que "o costume de batizar as crianças é tradição recebida dos apóstolos". No próprio Evangelho, aliás, lê-se a palavra incisiva do Senhor: "Quem não renascer da água e do Espírito, não poderá entrar no Reino dos Céus" (Jo 3,5).Esses dizeres sempre foram entendidos em sentido espiritual e aplicados tanto a crianças quanto a adultos. Quando, no século II, aparecem os primeiros testemunhos diretos do Batismo de crianças, nenhum deles o apresentava como inovação. Santo Irineu de Lião (+202) considera óbvia, entre os batizados, a presença de "crianças e pequeninos" ao lado dos jovens e adultos (Contra as Heresias II - 24,4). Sob São Cipriano de Cartago (+258), um sínodo do Norte da África dispôs que se podiam batizar as crianças "já a partir do segundo ou terceiro dia após o nascimento" (Epístola 64 de São Cipriano).Fazendo eco à Sagrada Escritura e à Tradição, os Papas e Concílios intervieram, muitas vezes, para recordar aos cristãos o dever de mandarem batizar os seus filhos pequeninos. Assim o Concílio de Cartago, em 418: "Também os mais pequeninos, que não tenham ainda podido cometer pessoalmente algum pecado, são verdadeiramente batizados para a remissão dos pecados, a fim de que, mediante a regeneração, seja purificado aquilo que eles têm de nascença" (Dz. - Sch., Enquirídio, nº 223).Essa doutrina foi reafirmada por toda a Idade Média. Em 1547, o Concílio de Trento rejeitou a posição dos anabatistas, segundo a qual "era melhor omitir o Batismo das crianças do que as batizar só na fé da Igreja, uma vez que elas ainda não crêem com um ato de fé pessoal" (Op. Cit., nº 1626).O Batismo e o Novo CatecismoAinda recentemente, o Catecismo da Igreja Católica ensina: "Por nascerem com uma natureza humana decaída e manchada pelo pecado original, também as crianças precisam do novo nascimento do Batismo, a fim de serem libertadas do poder das trevas e serem transferidas para o gozo da liberdade dos filhos de Deus, para a qual todos os homens são chamados. A gratuidade pura da graça da salvação é particularmente manifesta no Batismo das crianças. A Igreja e os pais privariam então a criança da graça inestimável de tornar-se filho de Deus, se não lhe conferissem o Batismo pouco depois do nascimento. Os pais cristãos hão de reconhecer que esta prática corresponde também à sua função de alimentar a vida que Deus confiou a eles" (nº 1250).A razão teológica pela qual a Igreja pratica o Batismo de crianças é a seguinte: o Sacramento não é mera matrícula numa associação, mas é um renascer, um receber a vida nova dos filhos de Deus, que tem pleno sentido mesmo que a criança ignore o que lhe acontece; esse renascer para a vida eterna é que dá pleno sentido ao primeiro nascimento (a partir dos pais), pois torna a criança herdeira do Sumo Bem.O fato de que as crianças ainda não podem professar a fé pessoalmente não é obstáculo, pois a Igreja batiza os pequeninos na fé da própria Igreja, isto é, professando a fé em nome dos pequeninos. Esta doutrina se acha expressa no Ritual do Batismo, quando o celebrante pede aos pais e padrinhos que professem "a fé da Igreja, na qual as crianças são batizadas" (nº 256).Santo Agostinho dilata o horizonte do cristão ao escrever: "As crianças são apresentadas para receber a graça espiritual, não tanto por aqueles que as levam nos braços (embora também por eles, se são bons fiéis), mas sobretudo pela sociedade universal dos Santos e dos fiéis... É a Mãe Igreja toda, que está presente nos seus Santos, a agir, pois é ela inteira que os gera a todos e a cada um" (epístola 98,5).A Igreja só não batiza as crianças, quando os pais não o querem ou quando não há garantia alguma de que o batizado será educado na fé católica. Mesmo quando os genitores não vivem como bons católicos a Igreja julga que a criança tem o direito de ser batizada, desde que os próprios pais ou os padrinhos ou a comunidade paroquial se encarreguem de ministrar-lhe a instrução religiosa. A Carta Apostólica Familiaris Consortio, do Santo Padre João Paulo II, pede aos pais católicos que não vivem o matrimônio sacramental, que "eduquem os filhos na fé cristã" (nº 8) - o que implica o dever de mandar batizar os filhos e providenciar a educação religiosa dos mesmos.Como objeção a essa doutrina, levanta-se a seguinte ponderação: o Batismo das crianças constitui um atentado à liberdade das mesmas; impõe-lhes obrigações religiosas que talvez não queiram aceitar em idade juvenil. Daí a conveniência de só se ministrar o Batismo a quem possa assumir livremente os respectivos compromissos.1) É de notar que, no plano natural, os pais fazem, em lugar de seus filhos, opções indispensáveis ao futuro destes: assim o regime de alimentação, a higiene, a educação, a escola... Os pais que se omitissem a tal propósito sob o pretexto de salvaguardar a liberdade da criança, prejudicariam seriamente a prole. Ora, a regeneração batismal vem a ser o bem por excelência que os pais católicos devem proporcionar aos filhos, juntamente com a alimentação e a educação; para quem tem fé, a filiação divina é o mais importante de todos os valores;2) Mesmo que a criança, chegando à adolescência, rejeite os deveres decorrentes de seu Batismo, o mal é então menor do que a omissão do sacramento. Com efeito, o fato de alguém rejeitar a boa educação que recebeu, é dano menos grave do que a omissão de educação por parte dos pais. Observemos ainda que, não obstante as aparências, os gérmens da fé depositados na alma da criança poderão um dia reviver; os pais contribuirão para isso mediante a sua oração e o seu autêntico testemunho de fé.Caso não lhe seja possível batizar, a Igreja confia à criança falecida ao amor de Deus, que é Pai e fonte de misericórdia. A partir de Santo Anselmo (+1109), os teólogos propuseram o limbo como estado de felicidade natural reservada a tais crianças; elas veriam Deus não face a face, como no céu, mas indiretamente, através do espelho das criaturas.A doutrina do limbo não constitui artigo de fé, de modo que se pode crer que Deus tem recursos invisíveis para salvar todas as crianças, mesmo as que morrem sem Batismo; a Igreja ora diariamente por todos os necessitados, e também por tais crianças.Essa observação, porém, não exime os pais do grave dever de levar, quanto antes, os seus filhos à pia batismal, pois, se os sacramentos não obrigam a Deus, obrigam a nós, criaturas.

baEFEITOS - 1º) Remissão de todos os pecados: Original e Atual O Batismo apaga todos os pecados. O pecado original devido pela culpa de nossos primeiros pais. Os pecados atuais devidos por nossas próprias culpas."Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão dos pecados" (Atos 2:38).

2º) Remissão da culpa temporal O Batismo não só apaga os pecados, mas redime também a culpa devida por eles. De tal forma, que não há necessidade de satisfação pelas culpas passadas. O Concílio de Florença diz que se o batizado morrer antes de cometer algum pecado ele irá diretamente para o céu.

3º) Infusão da graça sobrenatural, dos dons do Espírito Santo e das Virtudes O Batismo, possui outro efeito, ele infunde em nossa alma a graça santificante que nos torna filhos adotivos de Deus e nos confere o direito da glória do Céu. Infunde também os dons do Espírito Santo e todas as virtudes.

4º) Confere o direito á graças especiais. Para os adultos, o Batismo confere graças especiais a cada um em particular, para que se possa cumprir os deveres de estado.

5º) Impressão do Caráter na alma Finalmente, o Batismo, uma vez validamente conferido, não mais poderá ser repetido. O Batismo grava em nossa alma uma marca como um sinal indelével que nos diferenciará para sempre de todos quantos não são batizados.

baSACRAMENTO - É um sacramento - Leia-se Mateus 3, 11; 28,19; Marcos 16, 16; João 3,5; Atos 2, 38-41; 8,12; 19,5;22,16; I Coríntios 1, 14-17; João 3,22ss; 4, 1s.  Regenera os ser humano (Eficácia): Romanos 6, 1-14; I Coríntios 12, 13;15;29; Galátas 3,26 s; Tito 3,5; Hebreus 6, 4ss; I Pedro 3,21.
Não foi por imersão, pois não havia rios em Jerusalém e as piscinas estavam nas mãos dos inimigos da Igreja. Leia Atos 2, 40-41.
Batismo de Crianças: 1 Coríntios 1, 16; Atos 10, 44-47; Atos 16, 14-33.  Tudo conforme Atos 2, 38-39 "Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo par a remissão dos vossos pecados, e recebereis o Dom do Espírito Santo.  Pois a promessa é para vós (adultos) e para vossos filhos (crianças)".  Marcos 10, 14: o reino de Deus é das crianças e ninguém entra no reino de Deus a não ser pelo batismo (Jo 3, 3-5).
São Paulo fala também do batismo de crianças em Colossences 2, 11-14 (circuncisão: imagem do batismo).  A circuncisão era realizada no oitavo dia de vida da criança.
Maiores detalhes leia o nosso livro "Em Defesa da Fé".



VOLTAR AO INÍCIO DESTA PÁGINA AV-BA


IR PARA:-^-BA-BI

Nenhum comentário:

.............................CABEÇALHO
------------------------------------------------------------------------------



1) - ANOTAÇÕES APOLOGÉTICAS (27 Páginas)



2) -
MENTIRAS PROTESTANTE (Vai para outro site)



3) - ARTIGOS DIVERSOS



------------------------------------------------------------------------------