> > >

Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de julho de 2008

BA (efeitos) - BI (contradições - Apanhado)


EFEITOS DO BATISMO -  1. Remissão de todos os pecados: Original e Atual O Batismo apaga todos os pecados. O pecado original devido pela culpa de nossos primeiros pais. Os pecados atuais devidos por nossas próprias culpas."Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão dos pecados" (Atos 2:38).
baEFEITOS - 1º) Remissão de todos os pecados: Original e Atual O Batismo apaga todos os pecados. O pecado original devido pela culpa de nossos primeiros pais. Os pecados atuais devidos por nossas próprias culpas."Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão dos pecados" (Atos 2:38).

2º) Remissão da culpa temporal O Batismo não só apaga os pecados, mas redime também a culpa devida por eles. De tal forma, que não há necessidade de satisfação pelas culpas passadas. O Concílio de Florença diz que se o batizado morrer antes de cometer algum pecado ele irá diretamente para o céu.

3º) Infusão da graça sobrenatural, dos dons do Espírito Santo e das Virtudes. O Batismo, possui outro efeito, ele infunde em nossa alma a graça santificante que nos torna filhos adotivos de Deus e nos confere o direito da glória do Céu. Infunde também os dons do Espírito Santo e todas as virtudes.

4º) Confere o direito á graças especiais. Para os adultos, o Batismo confere graças especiais a cada um em particular, para que se possa cumprir os deveres de estado.

5º) Impressão do Caráter na alma Finalmente, o Batismo, uma vez validamente conferido, não mais poderá ser repetido. O Batismo grava em nossa alma uma marca como um sinal indelével que nos diferenciará para sempre de todos quantos não são batizados.


baEFEITOS - UMA SÓ COISA COM CRISTO - "Porque se nos tornamos uma coisa só com ele por uma morte semelhante à sua, seremos uma coisa só com ele também por uma ressurreição semelhante à sua..." (Rm 6,5)



baEFEITOS SEGUNDO O EVANGELHO - PELO BATISMO RECEBEMOS:



(1) PERDÃO DOS PECADOS E



(2) O DOM DO ESPÍRITO SANTO: "Pedro respondeu-lhes: Arrependei-vos, e batizai-vos em nome de Jesus Cristo para a remissão dos vossos pecados e recebereis o dom do Espírito Santo... " (Atos do Apóstolos 2,38);



(3) DÁ A GRAÇA DE TERMOS UMA VIDA NOVA PARA MERECERMOS A RESSURREIÇÃO:

"Ou ignorais que todos nós, que fomos batizados para Cristo Jesus, fomos batizados [para participar da sua] morte? Com ele fomos sepultados pelo batismo, para (participarmos da] morte a fim de que, assim como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim também andemos em novidade de vida" (Romanos 6, 3-4)



(4)INSERE-NOS NO CORPO DE CRISTO QUE É A IGREJA: "... Assim como o corpo, sendo um só, tem muitos membros, e todos os membros do corpo, sendo muitos, são um corpo único, assim também é Cristo. Pois num só ?Espírito, todos nós fomos batizados para sermos um só corpo, e todos, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, havemos bebido do mesmo Espírito" (1Coríntios 12,13-124)



(5) TORNA-NOS FILHOS DE DEUS E NOS REVESTE DE CRISTO:"Todos vós, pois, sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos vós que fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo" (Gálatas 3, 26-27)



baINDISPENSÁVEL PARA A SALVAÇÃO - "Jesus replicou-lhe: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer de novo não poderá ver o Reino de Deus" (São João 3,3)

baINSERÇÃO EM CRISTO - "Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer" (São João 15,5)

baJOÃO BATISTA - "...desde o ventre de sua mãe será cheio do Espírito Santo" (São Lucas 1,15)

baNECESSÁRIO À SALVAÇÃO - "Aquele que crer e for batizado será salvo" (Mc 16, 16) 

baNECESSIDADE DE CRER - "E quem escandalizar a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse lançado ao mar" (Mc 9,42)

"Ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre, e Isabel foi cheia do Espírito Santo. Exclamou ela em alta voz: 'Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre. De onde me provém que me venha visitar a mãe do meu Senhor? Ao chegar-me aos ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria no meu ventre.'" (Lc 1,41-44)

"Contudo, tu me tiraste do ventre; tu me preservaste, estando eu ainda aos seios de minha mãe. Sobre ti fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre da minha mãe." (Sl 22,9-10).

Como vemos, quem não conhece a Bíblia pode acabar crendo nos enganadores.

baPECADOS - APAGA - "Pedro lhes respondeu: Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo" (Atos dos Apóstolos 2,38)

baPURIFICAÇÃO DOS PECADOS - "E agora, por que tardas? Levanta-te. Recebe o batismo e purifica-te dos teus pecados, invocando o seu nome" (Atos dos Apóstolos 22,16)

baRESPOSTAS AOS PROTESTANTES SOBRE O BATISMO DE CRIANÇAS - A Igreja Católica o faz, lembrando que as crianças dos Judeus eram consagradas a Deus, sobretudo os primogênitos, pela circuncisão; e que Jesus, que não precisava ser batizado, foi circuncidado como criança segundo o rito Judaico e depois batizado por João como adulto.    

Ora, se o menino puro e santo que era Jesus, e seus pais aceita o rito, que no Judaísmo equivalia ao batismo dos cristãos, por que negar às crianças esse sinal de entrega a Deus? 

O batismo das crianças é então uma circuncisão nova, que agrega ao novo povo de Deus (Colossences 2,11) (Efésios 2,11-22) unido à páscoa de Cristo por esforços e por uma fidelidade generosa, o batizado se prepara para entrar no seu reino glorioso (Colossences 1,12) e na posse da celeste herança da qual tem as primícias pelo dom do espírito (2 Cor 1,22) (Efésios 1,14). 

Que é o Batismo Cristão? 

É um sacramento da nova lei, que Jesus Cristo instituiu para nos fazer cristãos, filhos de Deus e da sua igreja. Como é que o Batismo produz esses efeitos? Pela força sobrenatural que Jesus Cristo lhe deu de produzir um verdadeiro "Renascimento" ou "Regeneração Espiritual" (João 3,5) (Tito 3,5-7), que perdoa o pecado original e outros, se houver, comunicando à alma a graça divina e santificante (Efésios 5,26-27). 

Então há pecado original? 

Sim. Além dos pecados pessoais que cada um comete após chegar ao uso da razão, é o que afirma a Bíblia (Romanos 5,19) (Romanos 5,12-14). 

Então o pecado original atinge a todos? 

Sim, exceto a virgem Maria por sua invencibilidade pelo maligno (Gêneses 3,15) e por sua plenitude da graça (Lucas 1,28) todos nós contraímos o pecado original (Romanos 5,12-14). E isso desde o primeiro momento da nossa concepção (Salmo 50,7) (Romanos 5,14). 

Então o Batismo é necessário para todos?

Sim. Foi o que Jesus afirmou: "quem não renascer pela água e pelo Espírito Santo, não entrará no reino dos céus" (João 3,5). Quem não exclui ninguém, não põe limite de idade.

E as crianças?

As crianças sem o uso da razão, não podendo opor qualquer obstáculo à graça, estão na melhor das disposições espirituais para receber o batismo e o seu efeito a graça santificante. 

Não se deve esperar que cresçam para pedir o batismo?

Não. Como não se espera que peçam o alimento. Assim apenas nascidas para vida natural as crianças recebem o batismo pelo qual renascem para a vida sobre natural da graça. É pecado privá-las desse grande benefício. É impedi-las de irem a Jesus (Marcos 10,14).

Como explicar a frase: "Quem crer e for batizado será salvo, quem não crer será condenado" (Marcos 16,16)?

Nesta passagem, os protestantes, na verdade só observam a primeira parte. Veja bem: Quando eles falam que a criança não crê, porque não entende nada, deveriam também considerar a segunda parte do texto: Quem não crer será condenado! Se for por esse raciocínio, todas as crianças serão condenadas, pois elas não têm nenhuma condição de crer. Portanto mais uma vez, eles se contradizem, nesta passagem. 

A criança não crê. De que forma, então poderá ser batizada? 

Vejamos: A fé não é produto da mente humana, de gente grande; "A fé é dom de Deus" (Efésios 2,8). E, sendo a fé dom de Deus, não é somente individual, mas também comunitária. A fé manifesta também, na família, no lar, onde a criança participa da fé paternal e material, como participa do seu afeto, do seu carinho e do seu amor. Ora, essa participação da fé já é um pressuposto para que a criança venha receber validamente o batismo. Vejamos: "Porque o marido descrente é santificado pela mulher" "E a mulher descrente é santificada pelo marido; doutra sorte os vossos filhos seriam imundos: Mas agora são santos", isto é, são crentes junto, com os pais (1Cor 7,14). Definitivamente, os pais que vivem a fé apoiam biblicamente os filhos para a válida recepção do batismo. Em (1Cor 10,2) Paulo mostra que todos os Israelitas foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar (como símbolo do batismo Cristão). Sabemos porém que este batismo não aconteceu por imersão, pois os Israelitas, junto com todas as crianças passaram o mar vermelho a pé enxuto, tocando apenas a areia úmida do mar. 

E o Batismo nos rios e por imersão? Que pensar?

É outro erro julgar que o Batismo tem que ser nos rios, e por imersão. Ao afirmarem tal exclusividade confundem o Batismo instituído por Cristo – que é Sacramento de regeneração espiritual – com o de João Batista, que era mero rito para excitar à penitência ou conversão (Mateus 3,11) (Atos 11,16) (João 1,29-34). Esse modo de pensar e de agir é pois, contraditório:1.º porque a Bíblia não afirma que João Batista imergia (mergulhar n’água) as pessoas. Muito menos o fez com Jesus Cristo, a Quem tinha grandíssimo respeito. Além disso, o costume constante dos hebreus era antes o das abluções rituais, isto é, derramar água por cima da pessoa que se purificava (Marcos 7,4) (João 2,6); 2.º porque nenhum dos seis casos de batismos cristãos feitos no tempo dos Apóstolos, e registrados na Bíblia, foram feitos em rios.Onde estão na Bíblia esses batismos? Estão narrados nos Atos dos Apóstolos: - o 1.º está em (Atos 2,41) : cerca de três mil pessoas batizadas no dia de Pentecostes em Jerusalém, onde não há rios; - o 2.º está em (Atos 8,36-38) : é o batismo do servo da rainha da Etiópia, em uma fonte na qual havia "alguma água" (no original da Bíblia); - o 3.º está em (Atos 9,11-18) : é o batismo de Saulo no interior de uma casa em Damasco; - o 4.º está em (Atos 10,47) : é o batismo de um grupo de gentios em Cesaréia "com água de batismo"; - o 5.º está em (Atos 16,33-35): é o batismo do carcereiro de Filipos, numa cadeia à meia noite, feito por São Paulo; - o 6.º está em (Atos 19,3-5) : é o batismo de um grupo de ex-discípulos de João Batista em Éfeso, em que, como sempre, não há qualquer menção de rio. Portanto, a maneira mais conforme à Bíblia, de se administrar o Batismo Cristão, é a de ablução (derramar água na pessoa a quem se batiza). Ademais, como se batizariam os enfermos? Ter-se-ia que providenciar tanques térmicos? Ou deixar-se-iam as pessoas morrerem sem o Batismo que, no entanto, é necessário para a salvação? Portanto, além das razões bíblicas e da prática constante da Igreja, quantos e sérios problemas na ordem prática? Se quisermos celebrar o batismo por imersão, o ritual do batismo dá toda explicação de como fazer, embora, a quantidade de água comum, mergulhando o indivíduo no rio ou derramando água sobre sua cabeça, não altera em nada o batismo, pois a função da água, do líquido usado é, biblicamente, simbolizar a água viva, Jesus Cristo (João 4,14). Purificando a pessoa. Há igrejas que não batizam as crianças porque, dizem eles, é contrário a Bíblia. Além disso, dizem que para ser batizados é preciso se arrepender dos pecados e as crianças não tem condições de fazer isso. - Vejamos de agora em diante que o batismo é para todos independente de idade, ler (Mateus 28,19) (João 3,3).- O batismo deverá ser tomado em sintonia com o poder de "ligar e desligar" dado pelo senhor Jesus a Igreja (Mateus 16,19) (Mateus 18,18). - Jesus disse: "Ide, pois ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo". - Nos atos dos apóstolos se lê que estes batizam famílias inteiras, ora, nas famílias há sempre crianças: Ler: (Atos 16,14-15) (Atos 32-33) (1 Coríntios 1,16) (Atos 9,18-19) (Colossenses 2,11-14). Nestas três vezes em que os apóstolos batizavam, eles o fizeram por infusão e não por imersão, pois não havia nem rios nem riachos, estavam em casa ou no cárcere (Prisão). Ler ainda: (Atos 18,8). No diálogo que Jesus teve com Nicodemos sobre o novo nascimento, por questão de humildade, não falou nada explicitamente sobre a entrega a ele, frisou sim, que é preciso nascer da água (João 4,14), água viva, simbolizada por aquela natural, aplicada no batismo e do espírito (João 3,5). Na Nova e Eterna Aliança "o Batismo substituiu a circuncisão da Antiga Aliança", como rito da entrada para o povo escolhido de Deus. Ora se o próprio Deus ordenou a Abraão circuncidam os meninos já no 8.º dia depois do nascimento, sem exigir deles uma fé adulta e livre escolha, então não seria lógico recusar o Batismo às crianças dos Pais Cristãos, por causa de tais exigências. Orígenes (185 255) escreve: "A igreja recebeu dos apóstolos a tradição de um batismo também aos recém-nascidos". (Epist. Ad. Rom. Livro 5,9). Cipriano em 258 escreve: "Do batismo e da graça não devemos afastar as crianças". (carta a Fido). Seguindo à tradição apostólica, cada homem honesto reconhece que os cristãos dos primeiros séculos conheciam muito bem e observavam a doutrina e as práticas religiosas recebidas dos apóstolos. Ora, se a Igreja Católica, analisando os textos bíblicos que nos revelam: "... Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus." (Romanos 3,23) (Romanos 5,12) (1 Coríntios 15,21-23) ou "eis que nasci na culpa, minha mãe recebeu-me no pecado" (Salmos 50,7) achou por bem batizar todos, grandes e pequenos, colocando como condição para o batismo dos pequenos a participação na fé familiar de seus pais (1 Coríntios 7,14) (Atos 16,31-33), ela age, mediante Cristo, correta e autorizadamente. 

Numa localidade na roça:

Um padre batizava 40 crianças em frente a sua Igreja. Um pastor estava olhando do lado oposto, com a Bíblia, e disse a um jovem depois do batismo: "Fale ao padre: se encontrar na Bíblia onde está escrito se deve batizar as crianças, vou lhe dar um milhão." O padre mandou de volta o jovem: "Se o pastor me encontrar na Bíblia onde está escrito que só se deve batizar adultos, dou-lhe 10 milhões".

Autor: Jaime Francisco de Moura

baUMA SÓ COISA COM CRISTO - "Porque se nos tornamos uma coisa só com ele por uma morte semelhante à sua, seremos uma coisa só com ele também por uma ressurreição semelhante à sua..." (Rm 6,5)
'

be – BESTA


beCIDADES CONSTRUÍDAS SOBRE - Aomen, Lisboa, Amman, Nimes, Istanbul, Ostuni, Varese, Edimburgo, Bamberg, Torquay, Kampala, Gudon, Saint-Etienne, Oria, Iasi, Bucarest , Mitilene , Trivandrum, Praga etc. Inf.de Akuna Matata - CGF
'
beNÚMERO - CÉSAR NERO - O nome Cesar Nero em GREGO escrito em caracteres hebraicos coincide com a identificação da besta: 666. Lendo QESER NERVN da direita para a esquerda, temos: 

beNÚMERO - JESUS DE NAZARÉ - "Yoshua Nestery = (Jesus de Nazaré) Y=10; O=0; SH=300; U=6; A=0 N=50; E=0; S=50; T=0; E=0; R=200; Y=10 -> (10+300+6)+(50+90+200+10)=666

beSETE COLINAS - JERUSALÉM - Jerusalém era conhecida como "a cidade das sete colinas" (Pirke de-Rabbi Eliezer, Seção 10). Estas colinas são: (1) "Escopus", (2) "Nob", (3) "o Monte da Corrupção" ou "o Monte da Ofensa" ou "o Monte da Destruição" (2Reis 23,13), (4) O original "monte Sião", (5) A colina sudoeste também chamada "Monte Sião", (6) o "Monte Ofel" e (7) "A Rocha", onde foi construída a fortaleza "Antonia".



bi – BÍBLIA, BÍBLICO

biACEPÇÃO DE PESSOAS - "Perguntaram-lhe eles: Mestre, sabemos que falas e ensinas com retidão e que, sem fazer acepção de pessoa alguma, ensinas o caminho de Deus segundo a verdade" São Lucas 20,21);"Meus irmãos, a vossa fé em nosso Senhor Jesus Cristo glorificado não deve admitir acepção de pessoas" (São Tiago 2,1)

biADULTERAÇÃO PROTESTANTE - "1. VEJA COMO OS PROTESTANTES ADULTERARAM A BÍBLIA

Autor: MARIA em 25/05/2004, 23:45:37 (e-mail não disponível)

EM TUDO QUE SE REFERE Á ESCULTURA.

Veja que criminosamente acrescentaram palavras como "procissão", "se ajoelham", "se inclinam", "imagens de esculturas" e tantas outras, para simplesmente implicar com os santos.

NOS ORIGINAIS DIZ: (Isaías 44:9-11,17,1&.) (9) "Os fabricantes de ídolos nada são e suas preciosas obras nada valem; para confusão deles, suas testemunhas não sabem ver nem compreender (10) Aquele que quer modelar um deus, funde uma estátua que não servirá para nada. (11) Seus fiéis ficarão decepcionados e seus operários são apenas homens. Que todos se congreguem e compareçam. Ficarão assustados e decepcionados. ...(17) Com a sobra faz um deus, um ídolo diante do qual se prostra para adora-lo e orar dizendo: "Salva-me, tu és meu deus" (18) Falta bom senso e juízo a essa gente; têm os olhos tão fechados que não vêem, seus corações não podem compreender." (note que o origina deixa claro que ídolo é um deus).

A ADULTERAÇÃO NAS BÍBLIAS EVANGÉLICAS: (Isaías 44:9-11,17,18.)

"TODOS OS ARTÍFICES DE IMAGENS DE ESCULTURA SÃO VAIDADE, e as SUAS COISAS MAIS DESEJÁVEIS SÃO DE NENHUM PRÉSTIMO; e suas mesmas testemunhas NADA VÊEM, nem entendem, para que eles seja confundidos. EIS QUE TODOS OS SEUS SEGUIDORES FICARÃO CONFUNDIDOS, pois os mesmos artífices são dentre os homens; AJUNTEM-SE TODOS E LEVANTEM-SE; ASSOMBRAR-SE-ÃO E SERÃO JUNTAMENTE CONFUNDIDOS. Então, do resto faz um DEUS, UMA IMAGEM DE ESCULTURA; AJOELHA-SE DIANTE DELA, E SE INCLINA, E LHE DIRIGE A SUA ORAÇÃO, e diz: LIVRA-ME, PORQUANTO tu és o meu deus. Nada sabem, nem entendem; porque se lhe untaram os olhos, para que não vejam, e o coração, para que não entendam"". ( note quanta mudança e palavras acrescentadas, a intenção é jogar esses versículos contra o semelhante. Os pastores fazem o resto do trabalho sujo.)

NOS ORIGINAIS DIZ: (Is 45,20). # Vinde, reuni-vos todos, aproximai-vos, vós que fostes salvos dentre as nações! Nada disso compreendem aqueles que trazem seu ídolo de madeira, aqueles que oram a um deus impotente para salvar.

A ADULTERAÇÃO NAS BÍBLIAS EVANGÉLICAS: (Is 45,20).

* CONGREGAI-VOS e vinde; chegai-vos JUNTOS, vós que ESCAPASTES das nações; NADA SABEM OS QUE CONDUZEM EM PROCISSÃO AS SUAS IMAGENS DE ESCULTURA, feitas de madeira, E ROGAM a um deus que não podem salvar.

Como Deus não é "evangélico" e sabe muito bem fazer distinção entre "ídolo deus" e uma simples obra de arte recordativa feita pela mão dos cristãos, fez S. João escrever que os homens que não foram mortos pelas pragas, não se arrependeram das obras das suas mãos, feitas para não adorarem os demônios, e os ídolos de ouro, e de prata, de madeira, etc.:

"E os outros homens, que não foram mortos por estas pragas, não se arrependeram das obras de suas mãos, para não adorarem os demônios, e os ídolos de ouro, e de prata, e de bronze, e de pedra, e de madeira, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar."
(AP 9:20)

Seria uma grave blasfêmia destes "evangélicos", considerar Deus é um esclerosado, já que num lugar da Bíblia manda fazer imagens, esquecido que noutro lugar o teria proibido! (Ex 25,18-20) (Num 21,8-9) (1 Rs 6,23-35 e 7,29). O Senhor encheu do Espírito de Deus, de sabedoria, de entendimento e de ciência os artífices ( artesãos ) que construíram o tabernáculo com seus móveis e suas esculturas sob a Arca, em ouro, prata, cobre, pedra e madeira. (Ex 31, 1-11) Salomão a pedido de Deus construiu o Templo de Jerusalém repleto de esculturas de bois, de leões, de flores, de anjos, do mar, etc. (1 Rs 6,23-35 e 7,29).

E assim disse o Senhor: "Ouvi a tua oração e a tua súplica que, suplicando, fizeste perante mim; santifiquei a casa que edificaste, a fim de pôr ali o meu nome para sempre; e os meu olhos e o meu coração estarão ali todos os dias. (1 Rs 9, 3).
Será que "evangélico" lê isso.?

biADULTERAÇÕES - "Zé Carente em 11/04/2004, 15:22:42 (enviar e-mail para o autor)
Somente a Igreja de Cristo tem autoridade para interpretar, determinar quais livros são ou não inspirados e guardar, livres de adulterações as sagradas letras.


biADULTERAÇÕES DE LUTERO


- JERÔNIMO EMSER - ""Lutero vira de tal modo a Bíblia para a fé sem as obras, que no fim, não há mais uma coisa nem outra"". Indica 1400 falsificações;



- JOÃO DIETENBERGER, contemporâneo de Lutero: ""O que Lutero não quer, ele o suprime da Bíblia; o que se ajusta com o seu querer ele o ajunta, em prova de seus erros"". (Grisar III. 440, nota 1)

- PHILIPS VON MARNIX - ""De todas as traduções em uso nas igrejas protestantes, nenhuma existe que se afaste tanto do texto original, como a de Lutero"". (Tübenger Theol.: Quartalschrift, 1848);

-JOSIAS BUNSEN - assinala cerca de 3.000 passagens falsificadas, e intitula a obra de Lutero a menos exata de todas. (F. Nippold: Christian Von Bunser. 1868, III, 182)

biADULTERAÇÕES PROTESTANTES - "καὶ ἰδοὺ Ἐλισάβετ ἡ συγγενὴς σου καὶ αὐτὴ συνεληφυῖα υἱὸν ἐν γήρει αὐτῆς, καὶ οὗτος μὴν ἕκτος ἐστὶν αὐτῇ τῇ καλουμένῃ στείρᾳ"
συγγενὴς - Parente, quando nas traduções evangélicas aparece como "prima" para enganar os menos instruídos provando que naquele tempo se fazia distinção entre irmãos e primos.
Ler:

"kai idou elisabet e suggenes sou kai aute suneilefuia uion en gera auten kai outon men ekton estin aute te kaloumene steira"
biANTIBÍBLICO, O PROTESTANTISMO É - ALGUMAS COISAS ANTI-BIBLICAS:
1. O conceito humano da "Sola Scriptura" é antibíblico. Onde está a palavra "Sola Scriptura" e os versículos que a descreve? Venho investigando há anos e nenhum protestante pôde me mostrar (Hebreus 13,9).
2. A Interpretação pessoal da Sagrada Escritura é antibíblica (2Pedro 1,20).
3. Apoiar o aborto é antibíblico (Êxodo 20,13).
4. Apoiar a contracepção é antibíblico (Genêsis 38,9-10).
5. A divisão do Corpo de Cristo é antibíblico (João 10,16).
6. A regra da opinião pessoal é antibíblica (Marcos 12,14).
7. Caluniar outro ser humano é antibíblico (João 15,12).
8. Caluniar a Igreja fundada por Jesus Cristo é antibíblico (1Coríntios 15,9).
9. Insultar e degradar a Mãe de Deus é antibíblico (Lucas 1,48).
10. Julgar outra pessoa é antibíblico (Lucas 6,37). 
11. Faltar em obedecer o significado do "UM" (a unidade) é antibíblico (Efésios 4,1-6).
12. Ter sacerdotisas é antibíblico (João 15,16).
13. Reger-se por opiniões de homens em lugar da vontade de Deus é antibíblico (Atos 5,29).
14. Negar aceitar a verdade quando se é apresentado a ela é antibíblico (Romanos 1,18; 2,8).
15. Não buscar a verdade é antibíblico (Romanos 2,8).
16. Mentir nos ataques contra a Igreja Católica é antibíblico (Êxodo 20,16; Apocalipse 21,27).
17. Aderir ao sábado, como algumas seitas protestantes o fazem, é antibíblico (Colossenses 2,16).
18. A falta de consistência nos ensinamentos protestantes é antibíblico. A verdade não muda (João 14,6).
19. Recusar parte da Sagrada Escritura é antibíblico (Tiago 2,10).
20. Uma vez salvo, sempre salvo é antibíblico (Filipenses 2,12).
21. Salvação somente pela fé é antibíblico (Tiago 2,24).
22. Salvação somente pela graça é antibíblico (Tiago 2,24).
23. Manter a mente fechada é antibíblico (Romanos 2,28).
24. Recusar a autoridade é antibíblico (Hebreus 13,17).
25. Atuar sem autoridade é antibíblico (Mateus 18,15-18; Hebreus 13,17).
26. Deturpar a Bíblia para amoldá-la a um falso ensinamento é antibíblico (2Pedro 3,16).  
27. Adicionar ou subtrair na Escritura, como alguns fazem, é antibíblico (Deuteronômio 4,2; Apocalipse 22,18-19).
28. Seguir falsos profetas, como várias seitas fazem, é antibíblico (Mateus 7,15).
29. A Revolta Protestante foi antibíblica (Hebreus 13,17)
30. Ceder às pressões dos movimentos seculares é antibíblico. A verdade nunca pode ser comprometida (Atos 5,23).
- 2Tessalonicenses 2,15: "Conservai as TRADIÇÕES que aprendestes, seja por PALAVRAS ou por cartas nossas"

LER TAMBEM: Romanos 1,18; 2,8.

biAPOCALIPSE - Lutero diz que o Apocalipse "não é nem apostólico nem profético." (Erl. LXIII, 169).

biAPÓCRIFOS - É como as seitas chamam os livros deuterocanônicos e que são: Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc e 1,2 Macabeus.  Ainda partes de Ester e Daniel.
As seitas, em 1520, retiram da Bíblia esses santos livros.  Nosso Senhor e os Apóstolos usaram esses livros em seus ensinos.  Basta comparar: 

Lucas 14, 13-14 com Tobias 4, 7, 10-17; 
I Tessalonicenses 4,3 com Tobias 4, 13; 
Mateus 7, 12 com Tobias 4, 16: 
I Coríntios 10,9 com Judite 8, 24-25; 
Lucas 1,42 com Judite 13,23; 
I Coríntios 15,32 com Sabedoria 2, 6-7; 
I Coríntios 6,2 com Sabedoria 3,8; 
2 Timóteo 3,12 com Eclesiástico 2,1-2; 
João 14,23 com Eclesiástico  2, 18-19; 
Hebreus 11, 35-37 com 2 Macabeus 6, 9-11.19; 
Hebreus 11, 33-34 com 2 Macabeus 8, 5-7.  

Poderíamos dar muitos exemplos.  Bastam esses.  Maior aprofundamento recomendamos ler o nosso livro: "Em Defesa da Fé".
'
biAPÓCRIFOS - EXPURGO - QUANDO? - A Igreja Católica porta a autoridade de Cristo (São Mateus 28, 17-20) e é orientada pelo Espírito Santo (São João 14,26) que não a deixa jamais se esquecer do que nos ensinou Cristo.

O cânon das Escrituras, Antigo e Novo Testamento, foi fixado no Concílio de Roma em 382, sob o Papa Dâmaso I, sendo logo reconhecido por Concílios sucessivos regionais e também gerais. O mesmo cânon foi confirmado no Concílio de Hipona em 393 e também no de Cartago em 397. Em razão de estes Concílios não serem "ecumênicos" não significa que decisões não fossem aceitas como verdade de fé. O Papa Inocêncio I reafirmou o cânon em 405 numa carta ao bispo Exuperius de Toulouse. Outro Concílio de Cartago em 419, afirmou novamente o cânon como os seus predecessores pedindo ao papa Bonifácio que "confirme este cânon, pois estas são as que recebemos de nossos pais para serem lidos na Igreja". Todos estes cânons formavam a mesma Bíblia católica atual, todos eles incluindo os deuterocanônicos (que os protestantes, sem qualquer autoridade, apelidaram de apócrifos).

Eis, pois, aqui as diversas datas que em Concílio sucessivos confirmaram o Cânon Bíblico definido em 382 sob a autoridade do Papa Dâmaso I. É claro que para definir este rol de livros inspirados, os padres tiveram de expurgar todos os apócrifos de que lhe falei.

biAPÓCRIFOS - IV ESDRAS - Acontece que a Igreja, sendo coluna a sustentáculo da verdade é a única autoridade inspirada apta a dizer que livros são ou não inspirados. É claro que sendo ela inerrante (sustentáculo da verdade), nenhuma das doutrinas que ensina é errada. Em conseqüência, todo livro que confirme sua doutrina, nem por isto, é inspirado mas todo livro que contraria sua doutrina, evidentemente, por este fato, já não pode ser inspirado, pois viria a contradizer o que dizem os demais livros e Deus não se contradiz.
'
biAPÓCRIFOS - NOVO TESTAMENTO - A Hipostase dos Arcontes, (Ágrafos Extra-Evangelhos), (Ágrafos de Origens Diversas), Apocalipse da Virgem, Apocalipse de João o Teólogo, Apocalipse de Paulo, Apocalipse de Pedro, Apocalipse de Tomé, Atos de André, Atos de André e Mateus, Atos de Barnabé, Atos de Filipe, Atos de João, Atos de João o Teólogo, Atos de Paulo, Atos de Paulo e Tecla, Atos de Pedro, Atos de Pedro e André, Atos de Pedro e Paulo, Atos de Pedro e os Doze Apóstolos, Atos de Tadeu, Atos de Tomé, Consumação de Tomé, Correspondência entre Paulo e Sêneca, Declaração de José de Arimateia, Descida de Cristo ao Inferno, Discurso de Domingo, Ditos de Jesus ao rei Abgaro, Ensinamentos de Silvano, Ensinamentos do Apóstolo [T]adeu, Ensinamentos dos Apóstolos, Epístola aos Laodicenses, Epístola de Herodes a Pôncio Pilatos, Epístola de Jesus ao rei Abgaro (2 versões), Epístola de Pedro a Filipe, Epístola de Pôncio Pilatos a Herodes, Epístola de Pôncio Pilatos ao Imperador, Epístola de Tibério a Pôncio Pilatos, Epístola do rei Abgaro a Jesus, Epístola dos Apóstolos, Eugnostos, o Bem-Aventurado, Evangelho Apócrifo de João, Evangelho Apócrifo de Tiago, Evangelho Árabe de Infância, Evangelho Armênio de Infância (fragmentos), Evangelho da Verdade, Evangelho de Bartolomeu, Evangelho de Filipe, Evangelho de Marcião, Evangelho de Maria Madalena (ou Evangelho de Maria de Betânia), Evangelho de Matias (ou Tradições de Matias), Evangelho de Nicodemos (ou Atos de Pilatos), Evangelho de Pedro, Evangelho de Tome o Dídimo, Evangelho do Pseudo-Mateus, Evangelho do Pseudo-Tomé, Evangelho dos Ebionitas (ou Evangelho dos Doze Apóstolos), Evangelho dos Egípcios, Evangelho dos Hebreus, Evangelho Secreto de Marcos, Exegese sobre a Alma, Exposições Valentinianas, (Fragmentos Evangélicos Conservados em Papiros), (Fragmentos Evangélicos de Textos Coptas), História de José o Carpinteiro, Infância do Salvador, Julgamento de Pôncio Pilatos, Livro de João o Teólogo sobre a Assunção da Virgem Maria, Martírio de André, Martírio de Bartolomeu, Martírio de Mateus, Morte de Pôncio Pilatos, Natividade de Maria, O Pensamento de Norea, O Testemunho da Verdade, O Trovão, Mente Perfeita, Passagem da Bem-Aventurada Virgem Maria, "Pistris Sophia" (fragmentos), Prece de Ação de Graças, Prece do Apóstolo Paulo, Primeiro Apocalipse de Tiago, Proto-Evangelho de Tiago, Retrato de Jesus, Retrato do Salvador, Revelação de Estevão, Revelação de Paulo, Revelação de Pedro, Sabedoria de Jesus Cristo, Segundo Apocalipse de Tiago, Sentença de Pôncio Pilatos contra Jesus , Sobre a Origem do Mundo, Testemunho sobre o Oitavo e o Nono, Tratado sobre a Ressurreição, Vingança do Salvador, Visão de Paulo e etc. Então, quem definiu que apenas esse 27 eram inspirados, no meio desse monte? -15
'
biAPÓCRIFOS - RELAÇÃO

ANTIGO TESTAMENTO - Apocalipse de AdãoApocalipse de BarucApocalipse de MoisésApocalipse de SidracAs Três Estelas de SethAscensão de IsaíasAssunção de MoisésCaverna dos TesourosEpístola de AristéasLivro dos JubileusMartírio de IsaíasOráculos SibilinosPrece de ManassésPrimeiro Livro de Adão e EvaPrimeiro Livro de EnoquePrimeiro Livro de EsdrasQuarto Livro dos MacabeusRevelação de EsdrasSalmo 151Salmos de Salomão (ou Odes de Salomão)Segundo Livro de Adão e EvaSegundo Livro de Enoque (ou Livro dos Segredos de Enoque)Segundo Livro de Esdras (ou Quarto Livro de Esdras)Segundo Tratado do Grande SethTerceiro Livro dos MacabeusTestamento de AbraãoTestamento dos Doze PatriarcasVida de Adão e Eva
'
NOVO TESTAMENTO A Hipostase dos Arcontes (Ágrafos Extra-Evangelhos)(Ágrafos de Origens Diversas)Apocalipse da VirgemApocalipse de João o TeólogoApocalipse de PauloApocalipse de PedroApocalipse de ToméAtos de AndréAtos de André e MateusAtos de BarnabéAtos de FilipeAtos de JoãoAtos de João o TeólogoAtos de PauloAtos de Paulo e TeclaAtos de PedroAtos de Pedro e AndréAtos de Pedro e PauloAtos de Pedro e os Doze ApóstolosAtos de TadeuAtos de ToméConsumação de ToméCorrespondência entre Paulo e SênecaDeclaração de José de ArimatéiaDescida de Cristo ao InfernoDiscurso de DomingoDitos de Jesus ao rei AbgaroEnsinamentos de SilvanoEnsinamentos do Apóstolo [T]adeuEnsinamentos dos ApóstolosEpístola aos LaodicensesEpístola de Herodes a Pôncio PilatosEpístola de Jesus ao rei Abgaro (2 versões)Epístola de Pedro a FilipeEpístola de Pôncio Pilatos a HerodesEpístola de Pôncio Pilatos ao ImperadorEpístola de Tibério a Pôncio PilatosEpístola do rei Abgaro a JesusEpístola dos ApóstolosEugnostos, o Bem-AventuradoEvangelho Apócrifo de JoãoEvangelho Apócrifo de TiagoEvangelho Árabe de InfânciaEvangelho Armênio de Infância (fragmentos)Evangelho da VerdadeEvangelho de BartolomeuEvangelho de FilipeEvangelho de MarciãoEvangelho de Maria Madalena (ou Evangelho de Maria de Betânia)Evangelho de Matias (ou Tradições de Matias)Evangelho de Nicodemos (ou Atos de Pilatos)Evangelho de PedroEvangelho de Tome o DídimoEvangelho do Pseudo-MateusEvangelho do Pseudo-ToméEvangelho dos Ebionitas (ou Evangelho dos Doze Apóstolos)Evangelho dos EgípciosEvangelho dos HebreusEvangelho Secreto de MarcosExegese sobre a AlmaExposições Valentinianas(Fragmentos Evangélicos Conservados em Papiros)(Fragmentos Evangélicos de Textos Coptas)História de José o CarpinteiroInfância do SalvadorJulgamento de Pôncio PilatosLivro de João o Teólogo sobre a Assunção da Virgem MariaMartírio de AndréMartírio de BartolomeuMartírio de MateusMorte de Pôncio PilatosNatividade de MariaO Pensamento de NoreaO Testemunho da VerdadeO Trovão, Mente PerfeitaPassagem da Bem-Aventurada Virgem Maria"Pistris Sophia" (fragmentos)Prece de Ação de GraçasPrece do Apóstolo PauloPrimeiro Apocalipse de TiagoProto-Evangelho de TiagoRetrato de JesusRetrato do SalvadorRevelação de EstevãoRevelação de PauloRevelação de PedroSabedoria de Jesus CristoSegundo Apocalipse de TiagoSentença de Pôncio Pilatos contra JesusSobre a Origem do MundoTestemunho sobre o Oitavo e o NonoTratado sobre a RessurreiçãoVingança do Salvador - Visão de Paulo.
'
MANUSCRITOS DE QUMRAN - A Nova Jerusalém (5Q15)A Sedutora (4Q184)Antologia Messiânica (4Q175)Bênção de Jacó (4QPBl)Bênçãos (1QSb)Cânticos do Sábio (4Q510-4Q511)Cânticos para o Holocausto do Sábado (4Q400-4Q407/11Q5-11Q6)Comentários sobre a Lei (4Q159/4Q513-4Q514)Comentários sobre Habacuc (1QpHab)Comentários sobre Isaías (4Q161-4Q164)Comentários sobre Miquéias (1Q14)Comentários sobre Naum (4Q169)Comentários sobre Oséias (4Q166-4Q167)Comentários sobre Salmos (4Q171/4Q173)Consolações (4Q176)Eras da Criação (4Q180)Escritos do Pseudo-Daniel (4QpsDan/4Q246)Exortação para Busca da Sabedoria (4Q185)Gênese Apócrifo (1QapGen)Hinos de Ação de Graças (1QH)Horóscopos (4Q186/4QMessAr)Lamentações (4Q179/4Q501)Maldições de Satanás e seus Partidários (4Q286-4Q287/4Q280-4Q282)Melquisedec, o Príncipe Celeste (11QMelq)O Triunfo da Retidão (1Q27)Oração Litúrgica (1Q34/1Q34bis)Orações Diárias (4Q503)Orações para as Festividades (4Q507-4Q509)Os Iníqüos e os Santos (4Q181)Os Últimos Dias (4Q174)Palavras das Luzes Celestes (4Q504)Palavras de Moisés (1Q22)Pergaminho de Cobre (3Q15)Pergaminho do Templo (11QT)Prece de Nabonidus (4QprNab)Preceito da Guerra (1QM/4QM)Preceito de Damasco (CD)Preceito do Messianismo (1QSa)Regra da Comunidade (1QS)Rito de Purificação (4Q512)Salmos Apócrifos (11QPsa)Samuel Apócrifo (4Q160)Testamento de Amran (4QAm)
'
OUTROS ESCRITOS - História do Sábio Ahicar Livro do Pseudo-Filon
'


biAULAS

AULA1 - A palavra Bíblia vem do grego e significa livros. Ela foi escrita em papiro (fina pele da planta de mesmo nome, tratada p ser papel), pergaminho (pele de carneiro tratada) usada em Pérgamo e argila (barro). Foram usadas três línguas: Hebraico (Ant Test), Aramaico (Ant Test e Evang de S. Mateus) e grego (Nov Test e alguns livros do Ant Test). Os escritos eram como folhas enroladas, ñ eram livros encadernados (Lc 4, 16-20). Ela é a Palavra de Deus (2.ª Pd 1, 20-21; 2.ª Tm 3:16). A Bíbl Católica possui 73 livros, sendo 46 do AT e 27 do NT. Foram cerca de 1300 anos p ser feita e teve uns 50 escritores.Classificação dos Livros do AT:Pentateuco (5 livros):Gêneses (Origens),Êxodo (fuga),Levítico (da tribo de Levi),Números (censos) e Deuteronômio (segunda lei);Históricos:1º e 2º Reis,1º e 2ºCrônicas,Juízes,1º e 2ºSamuel,Esdras,Neemias,Tobias,1ºe2º Macabeus,Rute,Judite,Josué, Ester.Sapienciais:Sabedoria,Provérbios,Salmos,Jó,Cânticos,Eclesiastes,Eclesiástico.Proféticos: Isaías,Jeremias,Daniel,Lamentações,Baruc,Ezequiel,Oséias,Joel,Amós,Abdias, Jonas,Miquéias,Naum,Habacuc,Sofonias,Ageu,Zacarias e Malaquias.No século 3,obedecendo ao Papa São Dâmaso, S. Jerônimo, nascido na Dalmácia (atual Hungria), foi o primeiro a traduzir oficialmente a Bíblia para outra língua, o latim. É a famosa Tradução Vulgata (comum). Era culto, e aprendeu hebraico com um judeu convertido. Faleceu no dia 30 de setembro de 420. Nesta data celebramos o Dia da Bíblia!A organização da Bíblia em 1.333 capítulos foi feita pelo Cardeal Estevão Langton (1228 dC). E em 35.700 versículos pelo Frei Santo Pagnino (1528 dC).Como localizar uma citação bíblica:Mt 5, 1-7 Evang de Mateus cap 5 vers 1 ao 7Mc 10:2 Evang de Marcos cap 10 vers 2Jr 3, 4-7s Jeremias cap 3 vers 4 ao 7 e o vers seguinte: 8Lv 20, 9-10ss Levítico cap 20 vers 9 ao 10 e seguintes: 11, 12...Curiosidades:A 2ª e a 3ª Carta de São João, e a Carta de Judas Tadeu só têm 1 cap cada uma;O Salmo 117 é o menor cap bíblic, já o Salmo 119 é o maior cap bíblico.http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=18297415&tid=2482811658435100038

biAULA2 - A Bíb Catól possui 73 liv, sendo 46 do AT e 27 do NT (CIC 120). A Bíb protest possui 66 livr ao todo! E pq? Pq eles seguiram normas judaicas de reconhecmento de livr sagrad. Deixando fora 7 livros: Tobias, Baruc, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, 1º e 2º Macabeus. E os cap 3 (vers 24 a 90), 13 e 14 do liv de Daniel e as partes em grego de Ester. Lutero aceitava os 7, mas, depois os demais protestant os rejeitaram!A Igrej Católic, utiliza a tradução grega da Bíbl chamada Septuaginta ou Versão dos Setenta. Feita no séc. III aC, em Alexandria (Egito), por setenta e dois sábios p uma grande comunidad judaica de lá q ñ dominava a língua hebraic. Na época em q foi feita essa tradução, a lista dos livrs sagrads ainda ñ estava definida, e acabou contendo os 7 livros.Essa Bíblia foi usada pelos Apóstols de Jesus nas pregações e texts. +- no ano 100 dC, os judeus da Palestin reuniram-se na cidade de Jâmnia, p definir normas p reconheciment de Livr Sagrad, vj pq ñ concordamos c eles:a) Deus só poderia inspirar em Israel: Isso ñ tem fundament. Nunc houve limits territoriais p Deus! Deus inspirou n Desert, td a Lei de Moisés, (Lv 26:46); Inspirou Jeremias no Egit (Jr 43, 7-13; 44:1; 45, 1-5).b) Deus só poderia inspirar o AT em hebraico: Deus nunca disse iss! Será que Deus só sabe falar hebraico? Isso é + nacionalismo exagerado dos judeus. Ele diss sm, q só se revelou a Israel (Sl 102:7), aos israelitas, e em Israel haviam muitos sábios e profet q falavam outrs línguas - Daniel (Dn 1, 1-7)c) Toda inspiração só aconteceu até o tempo de Esdras e Neemias (458-428 aC): São os chamados Séculos do Silêncio, tendo então, Malaquias como últim profet a escrever um Livr Sagrad do AT! E q Esdras e Neemias, e outros 118 judeus importants, definiram os livrs sagrads p volta de 423 aC deixando fora 7 livrs. Nda há de provas histórics e bíblics qt a isso. Só o q sabemos é q a definição judaic foi só no ano 100 dC, sem os 7 livr! Parece msmo q os 7 ficaram fora p rivalidade judaica c os cristãos q aceitavam os 7 livrshttp://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=18297415&tid=2483829986591047046
biAULA2a - INTERPRETAÇÃO PESSOAL - A Igreja ja teve, tem, enorme zêlo pela Palavra de Deus! Por isso que visava, visa, uma preparação profunda para que use a Bíblia. Ela dizia, e com razão que as pessoas não preparadas poderiam ficar loucas ou confusas ao lê-la sem um acompanhamento. Muitos são os que até hoje utilizam a Bíblia até mesmo para provar o Espiritismo, negar o inferno... Por causa também da interpretação pessoal, individual, o Cristianismo está se dividindo cada vez mais. As Igrejas cristãs se separam por pequenas e/ou grandes descordânicas doutrinárias.Desde o uso ou não de cosméticos até questõs que envolvam a 2ª Vinda de Jesus. S Paulo já adverte sobre tal perigo (2.ª Pd 3:16)!Claro que há passagens bíblicas em que se pode chegar a diferentes mensagens, mas, sempre terão que ser coerentes entre si, nunca contraditórias. Por exemplo, na passagm em que narra Jesus caminhando sobre as águas pode-se dizer que Ele realmente caminhou, e também que Ele está acima de tdo o nosso mar de tribulaçõs. Mas, uma interpretação não pode excluir ou negar a outra! As duas mensagens são válidas. (Jo 6, 16-21)Cristo deu à Igreja a autoridade final para decidir questões bíblicas e extr-bíblicas, ligar ou desligar algo (Mt 16, 13-19). E a Igreja definiu os Livros Sagrados, decidiu heresias e blasfêmias muitas vezes através dos dogmas, ou seja, reafirmando algo em que acredita e que não se discutiria mais.Os 7 livros que os protestants não aceitam e nós sim, não são acréscimos, pois, eles eram aceitos até o ano 100dC.O NT cita passagens destes livros.Veja, Moisés proibiu acréscims (Dt 12:32), Judas Macabeus (1.º Mb 8:30), Salomão (Pv 1:1; 30, 5-6) e depois de cada um destes, form escritos + livros da Bíblia, porque cada escritor só estava falando só do Livro que escreveu, não da Bíblia toda! Até proque ela estava em construção ao longo dos séculos. Só o discerne e os fatos puderam ajudar a dizer qual Livro ficaria, e qual sairia.Após o Concílio Vaticano II meados dos anos 60, a Bíblia chegou nas mãos do povo, até porque, logo após houve um novo derramento do Espírito Santo e a unidade e obediência ficaram mais praticáveis no Catolicismo!http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=18297415&tid=2483926217480797574

biAULA3 - ABREVIATURAS - AT -:- Antigo TestamentoNT -:- Novo TestamentoCIC -:- Catecismo da Igreja CatólicaCDC -:- Código de Direito CanônicoO Catecismo da Igreja Católica foi concluído no ano de 1985 pelo Papa João Paulo II junto com os Cardeais, e contém toda a essência da Doutrina e da Moral Católica, citando Concílios e fundamentações bíblicas.O Código de Direito Canônico, foi atualizado por João Paulo II e equipe, no ano de 1983, e contém as normas do funcionamento da Igreja Católica Apostólica Romana. Cânon significa regra.

biAULA3 - ABREVIATURAS - AT -:- Antigo TestamentoNT -:- Novo TestamentoCIC -:- Catecismo da Igreja CatólicaCDC -:- Código de Direito CanônicoO Catecismo da Igreja Católica foi concluído no ano de 1985 pelo Papa João Paulo II junto com os Cardeais, e contém toda a essência da Doutrina e da Moral Católica, citando Concílios e fundamentações bíblicas.O Código de Direito Canônico, foi atualizado por João Paulo II e equipe, no ano de 1983, e contém as normas do funcionamento da Igreja Católica Apostólica Romana. Cânon significa regra.

biAULA3 - JESUS FALAVA COM MORTOS? - Jesus teria falado com 2 mortos transfigurados (fantasmas)??? Confira em Mateus 17,1-4. Teria sido um sonho ou uma visão.... mas, como explicar que Pedro, Tiago e João tiveram a mesma visão?!?Primeiro: transfigurado não é fantasma! Jesus se transfigurou naquele momento, e não se tornou um fantasma, mas, sim, mostrou Seu Corpo Glorificado, tal como ficaremos no Céu, pois, ressuscitaremos na carne como Jesus ressuscitou, sendo que nosso corpo será transfigurado, glorificado, semelhante ao que aconteceu a Jesus! O que não significa dizer necessariamente se tornar espírito! A carne e o sangue, tal como os temos aqui na Terra, não podem habitar o Céu, por isso, este corpo, unido ao espírito na ressurreição, será glorificado, se tornando corpo glorificado (1.ª Cor 15, 35-58).Segundo: Jesus não está falando com 2 mortos. O Profeta Elias não morreu! Foi arrebatado vivo ao Céu (2.º Rs 2, 1-18)!!! Moisés morreu sim, mas, seu corpo foi levado ao Céu por um anjo, e lá foi glorificado na carne (Dt 34, 5-6; Jd 9)! Logo, o mais provável é que não tenha sido um sonho nem uma visão, eles estavam ali de fato! Embora Deus pudesse sim, fazê-los ter o mesmo sonho ou a mesma visão, se Ele quisesse (At 9, 10-13)...Para a Bíblia e para a Igreja, os mortos só estão mortos na carne! O espírito de todos está vivo! E muito vivo (1.ª Pd 3, 19-20; 4:6; Ap 6, 9-10)! E Jesus, foi até lá quando morreu na Cruz para pregar a Salvação! Porém, aqueles que estão no inferno não tem contato com nada nem ninguém daqui! Os que estão no Purgatório, possuem uma ligação unicamente orante conosco, ou seja, podem pedir por nós, e nós pedirmos por eles a Deus. Mas não, a ponto de conversar, falar sobre passado, presente ou futuro, dialogar com a família através de médiuns! Dos que estão no Céu, a Igreja só crê na comunicação orante também, no qual pedimos aos santos, devida e comprovadamente, reconhecidos pela Igreja como intercessores no Céu!Cremos que dos que estão no Céu, só quem pode vir até nós na Terra, em casos raríssimos são os anjos ou Maria (no caso de Fátima)! Em termos de sonhos ou visões: Jesus está incluído, como os anjos, os santos, e Maria. Mas, ter contato fácil e freqüente com falecidos, mesmo os próximos a nós, não é prática da Igreja! Até porque, em tais contatos os espíritos vêm confirmar a Doutrina Espírita, que nega Jesus como Deus e Salvador, e pelo menos 40 verdades essenciais da Igreja Católica!!!...Falaremos mais sobre isso nos próximos estudos...

biAULA3b - JESUS, NÃO É O ÚNICO QUE RESSUSCITOU??? - Será que Jesus não foi o único a ressuscitar? Teria sido Ele apenas mais um ressuscitado entre milhares de mortos que ressuscitaram naquela época? (Mt 27, 52-53). Em primeiro lugar, a Bíblia não fala em milhares!!! Outra, ninguém ressuscita sem o Poder de Cristo (Jo 5:21)! Ele venceu a morte por nós! Tais pessoas que também ressuscitaram depois Dele, foram os primeiros frutos imediatos, do Sacrifício e Ressurreição Vitoriosa de Cristo Jesus!Quando Ele entregou Seu Espírito ao Pai, foi pregar aos que estavam na região dos mortos (Lc 23:46; 1.ª Pd 3, 18-19; 4:6)! Tais justos, estavam mortos na carne, porém vivos em espírito, logo, ouviram a pregação de Jesus lá, e foram ressuscitados depois da Ressurreição de Jesus, porque foram os primeiros a serem libertos da morte, após a Ressurreição de Cristo! Porém, isso foi mais um sinal público e grandioso do que vai acontencer no último dia! Não foi ainda algo definitvo na vida deles, como também não o foi em Lázaro! Lázaro continuou a viver normalmente e depois foi morto pelos judeus (Jo 11, 21-27.40)!Sendo assim, aqueles justos que ressuscitaram, também morreram novamente, como Lázaro e outros que Jesus ressuscitou (Jo 12, 1-2.10-11)! Porém, todos seremos ressuscitados no dia final, bons e maus, uns para a Vida Eterna, outros para a Condenação Eterna (Jo 5, 28-29)! Deus julgará!... Deus ñ precisa dar sinais a nós, mas, nos dá para confirmar sempre a mais pessoas, a base da fé cristã: Ressurreição para a Vida Eterna... OBSERVAÇÃO: - .Pela forma que o evangelista passa a notícia, dá a impressão de que foi um episódio bem passageiro, por exemplo quando diz "Foram vistos por muitos"; além disso quando diz "entraram na cidade santa" pode significar a Jerusalém do Alto. Eles ressuscitaram verdadeiramente para nunca mais morrer sendo arrebatados aos céus ali estando agora com seus corpos glorificados juntamente com Elias e Enoch.

biAULA3c - UM FILHO QUE ERA MAIS NOVO QUE O PAI?!?!? Jorão tinha 32 anos quando começou a reinar e reinou 8 anos em Jerusalém (40 anos de idade). Morreu sem ser chorado por ninguém. Os habitantes de Jerusalém proclamaram rei Ocozias, filho mais novo de Jorão (lembre que o rei morreu com 40 anos). Acazias (ou Ocozias), filho de Jorão tinha 42 anos quando começou a reinar e reinou por um ano. Logo, Ocozias seria 2 anos mais novo que seu próprio pai (2.º Cr 21:20, 22:1-2)?!?!?Claro que não! O Livro de Reis vem nos dar a informação mais precisa. Ocozias tinha de fato 22 anos de idade quando assumiu o reinado de Judá, no lugar de seu pai Jorão, falecido aos 40 anos de idade (2.º Rs 8, 25-26) e não 42 anos! O Livro de Crônicas, na língua hebraica, possui este pequeníssimo erro de dados pessoais, mas, que pôde gerar este importante questionamento bíblico! Embora em nada afete nossa fé e a História da Salvação, até porque o autor do Livro de Reis trouxe a informação exata! A especialidade da Bíblia é Religião, portanto, pode conter eventualmente falhas históricas, científicas ou gramaticais, porque perfeito só Deus, não a criatura! Contudo a Ciência e a Arquelogia estão provando cada vez mais que a Bíblia está certa! Veja, eu creio estar inspirado ao digitar este estudo, mas, no meu humano, posso errar na digitação! E uma letra ou número faz enorme diferença, mas, Deus providenciará a correção como provideniou neste caso de Ocozias...Erro grave, que influenciaria significantemente na nossa fé seria, por exemplo, se num Livro dissesse que Moisés atravessou o Mar Vermelho, e em outro Livro dissesse que tinha sido Noé! Mas, erros irrelevantes como este, em nada altera a História da Salvação. Na Bíblia "Ave Maria" a idade de Ocozias encontra-se já atualizada: 22 anos, como já vimos!Notas para melhor entendimento desta narrativa bíblica: 1 - Joacaz e Ocozias são as mesmas pessoas)/2 - Neste texto existem dois Jorão: Um é o Jorão pai de Ocozias (Joacaz). O outro é Jorão filho de Acab (2.º Cr 22:6).

biAULA3d - DEUS PERMITE CONTATO COM OS MORTOS? - Deus permitiu que Saul, primeiro e infiel rei de Israel, consultasse o Profeta Samuel, já falecido (1ª Sm 28, 1-19)!?! A Bíblia deixa claro que é de fato o espírito de Samuel que aparece, pois, o chama pelo nome (12)! Deus é o Todo-Poderoso, e permitiu sim, esta única vez um contato com quem estava na região dos mortos. Mas, veja que Samuel, profeta de Deus, não se mostra feliz pela consulta, e começa logo censurando o erro de Saul em incomodar seu "descanso" (15)!Uma vez profeta, sempre profeta! E Deus revela o triste futuro da infidelidade de Saul, pela boca de Samuel (19). Em 1.ª Sm 31: 1-6, você confere a concretização da profecia da vidente, Saul e seus filhos morrem! Mas, perceba que esta punição anunciada, foi justamente por Saul ter consultado uma necromante, pecado gravíssimo, e Deus então, passa a realeza para Davi (1.º Crônicas 10, 13-14)!!!! Que isto sirva de lição para nós!

biAULA4 - ANJOS E DEMÔNIOS - ANJOS - Bíblia e TradiçãoCronologia da Era Apostólica e o Desenvolvimento do CânonEsta cronologia apresenta uma seqüência dos eventos bíblicos e extrabíblicos que refletiram sobre a formação do cânon da Bíblia, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento. Afirma-se por aí que dois pesquisadores da Bíblia não conseguem concordar sobre uma cronologia apostólica... Com efeito, a cronologia que apresentamos aqui é aceitável para alguns, mas não pode ser considerada "universal". Serve apenas para fornecer pontos de referência para os eventos que se sucederam e suas conseqüências [sobre o cânon das Escrituras].

biAUTORIDADE - LETRA - "Agora, mortos para essa lei que nos mantinha sujeitos, dela nos temos libertado, e nosso serviço realiza-se conforme a renovação do Espírito e não mais sob a autoridade envelhecida da letra" (Romanos 7,6)

biAUTORIDADE - LÍDERES JUDEUS - Por isso vos digo: ser-vos-á tirado o Reino de Deus, e será dado a um povo que produzirá os frutos dele. (São Mateus 21,43).

biCÂNONES - 167 d.C. - CÂNONE DE MURATORI - CONTEÚDO - "...aos quais esteve presente e assim o fez. O terceiro livro do Evangelho é o de Lucas. Este Lucas, médico que depois da ascensão de Cristo foi levado por Paulo em suas viagens, escreveu sob seu nome as coisas que ouviu, uma vez que não chegou a conhecer o Senhor pessoalmente, e assim, à medida que tomava conhecimento, começou sua narrativa a partir do nascimento de João. O quarto Evangelho é o de João, um dos discípulos.

Questionado por seus condiscípulos e bispos, disse: "Andai comigo durante três dias a partir de hoje e que cada um de nós conte aos demais aquilo que lhe for revelado". Naquela mesma noite foi revelado a André, um dos apóstolos, que, de conformidade com todos, João escrevera em seu nome.

Assim, ainda que pareça que ensinem coisas distintas nestes distintos Evangelhos, a fé dos fiéis não difere, já que o mesmo Espírito inspira para que todos se contentem sobre o nascimento, paixão e ressurreição [de Cristo], assim como sua permanência com os discípulos e sobre suas duas vindas, depreciada e humilde na primeira (que já ocorreu) e gloriosa, com magnífico poder, na segunda (que ainda ocorrerá).

Portanto, o que há de estranho que João freqüentemente afirme cada coisa em suas epístolas dizendo: "O que vimos com nossos olhos e ouvimos com nossos ouvidos e nossas mãos tocaram, isto o escrevemos"? Com isso, professa ser testemunha, não apenas do que viu e ouviu, mas também escritor de todas as maravilhas do Senhor.

Os Atos foram escritos em um só livro. Lucas narra ao bom Teófilo aquilo que se sucedeu em sua presença, ainda que fale bem por alto da paixão de Pedro e da viagem que Paulo realizou de Roma até a Espanha.

Quanto às epístolas de Paulo, por causa do lugar ou pela ocasião em que foram escritas elas mesmas o dizem àqueles que querem entender: em primeiro lugar, a dos Coríntios, proibindo a heresia do cisma; depois, a dos Gálatas, que trata da circuncisão; aos Romanos escreveu mais extensamente, demonstrando que as Escrituras têm como princípio o próprio Cristo.

Não precisamos discutir sobre cada uma delas, já que o mesmo bem-aventurado apóstolo Paulo escreveu somente a sete igrejas, como fizera o seu predecessor João, nesta ordem: a primeira, aos Coríntios; a segunda, aos Efésios; a terceira, aos Filipenses; a quarta, aos Colossenses; a quinta, aos Gálatas; a sexta, aos Tessalonicenses; e a sétima, aos Romanos.

E, ainda que escreva duas vezes aos Coríntios e aos Tessalonicenses, para sua correção, reconhece - se que existe apenas uma Igreja difundida por toda a terra, pois da mesma forma João, no Apocalipse, ainda que escreva a sete igrejas, está falando para todas. Além disso, são tidas como sagradas uma [epístola] a Filemon, uma a Tito e duas a Timóteo; ainda que sejam filhas de um afeto e amor pessoal, servem à honra da Igreja Católica e à ordenação da disciplina eclesiástica. Correm também uma carta aos Laodicenses e outra aos Alexandrinos, atribuídas [falsamente] a Paulo, mas que servem para favorecer a heresia de Marcião, e muitos outros escritos que não podem ser recebidos pela Igreja Católica porque não convém misturar o fel com o mel.

Entre os escritos católicos, se contam uma epístola de Judas e duas do referido João, além da Sabedoria escrita por amigos de Salomão em honra do mesmo. Quanto aos apocalipses, recebemos dois: o de João e o de Pedro; mas, quanto a este último, alguns dos nossos não querem que seja lido na Igreja. Recentemente, em nossos dias, Hermas escreveu em Roma "O Pastor", sendo que o seu irmão, Pio, ocupa a cátedra de Bispo da Igreja de Roma.

É, então, conveniente que seja lido, ainda que não publicamente ao povo da Igreja, nem aos Profetas, cujo número já está completo , nem aos Apóstolos, por ter terminado o seu tempo. De Arsênio, Valentino e Melcíades não recebemos absolutamente nada; estes também escreveram um novo livro de Salmos para Marcião, juntamente com Basíledes da Ásia...

biCÂNONES - 367 d.C. - ANTIGAS LISTAS - Desde
os tempos remotíssimos, documentos episcopais, sinodais, e também papais, recusavam os apócrifos e davam a lista completa dos escritos canônicos. Assim por exemplo,

1 - a Carta Pascal de Santo Atanásio (367) relaciona todos os 27 livros do Novo Testamento, aí incluída a Epístola aos Hebreus, a segunda e a terceira de São João e a de São Judas Tadeu, sobre as quais havia antes algumas dúvidas.

2 - Em Santo Atanásio temos um testemunho autorizado do Oriente; no Ocidente temos a lista completa dos 45 livros do Antigo Testamento, e dos 27 do Novo no decreto do Papa São Damaso (382), lista que se repete nos Concílios de Hipona (393) e de Cartago (397) e na carta do Papa Inocêncio I a Exupério, bispo de Toulouse (405), e, bem mais tarde, no sínodo "in Trullo" de 692.

3 - Finalmente confirmado no C. deTrento de 1545 a 1563.

biCÂNONES - 367 d.C. - EPÍSTOLA 39 DE ATANÁSIO - "... 4. Há, portanto, 22 Livros do Antigo Testamento, número que, pelo que ouvi, nos foram transmitidos, sendo este o número citado nas cartas entre os Hebreus, sendo sua ordem e nomes respectivamente, como se segue: Primeiro, o Gênesis. Depois, o Êxodo. Depois, o Levítico. Em seguida, Números e, por fim, o Deuteronômio. Após esses, Josué, o filho de Nun. Depois, os Juízes e Rute. Em seguida, os quatro Livros dos Reis, sendo o primeiro e o segundo listados como um livro, o terceiro e o quarto também, como um só livro. Em seguida, o primeiro e o segundo Livros das Crônicas, listados como um só livro. Depois, Esdras, sendo o primeiro e o segundo igualmente listados num só livro. Depois desses, há o Livro dos Salmos, os Provérbios, o Eclesiastes e o Cântico dos Cânticos. O Livro de Jó. Os doze Profetas são listados como um livro. Depois Isaías, um livro. Depois, Jeremias com Baruc, Lamentações e a Carta [de Jeremias], num só livro. Ezequiel e Daniel, um livro cada. Assim se constitui o Antigo Testamento.

5. Não é tedioso repetir os [livros] do Novo Testamento. São os quatro Evangelhos, segundo Mateus, Marcos, Lucas e João. Em seguida, o Atos dos Apóstolos e as sete Epístolas [chamadas "católicas"], ou seja: de Tiago, uma; de Pedro, duas; de João, três; de Judas, uma. Em adição, vêm as 14 Cartas de Paulo, escritas nessa ordem: a primeira, aos Romanos, as duas aos Coríntios, uma aos Gálatas, uma aos Efésios, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas aos Tessalonicenses, uma aos Hebreus, duas a Timóteo, uma a Tito e, por último, uma a Filemon. Além disso, o Livro da Revelação de João.

6. Há fontes da salvação em que aqueles que têm sede podem saciar-se com as palavras vivas que contêm. Somente nelas está proclamada a doutrina divina. Que nenhum homem acrescente nada a elas, nem delas se apossem. Com respeito a isso, o Senhor envergonhou os Saduceus, dizendo: "Eles erram porque não conhecem a Escritura". Também reprovou os Judeus, dizendo: "Vejam as Escrituras porque elas são que dão testemunho de Mim".

7. Mas, para uma maior exatidão, acrescento também, escrevendo para não me omitir, que há outros livros, além desses, de fato não incluídos no Cânon, indicados pelos Padres para leitura por aqueles recém-admitidos entre nós e que desejam receber instrução sobre a Palavra de Deus: a Sabedoria de Salomão, a Sabedoria de Sirac, Ester e Judite, Tobias, bem como aqueles chamados Ensinamento dos Apóstolos e o Pastor. Quanto aos primeiros, meus irmãos, foram incluídos no Cânon; mas os últimos são [apenas] para leitura, não havendo em lugar nenhum menção a eles como sendo escritos apócrifos. Mas aqueles que são criação de heréticos, que os escreveram quando quiseram, aprovando-os eles próprios, datando-os de modo a usarem-nos como escrituras antigas, aqueles sim, se encontram em condições de desviarem as pessoas simples.

biCÂNONES - 371 d.C. - DECRETO GELASIANO - Muito se discute sobre a autoria do presente documento: para alguns, seria documento original do papa Dâmaso [366-384], oriundo do Concílio Regional de Roma de 371, já que seu conteúdo se identifica perfeitamente com os dados existentes sobre seu temperamento, pensamento e relacionamento interno e externo; para outros, teria sido redigido pelo papa Gelásio [492-496], em razão da nota acrescentada no início do cap. III, existente em uma recensão mais breve; para outros, ainda, seria obra de algum clérigo, muito provavelmente do início do séc. VI, que teria se servido de outro documento de base, este sim, da lavra de Dâmaso, que conteria o fundamento para os 3 primeiros capítulos.

Seja como for, de particular importância para nós é o capítulo II, que traz a lista completa dos livros que integram o Antigo e Novo Testamento. Repare-se que os livros deuterocanônicos (chamados de "apócrifos" pelos protestantes e, por este motivo, excluídos de suas Bíblia) encontram-se integrados ao cânon sagrado, fazendo eco, talvez (caso considere-se este decreto posterior ao papa Dâmaso), às decisões tomadas pelos concílios regionais de Cartago e Hipona.

I. RELAÇÕES DA SANTÍSSIMA TRINDADE

Aqui começa o Conselho de Roma, no tempo do Papa Dámaso,(Damásio) sobre a explicação da fé.

Foi dito:

1. Primeiramente, deve-se discutir os sete dons do Espírito se encontram em Cristo:

* O espírito da sabedoria: "Cristo, o poder e a sabedoria de Deus".
* O espírito do entendimento: "Darei a vós o entendimento e vos mostrarei o caminho que devem seguir".
* O espírito do conselho: "E seu nome é chamado 'mensageiro do valioso conselho'".
* O espírito das virtudes: conforme acima, "o poder de Deus e a sabedoria de Deus".
* O espírito do conhecimento: "Em razão da eminência do conhecimento do apóstolo de Cristo Jesus".
* O espírito da verdade: "Eu sou o caminho, a vida e a verdade".
* O espírito do temor de Deus: "O temor a Deus é o princípio da sabedoria".

2. Entretanto, a revelação de Cristo é denominada de diversas maneiras:

* Deus, que é espírito;
* O Verbo, que é Deus;
* O Filho, que é o unigênito do Pai;
* O homem, nascido da Virgem;
* O sacerdote, que ofereceu a si mesmo como sacrifício;
* O pastor, que é o guarda;
* [O alimento do] verme, que ressurgiu dos mortos;
* A montanha, que é forte;
* O caminho, que é reto;
* O refúgio, único que pode conduzir à vida;
* O cordeiro, que foi imolado;
* A pedra, que é angular;
* O mestre, que traz a vida;
* O sol, que dá a luz;
* A verdade, que provém do Pai;
* A vida, da qual é o Criador;
* O pão, cujo valor é inestimável;
* O samaritano, o qual é protetor e misericordioso;
* O Cristo, o Ungido [de Deus];
* Jesus, o Salvador;
* Deus, provindo de Deus;
* O mensageiro, que foi enviado;
* O noivo, que é o mediador;
* O vinho, cujo próprio sangue nos redimiu;
* O leão, que é rei;
* A rocha, que é o fundamento;
* A flor, que foi escolhida;
* O profeta, que revelou o futuro.

3. Quanto ao Espírito Santo, não provém só do Pai nem só do Filho, mas do Pai e do Filho; por isso está escrito: O que se deleita no mundo, o Espírito do Pai não está nele; e novamente: Quanto a todo aquele que não tenha o Espírito de Cristo, não lhe pertence. Deste modo se entende que o Espírito Santo seja nomeado Como do Pai e do Filho, sendo que o próprio Filho disse no Evangelho que o Espírito Santo procede do pai e por mim Ele é aceite e anunciado.


II. CÂNON DA SAGRADA ESCRITURA

Também foi dito:

Agora verdadeiramente devemos discutir sobre as Divinas Escrituras, quais são aceitas pela Igreja Católica no universo e quais devem ser rejeitadas.

1. Esta é a ordem do Antigo Testamento: Gênese, 1 livro; Êxodo, 1 livro; Levítico, 1 livro; Números, 1 livro; Deuteronômio, 1 livro; Josué, 1 livro; Juízes, 1 livro; Rute, 1 livro; Reis, 4 livros; Crônicas, 2 livros; 150 Salmos, 1 livro; 3 livros de Salomão: Provérbios, 1 livro; Eclesiastes, 1 livro; Cântico dos Cânticos, 1 livro; Outros: Sabedoria, 1 livro; Eclesiástico, 1 livro.

2. Semelhantemente, esta é a ordem dos profetas: Isaías, 1 livro; Jeremias, 1 livro, contendo o Cinoth, isto é, suas lamentações; Ezequiel, 1 livro; Daniel, 1 livro; Oséias, 1 livro; Amós, 1 livro; Miquéias, 1 livro; Joel, 1 livro; Obadias, 1 livro; Jonas, 1 livro; Nahum, 1 livro; Habacuc, 1 livro; Sofonias, 1 livro; Ageu, 1 livro; Zacarias, 1 livro; Malaquias, 1 livro.

3. Semelhantemente, esta é a ordem dos [livros] históricos: Jó, 1 livro; Tobias, 1 livro; Esdras, 2 livros; Ester, 1 livro; Judite, 1 livro; Macabeus, 2 livros.

4. Semelhantemente, esta é a ordem das Escrituras do Novo Testamento, sustentadas e veneradas pela santa e católica Igreja romana: 4 livros dos Evangelhos: segundo Mateus, 1 livro; segundo Marcos, 1 livro; segundo Lucas, 1 livro; segundo João, 1 livro; também os Atos dos Apóstolos, 1 livro; as epístolas do apóstolo Paulo, em número de 14: aos Romanos, 1 epístola; aos Coríntios, 2 epístolas; aos Efésios, 1 epístola; aos Tessalonicenses, 2 epístolas; aos Gálatas, 1 epístola; aos Filipenses, 1 epístola; aos Colossenses, 1 epístola; a Timóteo, 2 epístolas; a Tito, 1 epístola; a Filemon, 1 epístola; aos Hebreus, 1 epístola; também o Apocalipse de João, 1 livro; também as epístolas canônicas, em número de 7: do apóstolo Pedro, 2 epístolas; do apóstolo Tiago, 1 epístola; do apóstolo João, 1 epístola; do outro João, o ancião, 2 epístolas; do apóstolos Judas, o zelota, 1 epístola. Aqui se encerra o cânon do Novo Testamento.


III. PRIMAZIA DA SANTA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA


Também foi dito:

(Alguns manuscritos, de recensão mais breve, começam este ponto com o seguinte cabeçalho: "Aqui inicia o decreto 'sobre os livros que devem ou não devem ser recebidos', redigido pelo papa Gelásio e 70 dos mais eruditos bispos, reunidos em concílio apostólico na cidade de Roma")

1. Após termos discutido sobre os Escritos dos profetas e as Escrituras evangélicas e apostólicas acima, sobre os quais a Igreja Católica está fundada pela graça de Deus, também achamos necessário dizer, embora a Igreja Católica universalmente esteja difundida sobre todo o mundo, sendo a única noiva de Cristo, que à Santa Igreja romana é dado o primeiro lugar sobre as demais igrejas, não por decisão sinodal, mas sim pela voz do Senhor, nosso Salvador, pois no Evangelho obteve a primazia: "Tu és Pedro" - Ele disse - "e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja e as portas do Inferno não prevalecerão contra ela; e te darei as chaves do Reino dos Céus e tudo o que ligardes sobre a Terra será também ligado no Céu, e tudo o que desligardes sobre a Terra será também desligado no Céu".

2. Somou-se também a presença do bem-aventurado Apóstolo Paulo, o vaso escolhido, que não em oposição como dizem os hereges teimosos, mas ao mesmo tempo e no mesmo dia, foi coroado com uma morte gloriosa junto com Pedro na cidade de Roma, padecendo junto com Pedro na cidade de Roma sob César Nerón; e juntos consagraram para Cristo o Senhor à mencionada Santa Igreja de Roma e deram-lhe preferência com a sua presença e triunfos dignos de veneração ante todas as outras cidades no mundo inteiro.
3. Portanto, primeira é a cátedra da Igreja romana, do apóstolo Pedro, por não haver qualquer mancha, ruga ou qualquer outro [defeito]. Porém, o segundo lugar foi concedido, em nome do bem-aventurado Pedro, a Marcos, seu discípulo e autor do Evangelho, para Alexandria. Ele mesmo escreveu a Palavra da Verdade, no Egito, conforme [ouvira do] apóstolo Pedro; lá foi gloriosamente consumada [sua vida] no martírio. O terceiro lugar é guardado por Antioquia, do bem-aventurado e venerável apóstolo Pedro, que ali viveu antes de vir à Roma e onde pela primeira vez foi ouvido o nome da nova raça: "cristãos".


IV - ESCRITOS QUE PODEM SER RECEBIDOS


E embora nenhum outro fundamento possa estabelecer-se, senão aquele que foi estabelecido, Cristo Jesus, porém, para edificação, depois dos livros do, Velho e do Novo Testamento previamente enumerados de acordo com o cânone, a Santa Igreja Romana não proíbe receber os escritos seguintes:
1. o Concílio de Nicea, constituído por 318 bispos e presidido pelo imperador Constantino o Grande, no qual foi condenado o herege Arrio; o Santo Concílio de Constantinopla, presidido pelo imperador Teodósio o Velho, em que o herege Macedónio se livrou da sua merecida condenação; o Santo Concílio de Êfeso, no qual Nestório foi condenado com o consentimento do bem-aventurado Papa Celestino, presidido por Cirilo de Alexandria no assento do magistrado, e por Arcádio, o bispo enviado de Itália.
O Santo Concílio de Calcedónia, presidido pelo imperador Marciano, e por Anatólio, o bispo de Constantinopla, no qual as hereges Nestoriana e Eutiquiana, juntamente, com Dióscoro e o seus simpatizantes, foram condenados.
2. Mas como também há concílios apoiados até agora pelos Santos Padres, de menor autoridade que estes quatro, nós decretamos que estes devem ser mantidos e recebidos. Em continuação juntamos as obras dos Santos Padres que são recebidos na Igreja Católica:
igualmente, as obras do bem-aventurado bispo Cecílio Cipriano, mártir e bispo de Cartago;
igualmente, as obras do bem-aventurado bispo Gregório Nazianceno;
igualmente, as obras do bem-aventurado Basílio, bispo de Capadocia,;
igualmente, as obras do bem-aventurado João, bispo da Constantinopla,;
igualmente, as obras do bem-aventurado Teófilo, bispo de Alexandria,;
igualmente, as obras do bem-aventurado Círilo, bispo de Alexandria,;
igualmente, as obras do bem-aventurado bispo Hilário Pictaviense;
igualmente, as obras do bem-aventurado Ambrósio, bispo de Milão;
igualmente, as obras do bem-aventurado Augusto, bispo de Hipona;
igualmente, as obras do bem-aventurado sacerdote Jerónimo;
igualmente, as obras do bem-aventurado Próspero, um homem extremamente religioso;
3. igualmente, a epístola do bem-aventurado Papa León (Leão) destinada a Flaviano, bispo de Constantinopla; mas se alguma parte de seu texto for contestada, não sendo aquela que foi recebida por todos desde a antiguidade, seja anátema; igualmente, as obras e todos os tratados dos padres ortodoxos que não se desviaram em nada do [ensino] comum da Santa Igreja Romana, e que nunca se separaram da fé e adoração, mantendo-se em comunhão pela graça de Deus até ao último dia das suas vidas,decretamos que sejam lidos; igualmente, os decretos e epístolas oficiais que os bem-aventurados papas enviaram de Roma, por consideração a vários padres e em diversas épocas, devem ser mantidas com reverência;
4. igualmente, as atas dos Santos Mártires, que receberam a glória pelas suas múltiplas torturas e as suas maravilhosas vitórias de persistência. Que católico duvida que a maioria deles tiveram de suportar agonias com todas as suas forças, e resistiram pela graça de Deus e a ajuda dos restantes? Mas, de acordo com um costume antigo, por precaução não se lêem na Santa Igreja Romana, porque los nomes de quem as escreveu não são conhecidos com propriedade e não é possível separá-los dos não crentes e idiotas; ou porque o que declaram é de ordem inferior aos eventos ocorridos; por exemplo, as atas de Quirício y Julita, assim como as de Jorge, e os sofrimentos de outros como estes, que parecem ter sido compostas por hereges. Por esta razão, tal como se disse, para no dar pretexto à burla casual, não são lidas na Santa Igreja Romana. No entanto, veneramos em conjunto com a mencionada Igreja a todos os mártires e seus gloriosos sofrimentos, que são mais conhecidos por Deus que pelos homens, com toda a devoção; igualmente, as vidas dos padres Paulo, António e Hilário, assim como todos os eremitas, que são descritas pelo bem-aventurado homem Jerônimo, recebêmo-las com honra; igualmente, as atas do bem-aventurado Silvestre, bispo da cadeira apostólica, que são permitidas ainda que se desconheça o seu autor, já que sabemos que são lidas por muitos católicos inclusive da cidade de Roma, e também pelo uso antigo das gerações, que é imitado pela igreja; igualmente, os escritos sobre a descoberta da cruz, e outras novelas sobre a descoberta da cabeça de João Baptista, que são romances e alguns deles são lidos por católicos; mas quando estes cheguem ás mãos de católicos, deve considerar-se primeiro o que disse o Apóstolo Paulo: Examinai todas as coisas, retendo o que seja bom; igualmente, Rufino, um homem sumamente religioso, que escreveu vários livros sobre as obras eclesiásticas e algumas interpretações das escrituras; contudo, desde que o venerável Jerônimo demonstrou que fez uso de certas liberdades arbitrárias nalguns desses livros, consideramos como aceitáveis aqueles que o bem-aventurado Jerônimo, anteriormente citado, considerava como aceitáveis; e não só os de Rufino, mas também aqueles de qualquer um que seja recordado pelo seu zelo por Deus e criticado pela fé na religião; igualmente, algumas obras de Orígenes, que o bem-aventurado homem Jerônimo não recusou, recebêmo-las para serem lidas, mas dizemos que o restante de sua autoria deve recusar-se; igualmente, a Crônica de Eusébio de Cesaria e os livros da sua História Eclesiástica, já que ainda que haja muitas coisas duvidosas no primeiro livro de sua narração e logo tenha escrito um livro elogiando e desculpando o cismático Orígenes, no entanto, considerando que na sua narração há coisas destacáveis e úteis para a instrução, no diremos a ninguém que devam recusar-se; igualmente, elogiamos Osório, um homem sumamente erudito, que nos escreveu una história muito necessária contra as calúnias dos pagãos e de uma brevidade maravilhosa; igualmente, a obra pascal do venerável homem Sedúlio, que foi escrita com versos heróicos e merece um elogio significativo; igualmente, a incrível e laboriosa obra de Juvêncio, que não desdenhamos, mas que nos assombramos com ela.


LISTA DE APÓCRIFOS


V. Os restantes escritos que foram compilados ou reconhecidos pelos hereges ou cismáticos, a Igreja Católica Apostólica Romana não recebe de nenhuma maneira; destes consideramos correto citar alguns que passaram de geração em geração e que são recusados pelos católicos:

Igualmente, lista de livros apócrifos:

1. Lista de livros apócrifos: primeiro, o sínodo de Sirmium, convocado por Constâncio César, filho de Constantino, e moderado pelo prefeito Tauro, que foi, é e sempre será condenado. A viagem em nome do apóstolo Pedro, que é chamado de nono livro de São Clemente: apócrifo. Os atos em nome do apóstolo André: apócrifo. Os atos em nome do apóstolo Tomé: apócrifo. Os atos em nome do apóstolo Pedro: apócrifo. Os atos em nome do apóstolo Filipe: apócrifo. O evangelho em nome de Matias: apócrifo. O evangelho em nome de Barnabé: apócrifo. O evangelho em nome de Tiago Menor: apócrifo. O evangelho em nome do apóstolo Pedro: apócrifo. O evangelho em nome de Tomé, usado pelos maniqueus: apócrifo. Os evangelhos em nome de Bartolomeu: apócrifos. Os evangelhos em nome de André: apócrifos. Os evangelhos falsificados por Luciano: apócrifos. Os evangelhos falsificados por Hesíquio: apócrifos. O livro sobre a infância do Salvador: apócrifo. O livro da natividade do Salvador e de Maria ou "A Parteira": apócrifo. O livro que é chamado de "O Pastor": apócrifo. Todos os livros da pena de Leúcio, discípulo do diabo: apócrifos. O livro chamado de "A Fundação": apócrifo. O livro chamado de "O Tesouro": apócrifo. O livro das filhas de Adão Leptogeneseos: apócrifo. O centão de Cristo incluído com versos de Virgílio: apócrifo. O livro que é chamado "Atos de Tecla e Paulo": apócrifo. O livro que é chamado de "Nepos": apócrifo. Os livros de Provérbios escritos por hereges e assinalados anteriormente com o nome de Santo Sisto: apócrifo. A Revelação dita de Paulo: apócrifo. A Revelação dita de Tomé: apócrifo. A Revelação dita de Estevão: apócrifo. O livro chamado de "Assunção de Santa Maria": apócrifo. O livro chamado de "A Penitência de Adão": apócrifo. O livro sobre Gog, o gigante que após o dilúvio lutou com o dragão, segundo os hereges: apócrifo. O livro chamado "Testamento de Jó": apócrifo. O livro chamado "A Penitência de Orígenes": apócrifo. O livro chamado "A Penitência de São Cipriano": apócrifo. O livro chamado "A Penitência de Jamne e Mambre": apócrifo. O livro chamado "A Fortuna dos Apóstolos": apócrifo. O livro chamado "Lusa dos Apóstolos": apócrifo. O livro chamado "Cânon dos Apóstolos": apócrifo. "O Fisiólogo", escrito por hereges e assinalado com o nome do bem-aventurado Ambrósio: apócrifo. A "História" de Eusébio Pampilo: apócrifo. As obras de Tertuliano: apócrifas. As obras de Lactâncio, também conhecido como Firmiano: apócrifas. As obras de Africano: apócrifas. O opúsculo "Potumiano e Gallo": apócrifo. As obras de Montano, Priscila e Maximila: apócrifas. As obras de Fausto, o maniqueu: apócrifas. As obras de Comodiano: apócrifas. As obras do outro Clemente de Alexandria: apócrifas. As obras de Táscio Cipriano: apócrifas. As obras de Arnóbio: apócrifas. As obras de Ticônio: apócrifas. As obras de Cassiano, sacerdote gaulês: apócrifas. As obras de Vitorino Petavionense: apócrifas. As obras de Fausto Regiense Galliaro: apócrifas. As obras de Frumêncio Cego: apócrifas. A carta de Jesus a Abgaro: apócrifa. A carta de Abgaro a Jesus: apócrifa. A Paixão dos Ciricianos e Julitanos: apócrifa. A Paixão dos Georgianos: apócrifa. Os escritos chamados de "Interdição de Salomão": apócrifos. Todos os filatérios que não provêm dos anjos, como pretendem alguns, mas foram escritos em nome dos piores demônios: apócrifos.

2. Estas e outras obras similares, tais como as de Simão Mago, Nicolau, Cerinto, Marcião, Basílides, Ebion, Paulo de Samósata, Fotino e Bonóso, que sofrem de erros similares, bem como Montano e suas obscenas seguidoras, Apolinário, Valentino Maniqueu, Fausto Africano, Sabélio, Ário, Macedônio, Eunômio, Novato, Sabácio, Calisto, Donato, Eustácio, Joviano, Pelágio, Juliano de Eclanum, Celéstio, Maximiano, Prisciliano da Espanha, Nestório de Constantinopla, Máximo Cínico, Lampécio, Dióscoro, Êutiques, Pedro e o outro Pedro - um desgraçou a Alexandria e o outro, a Antioquia - Acácio de Constantinopla e seus partidários, e ainda todos os discípulos da heresia, dos hereges e dos cismáticos, cujos nomes quase não foram preservados, que ensinaram ou compilaram [o erro], confirmamos que não devem meramente ser rejeitados mas também eliminados de toda a Igreja Católica e Apostólica romana, sendo que os autores e seguidores desses autores devem ser amaldiçoados com a corrente inquebrável do anátema eterno.

biCÂNONES - 371 d.C. - DEUTEROCANÔNICOS - DECRETO GELASIANO - Ver paGELÁSIO - DECRETO GELASIANO - CÂNON BÍBLICO - Muito se discute sobre a autoria do presente documento: para alguns, seria documento original do papa Dâmaso [366-384], oriundo do Concílio Regional de Roma de 371, já que seu conteudo se identifica perfeitamente com os dados existentes sobre seu temperamento, pensamento e relacionamento interno e externo; para outros, teria sido redigido pelo papa Gelásio [492-496], em razão da nota acrescentada no início do cap. III, existente em uma recensão mais breve; para outros, ainda, seria obra de algum clérigo, muito provavelmente do início do séc. VI, que teria se servido de outro documento de base, este sim, da lavra de Dâmaso, que conteria o fundamento para os 3 primeiros capítulos.

Seja como for, de particular importância para nós é o capítulo II, que traz a lista completa dos livros que integram o Antigo e Novo Testamento. Repare-se que os livros deuterocanônicos (chamados de "apócrifos" pelos protestantes e, por este motivo, excluídos de suas Bíblia) encontram-se integrados ao cânon sagrado, fazendo eco, talvez (caso considere-se este decreto posterior ao papa Dâmaso), às decisões tomadas pelos concílios regionais de Cartago e Hipona. A propósito, ver o comparativo apresentado em Testemunhos primitivos sobre o cânon bíblico.

De importância secundária é a aprovação da literatura de certos padres comprometidos com a ortodoxia (o que suportará a Sagrada Tradição) e a condenação dos escritos de hereges e cismáticos, cujas opiniões de muitos deles são revividas ainda nos dias de hoje (ex.: arianismo, nestorianismo etc.), com a expansão de inumeráveis seitas cristãs e não-cristãs.

Prof.Nabeto

biCÂNONES - 382 d.C. - CONCÍLIO DE ROMA - "Tratemos agora sobre o que sente a Igreja Católica universal, bem como o que se dever ter como Sagradas Escrituras:

.............................................................. sub-totais......... totais.
um livro do Gênese,
um livro do Êxodo,
um livro do Levítico,
um livro dos números,
um livro do Deuteronômio;.................... 5

um livro de Josué,
um livro dos Juízes,
um livro de Rute;
quatro livros dos Reis13,
dois dos Paralipômenos;
um livro do Saltério;
livros de Salomão:
um dos Provérbios,
um do Eclesiastes e
um do Cântico dos Cânticos;.................13

outros:

um da Sabedoria,
um do Eclesiástico.
Um de Isaías,
um de Jeremias com
um de Baruc e mais suas
Lamentações,
um de Ezequiel,
um de Daniel;
um de Joel,
um de Abdias,
um de Oséias,
um de Amós,
um de Miquéias,
um de Jonas,
um de Naum,
um de Habacuc,
de Sofonias,
um de Ageu,
um de Zacarias,
um de Malaquias.
Um de Jó, x
um de Tobias, x
um de Judite, x
um de Ester, x
dois de Esdras, x
dois dos Macabeus.....................................28..................46

Um evangelho segundo Mateus,
um segundo Marcos,
um segundo Lucas,
um segundo João. .......................................4
[Epístolas:]
a dos Romanos, uma;
a dos Coríntios, duas;
a dos Efésios, uma;
a dos Tessalonicenses, duas;
a dos Gálatas, uma;
a dos Filipenses, uma;
a dos Colossences, uma;
a Timóteo, duas;
a Tito, uma;
a Filemon, uma;
aos Hebreus, uma.
Apocalipse de João apóstolo; um,
Atos dos Apóstolos, um...............................16

[Outras epístolas:]
de Pedro apóstolo, duas;
de Tiago apóstolo, uma;
de João apóstolo, uma;
do outro João presbítero, duas14;
de Judas, o zelota, uma. .................................7..(27)..........73

(Catálogo dos livros sagrados, composto durante o pontificado de São Dâmaso [366-384], no Concílio de Roma de 382)

biCÂNONES - 388 d.C. - CONCÍLIO DE ROMA -

II. Também foi dito:

Agora devemos tratar sobre as Divinas Escrituras, as que são aceitas pela Igreja Católica Universal e as que se devem recusar.

1. Começa pela ordem do Antigo Testamento:


Gênesis = 1 Livro
Êxodo = 1 Livro
Levítico = 1 Livro
Números = 1 Livro
Deuteronômio = 1 Livro
Jesus Navé (Josué) = 1 Livro
Juízes = 1 Livro
Rute = 1 Livro
Reis = 4 Livro
Paralipômenos (Crônicas) = 2 Livro
150 Salmos = 1 Livro
Três livros de Salomão
Provérbios = 1 Livro
Eclesiastes = 1 Livro
Cântico dos Cânticos = 1 Livro
Igualmente, Sabedoria = 1 Livro
Eclesiástico= 1 Livro

2. A seguir a ordem dos Profetas:

Isaías = 1 Livro
Jeremias, considerado um livro com Cinoth, quer dizer, suas lamentações = 1 Livro
Ezequiel = 1 Livro
Daniel = 1 Livro
Oséias = 1 Livro
Amós = 1 Livro
Miquéias = 1 Livro
Joel = 1 Livro
Abdias = 1 Livro
Jonas = 1 Livro
Naum = 1 Livro
Habacuc = 1 Livro
Sofonías = 1 Livro
Ageu = 1 Livro
Zacarias = 1 Livro
Malaquias= 1 Livro

3. A seguir a ordem dos (livros) históricos:

Jó = 1 Livro
Tobias = 1 Livro
Esdras = 2 Livro
Ester = 1 Livro
Judite = 1 Livro
Macabeus = 2 Livro

4. A seguir a ordem das Escrituras do Novo Testamento, que a Santa Igreja Católica Romana aceita e venera:

Quatro livros dos Evangelhos:
Segundo Mateus = 1 Livro
Segundo Marcos = 1 Livro
Segundo Lucas = 1 Livro
Segundo João = 1 Livro
Igualmente, os Atos dos Apóstolos = 1 Livro
As epístolas do Apóstolo Paulo, no número de quatorze:
Aos Romanos = 1 Epístola
Aos Coríntios = 2 Epístola
Aos Efésios = 1 Epístola
Aos Tessalonicenses = 2 Epístola
Aos Gálatas = 1 Epístola
Aos Filipenses = 1 Epístola
Aos Colossenses = 1 Epístola
A Timóteo = 2 Epístola
A Tito = 1 Epístola
A Filemon = 1 Epístola
Aos Hebreus = 1 Epístola
Igualmente, o Apocalipse de João = 1 Livro
Igualmente, As epístolas canônicas, em número de sete:
Do Apóstolo Pedro = 2 Epístola
Do Apóstolo Tiago = 1 Epístola
Do Apóstolo João = 1 Epístola
De outro João, presbítero = 2 Epístola
Do Apóstolo Judas, o Zelote = 1 Epístola

Aqui termina o cânon do Novo Testamento.

Lista de apócrifos

V. Os demais escritos que foram compilados ou reconhecidos pelos hereges ou cismáticos, a Igreja Católica Apostólica Romana não recebe de maneira alguma; destes consideramos correto citar a continuação de alguns que foram passado de geração em geração e que são recusados pelos católicos:

Igualmente, a lista de livros apócrifos:

Em primeiro lugar, o Concilio de Sirmio, convocado por César Constâncio, filho de Constantino e presidido pelo Prefeito Tauro, que foi e sempre será condenado;


O Itinerário em nome do Apóstolo Pedro, que é chamado livro nove de São Clemente
Os Atos em nome do Apóstolo André
Os Atos em nome do Apóstolo Tomás
Os Atos em nome do Apóstolo Pedro
Os Atos em nome do Apóstolo Felipe
O Evangelho em nome de Matias
O Evangelho em nome de Barnabé
O Evangelho em nome de Tiago o menor
O Evangelho em nome de Pedro
O Evangelho em nome de Tomás, usado pelos maniqueus
O Evangelho em nome de Bartolomeu
O Evangelho em nome de André
Os Evangelhos falsificados por Luciano
Os Evangelhos falsificados por Hesiquio
O livro sobre a infância do Salvador
O livro sobre a nascimento do Salvador e Maria
O livro do PASTOR DE HERMAS
Todos os livros feitos por Leucio, discípulo do diabo
O livro que é chamado A Fundação
O livro que é chamado O Tesouro
O livro das filhas de Adão Leptogeneseos (Livro dos Jubileus)
O Sermão sobre Cristo, colocado nos versos de Virgilio
O livro que é chamado Atos de Tecla e Paulo
O livro que é chamado de Nepote
O livro de Proverbios, escrito por hereges e pré-assinado com o nome de São Sixto
As Revelações que são chamadas de Paulo
As Revelações que são chamadas de Tomás
As Revelações que são chamada de Estevão
O livro que é chamado Assunção de Santa Maria
O livro que é chamado Penitência de Adão
O livro sobre Gog, o gigante que lutou contra o dragão depois do dilúvio, segundo afirmam os hereges
O livro que é chamado Testamento de Jó
O livro que é chamado Penitência de Orígenes
O livro que é chamado Penitência de São Cipriano
O livro que é chamado Penitência de Jamne e Mambre
O livro que é chamado Sorte dos Apóstolos
O livro que é chamado Louvores dos Apóstolos
O livro que é chamado Cânones dos Apóstolos
O livro O Fisiólogo, escrito por hereges e pré-assinado com nome de bem-aventurado Ambrósio
As Histórias de Eusébio Pánfilo
As obras de Tertuliano
As obras de Lactancio, também conhecido como Firmiano
As obras de Africano
As obras de Postumiano e Gallo
As obras de Montano, Priscila e Maximila
As obras de Fausto, o maniqueu
As obras de Comodiano
As obras do outro Clemente, de Alexandria
As obras de Tascio Cipriano
As obras de Arnobio
As obras de Ticônio
As obras de Cassiano, sacerdote de Galia
As obras de Victorino de Petabio
As obras de Fausto, regente de Galia
As obras de Frumêncio o cego
A Epístola de Jesus a Abgaro
A Epístola de Abgaro a Jesus
A Paixão de Quiricio e Julita
A Paixão de Jorge
Os escritos que são chamados Interdito de Salomão
Todas os escritos que foram compostos, em nome dos anjos como alguns acham, mas no nome dos maiores demônios

Estes e outros escritos similares como os de Simão o Mago, Nicolás, Cerinto, Marcião, Basílides, Ebion, Paulo de Samosata, Fotino e Bonoso que adoeceram de erros similares, também Montano com seus seguidores obscenos, Apolinaro, Valentino o maniqueu , Fausto Africano, Sabelio, Arrio, Macedonio, Eunomio, Novato, Sabacio, Calisto, Donato, Eustacio, Joviano, Pelagio, Juliano de Eclana, Celestio, Maximiano, Prisciliano da Espanha, Nestório de Constantinopla, Máximo Cínico, Lampecio, Dióscoro, Eutiques, Pedro e o outro Pedro, um que desgraçou Alexandria e o outro Antioquía, Acacio de Constantinopla e seus partidários e todos os discípulos da heresia e dos hereges e os cismáticos, cujos nomes apenas foram preservados, que ensinaram ou escreveram, e não são somente repudiados por toda a Igreja Católica Apostólica Romana, mas que devem ser removidos os autores e seus seguidores, e condenados com o indissolúvel vínculo de anátema eterno.

No final do século II d.C. já existia em Roma um cânon o ‘fragmento de Muratori’, documento que contêm a lista dos livros do Novo Testamento que a Igreja de Roma considerava e aceitava como inspirados.

Mais tarde o Concilio de Cartago (397) vai determinar com a presença de Santo AGOSTINHO entre outros grandes Padres o Cânon das Escrituras e este Concilio define em seu Cânon 186, 36

“Fora as Escrituras canônicas, nada deve ser lido na Igreja sob o nome de Escrituras divinas, Pois bem, as Escrituras canônicas são: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Jesus Navé, Juízes, Rute, quatro livros dos Reis, dois livros dos Paralipômenos, Jó, Psaltério de David, Cinco livros de Salomão, doze livros dos profetas, Isaías, Jeremias, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros dos Macabeus. Do Novo Testamento: Quatro livros dos Evangelhos, um livro dos Atos dos Apóstolos, treze Epístolas de Paulo Apóstolo, do mesmo uma aos Hebreus, dois de Pedro, três de João , uma de Tiago, uma de Judas, Apocalipse de João. Sobre a confirmação deste cânon consulte-se a Igreja transmarina. Seja lícito também ler as paixões dos mártires, quando se celebram seus aniversários.”

biCANONES - 393 D.C. - CONCILIO REG. DE HIPONA - "Cânon 36 - Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome 'Divinas Escrituras'. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos1, dois livros dos Paralipômenos2, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão3, doze livros dos Profetas4, Isaías, Jeremias5, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras6 e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos7, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo8, uma do mesmo aos Hebreus9, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João.10 Sobre a confirmação deste cânon se consultará a Igreja do outro lado do mar11. É também permitida a leitura das Paixões dos mártires na celebração de seus respectivos aniversários12" (Concílio de Hipona, 08.Out.393).

biCÂNONES - 397 E 419 D.C. - CONCÍLIO DE CARTAGO - "Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome 'Divinas Escrituras'. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos, dois livros dos Paralipômenos, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão, doze livros dos Profetas, Isaías, Jeremias, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo, uma do mesmo aos Hebreus, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João12. Isto se fará saber também ao nosso santo irmão e sacerdote, Bonifácio, bispo da cidade de Roma, ou a outros bispos daquela região, para que este cânon seja confirmado, pois foi isto que recebemos dos Padres como lícito para ler na Igreja" (Concílio de Cartago III (397) e Concílio de Cartago IV (419)).

biCÂNONES - 405 d.C. - CARTA DE INOCENIO I - "Quais os livros aceitos no cânon das Escrituras, o breve apêndice o mostra: Cinco livros de Moisés, isto é, Gênese, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Um livro de Josué, filho de Num; um livro dos Juízes; quatro livros dos Reinos; e Rute. Dezesseis livros dos Profetas; cinco livros de Salomão; o Saltério. Livros históricos: um de Jó, um de Tobias, um de Ester, um de Judite, dois dos Macabeus, dois de Esdras, dois dos Paralipômenos. Do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos; quatorze epístolas do apóstolo Paulo, três de João, duas de Pedro, uma de Judas, uma de Tiago; os Atos dos Apóstolos; e o Apocalipse de João"" (papa Inocêncio I, 20.02.405; Carta ""Consulenti Tibi"" a Exupério, bispo de Tolosa).

biCÂNONES - 495 d.C. - DECRETO GELASIANO - "Devemos agora tratar das Escrituras Divinas. Vejamos o que a Igreja Católica universalmente aceita e o que deve ser evitado:

(1) Começa a ordem do Antigo Testamento: um livro da Gênese, um do Êxodo, um do Levítico, um dos Números, um do Deuteronômio, um de Josué (filho de Nun), um dos Juízes, um de Rute, quatro livros dos Reis, dois dos Paralipômenos, um livro de 150 Salmos, três livros de Salomão (um dos Provérbios, um do Eclesiastes, e um do Cântico dos Cânticos). Ainda um livro da Sabedoria e um do Eclesiástico.

(2) A ordem dos Profetas: um livro de Isaías, um de Jeremias com Cinoth (isto é, as suas Lamentações), um livro de Ezequiel, um de Daniel, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Joel, um de Abdias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias e um de Malaquias.

(3) A ordem dos livros históricos: um de Jó, um de Tobias, dois de Esdras, um de Ester, um de Judite e dois dos Macabeus.

(4)A ordem das escrituras do Novo Testamento, que a Santa e Católica Igreja Romana aceita e venera são: quatro livros dos Evangelhos (um segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas e um segundo João). Ainda um livro dos Atos dos Apóstolos. As 14 epístolas de Paulo Apóstolo: uma aos Romanos, duas aos Coríntios, uma aos Efésios, duas aos Tessalonicenses, uma aos Gálatas, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas a Timóteo, uma a Tito, uma a Filemon e uma aos Hebreus. Ainda um livro do Apocalipse de João. Ainda sete epístolas canônicas: duas do Apóstolo Pedro, uma do Apóstolo Tiago, uma de João Apóstolo, duas epístolas do outro João (presbítero) e uma de Judas Apóstolo (o zelota)" (papa S. Gelásio, ~495; Decreto Gelasiano; repetido em 520 pelo papa S. Hormisdas. Seguido também pelo Concílio Ecumênico de Florença15 [1438-1445], e novamente ratificado pelos Concílio de Trento16 [1546-1563] e Vaticano I [1870])).


biCÂNONES - LC 11,61 - A falácia de usar Lc 11,51 para "demonstrar" o cânon bíblico do AT não explica porque os apócrifos "livro dos segredos de Adão e Eva", ou o "Livro de Enoch", ou tantos outros componentes da literatura judaica e do NT não fazem parte das Escrituras - conseqüência lógica de raciocínio extra-bíblico utlizado como desculpa por protestantes desonestos em admitr a importância da Tradição em suas doutrinas furadas (Pedro Elisio)



biCÂNONES - LEMBRETE - 



Antiga Siríaca - Todos exceto: 2Pedro, 2 e 3 João, Judas e Apocalipse.



Antiga Latina - Todos exceto: Hebreus, Tiago, 1 e 2Pedro.



Canon Muratório = Antiga Latina



Códice Barocócio - TODOS exceto Ester, no AT e Apocalipse no NT
'
biCÂNONES - LEMBRETE - Antiga Siríaca - Todos exceto: 2Pedro, 2 e 3 João, Judas e Apocalipse.Antiga Latina - Todos exceto: Hebreus, Tiago, 1 e 2Pedro.Canon Muratório = Antiga LatinaCódice Barocócio - TODOS exceto Ester, no AT e Apocalipse no NT

biCÂNONES - NOVO TESTAMENTO - PRIMEIROS CATÁLOGOS DO NOVO TESTAMENTO.
No ano 200 d.C. ao ano 400 d.C. graças aos Católicos, publicaram-se aproximadamente quinze ou dezesseis catálogos de livros do Novo Testamento, vejamos alguns:
• O Fragmento Muratoriano ou Cânon de Muratori – É o mais antigo documento sobre o Cânon do Novo Testamento, escrito por volta do ano 150 d.C. Uma cópia do original, datada do século VIII, foi descoberta pelo padre Italiano Ludovico Antônio Muratori em 1740 na Livraria Ambrosiana, em Milão. Fala do Papa Pio I, (bispo de Roma de 143 a 155 d.C.) irmão de Hermas, como se fosse contemporâneo. O fragmento traduzido do grego principia por Lucas como “terceiro Evangelho”, subentendendo os outros dois e cita todos os livros do Novo Testamento, com exceção das cartas: Hebreus, Tiago, I e II Pedro e II e III de João. Pelo manuscrito pode-se distinguir os livros que eram lidos publicamente na Igreja, os que algumas pessoas queriam que fossem lidos, os desprezados e os que eram lidos particularmente. (cf. Anexo I ).
• S. Clemente de Alexandria († 215 d.C.) – (segundo Eusébio de Cesaréia) No princípio do século III, faz a distinção entre “o Ecvangelho” e “o Apóstolo”, reconhece quatorze Cartas de S. Paulo, inclusive “Hebreus”, omite as Cartas de Tiago, II Pedro e III João.• Orígenes († 254 d.C.) – (segundo Eusébio de Cesaréia), lista do todos os livros do Novo Testamento, exceto as Cartas de Tiago e Judas, aos quais se refere em outra parte.
• Eusébio Panfílio – (315 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, relata porém que há contestação da parte de alguns a respeito das Cartas de Tiago, Judas, II Pedro, II e III João.
• S. Atanássio († 337 d.C) - (315 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento. Fala da obra O Pastor de Hermas, como útil, mas não como canônico.
• S. Cirilo de Jerusalém († 386 d.C) – (315 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, exceto o Apocalipse de S. João, os livros contestados de que fala Eusébio já são neste tempo geralmente aceitos.
• Concílio de Laodicéia – (364 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, com exceção do Apocalipse.
• Epifânio de Salamis – (370 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento.
• Gregório Nazianzeno († 389 d.C.) – (375 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, menos o Apocalipse.
• Anfilóquio de Icônio – (380 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, mas diz que a maioria exclui o Apocalipse.
• Filástrio de Bréscia – (380 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, menciona treze Cartas de S. Paulo e a Carta aos Hebreus, dizendo sobre a mesma, que alguns duvidam que seja de autoria de S. Paulo, diz também que outros negam que sejam de S. João o Evangelho e o Apocalipse.
• Concílio de Catargo II – (397 d.C.) Foi um Concílio regional da Igreja, ao qual S. Agostinho († 430 d.C.) assistiu, cita todos os livros do Novo Testamento, sendo as atas deste Concílio muito importantes pelo seu testemunho histórico.
• S. Jerônimo († 420 d.C.) – (382 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, diz que a Carta aos Hebreus é colocada por muitos fora dos escritos de S. Paulo.
• Rufino de Aquiléia – (390 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento.
• S. Agostinho († 430 d.C.) – Lista do todos os livros do Novo Testamento, refere-se à Carta aos Hebreus como sendo de S. Paulo.
• S. João Crisóstomo († 407 d.C.) – Numa sinopse que lhe atribuem, enumera quatorze Cartas de S. Paulo, os quatro Evangelhos, os Atos dos Apóstolos e três Epístolas Católicas, omitindo o restante dos livros.

biCÂNONES - QUMRAN CONFIRMA CÂNON CATÓLICO - Recentemente, porém, graças às descobertas de Qûmram, mais conhecidos como Manuscritos do Mar Morto, o cânon tradicional católico foi mais uma vez confirmado, porque se descobriu que aquela comunidade hebraica mais antiga dispunha de uma coleção semelhante à tradução dos Setenta. Ou seja, não foram os alexandrinos que ampliaram o catálogo dos Livros Sagrados, mas a Escola de Jâmnia que o reduziu.Portanto se vê claramente, inclusive pelas pesquisas mais recentes, que o cânon da Igreja sempre foi o correto. Qualquer historiador honesto reconheceria isto.

biCÂNONES - VELHO TESTAMENTO - Retrospecto histórico: Na época de Jesus, os hebreus não possuíam um cânone de livros inspirados.
O primeiro esboço de um cânone se acha no prólogo do Eclesiástico: "A Lei, os profetas e os outros escritos". A Lei é certamente a Torá, ou Pentateuco, que provavelmente adquiriu sua forma definitiva no tempo de Esdras. Os profetas incluem Js, Jz, 1Rs, 2Rs, Is, Jr, Ez e os doze profetas menores. Sobre os "outros escritos" não se tem uma ainda uma definição precisa.
A versão grega dos Setenta (LXX), feita por judeus em Alexandria entre o séc. III a.C. e o início da era cristã, incluiu os livros que hoje chamamos de deuterocanônicos, e alguns apócrifos. Não se pode dizer, no entanto, que a LXX estabeleceu um cânone normativo (os códices que nos chegaram apresentam diferenças).
Na Palestina, por volta de 95, Flávio Josefo (37-100) escreve uma lista que coincide com o cânone hebraico, excluindo os deuterocanônicos. Apesar disso, encontram-se em seu trabalho citações de 1Mc, 1Esd e suplementos de Est. Portanto, não podemos concluir a partir do seu testemunho que o judaísmo já tivesse fixado o seu cânone no final do séc. I.
Em Qumrã se encontram todos os livros protocanônicos, exceto Est. Dos deuterocanônicos foram encontrados Br 6, Tb e Eclo. Dos apócrifos, Jubileus, Enoc e o Testamento dos doze patriarcas. Aparentemente não havia uma distinção entre um cânone de livros sagrados e outros textos não-inspirados.
Entre os anos 90-100 houve um sínodo de rabinos na cidade de Jâmnia. Uma tese tradicional propõe que a lista definitiva dos livros do Antigo Testamento foi fixada neste sínodo. Mas não há provas concretas de que isto realmente tenha acontecido. Mesmo depois de Jâmnia a canonicidade de alguns livros continuou a ser discutida (Ecl e Ct).
Baseado nessas considerações, Valério Manucci propõe a seguinte explicação para a formação do cânone hebraico:Depois da destruição do Templo, no ano 70, o judaísmo se tornou cada vez mais uma religião "do Livro", o que impôs a necessidade de determinar um cânone definitivo.Várias disputas entre os fariseus e outras seitas judaicas serviram de estímulo para a fixação de um cânone.Ainda que no primeiro século da nossa era houvesse uma aceitação popular de 22 ou 24 livros como inspirados, não existiu um cânone normativo até o final do séc. III.
O fato de os cristãos terem adotado a tradução dos LXX pode ter influenciado decisivamente a definição de um cânone mais restrito no judaísmo, excluindo os deuterocanônicos.
De resto, se realmente houvesse um cânone já estabelecido antes do nascimento de Jesus, certamente os judeus de Alexandria, fiéis às orientações dos rabinos da Palestina, não teriam inserido os deuterocanônicos na sua tradução.

Entre os cristãos, no Novo Testamento, aparece a tríplice divisão indicada no Eclesiástico (Lc 24,44). Há alusões a livros deuterocanônicos: Sb (Rm 1,19ss; Hb 8,14), Tb (Ap 8,2), 2Mc (Hb 11,34s), Eclo (Tg 1,19), Jt (1Cor 2,10) e nem todos os protocanônicos são citados (Esd, Ne, Rt, Ecl, Ct, Ab, Na, Pr).

Também há alusões a livros apócrifos: Salmos de Salomão, 1 e 2 Esdras, 4 Macabeus, Assunção de Moisés e o livro de Enoc.Jesus se serviu do Pentateuco para discutir com os saduceus (que aceitavam apenas esta parte do AT como inspirada, cfr. Mt 22,23-33; Mc 12,18-27; Lc 20,27-40) e, ao que parece, usou a Bíblia hebraica em debates com os fariseus (cfr. Mt 23,34-36; Lc 11,49-51). Esta "adaptação aos interlocutores" não nos permite dizer que Cristo tenha reconhecido um cânone para o AT, e muito menos que este cânone seja o da Bíblia hebraica.

Das 350 citações que o Novo Testamento faz do AT, 300 são da LXX. Como não havia, porém, cânone definido no período neotestamentário, os cristãos ainda não possuíam um cânone próprio.Os Padres Apostólicos citam a versão dos LXX. A Didaqué usa Eclo e Sb. Clemente, em sua epístola aos Coríntios, se serve de Jt, Sb, Eclo, Dn e passagens de Est grego. Policarpo cita Tb. O Pastor de Hermas cita Eclo, Sb e 2Mc. Também há citações de apócrifos, como o livro de Enoc.O mesmo se dá com outros autores do fim do séc. II e começo do séc. III, como Ireneu, Clemente de Alexandria, Tertuliano, Hipólito, Cipriano e Dionísio Alexandrino.

Á medida, porém, que os judeus determinavam a sua lista, as igrejas que viviam em contato com a comunidade hebraica sofriam sua influência. São Justino, quando entra em polêmica com os judeus, prefere citações apenas dos protocanônicos, mas ensina que todos os livros presentes na tradução dos LXX são inspirados, "mesmo aqueles que os judeus suprimiram arbitrariamente".

Melitão de Sardes, no entanto, possui uma lista de livros do AT com quase todos os protocanônicos e nenhum deuterocanônico.O Concílio de Laodicéia (360) defende o cânone hebraico. Mas a carta do papa Inocêncio I a Exupério de Toulouse (405) inclui o cânone completo.

Mais tarde, os concílios provinciais de Hipona (393) e Cartago (I e II, 397 e 419, respectivamente) aceitarão oficialmente os deuterocanônicos como parte das Escrituras (mesmo que alguns padres, como Atanásio, Cirilo de Jerusalém, Gregório Nazianzeno, Rufino e Jerônimo, se sintam ainda atraídos pela Hebraica Veritas).

No Concílio de Trullo (692) a ambigüidade continua: os cânones de Laodicéia e de Cartago são sancionados ao mesmo tempo! Só no século XV um concílio ecumênico se ocupará do assunto.

O Concílio de Florença (1441) enumerará o cânone aceito pela Igreja hoje, e o Concílio de Trento, no século XVI, definirá solenemente o AT com os deuterocanônicos.

biCÂNONES - NOVO TESTAMENTO - OS PRIMEIROS CATÁLOGOS DO NOVO TESTAMENTO.

Do ano 200 d.C. ao ano 400 d.C. graças aos Católicos, publicaram-se aproximadamente quinze ou dezesseis catálogos de livros do Novo Testamento, vejamos alguns:


• O Fragmento Muratoriano ou Cânon de Muratori – É o mais antigo documento sobre o Cânon do Novo Testamento, escrito por volta do ano 150 d.C. Uma cópia do original, datada do século VIII, foi descoberta pelo padre Italiano Ludovico Antônio Muratori em 1740 na Livraria Ambrosiana, em Milão. Fala do Papa Pio I, (bispo de Roma de 143 a 155 d.C.) irmão de Hermas, como se fosse contemporâneo. O fragmento traduzido do grego principia por Lucas como “terceiro Evangelho”, subentendendo os outros dois e cita todos os livros do Novo Testamento, com exceção das cartas: Hebreus, Tiago, I e II Pedro e II e III de João. Pelo manuscrito pode-se distinguir os livros que eram lidos publicamente na Igreja, os que algumas pessoas queriam que fossem lidos, os desprezados e os que eram lidos particularmente. (cf. Anexo I ).

• S. Clemente de Alexandria († 215 d.C.) – (segundo Eusébio de Cesaréia) No princípio do século III, faz a distinção entre “o Ecvangelho” e “o Apóstolo”, reconhece quatorze Cartas de S. Paulo, inclusive “Hebreus”, omite as Cartas de Tiago, II Pedro e III João.

• Orígenes († 254 d.C.) – (segundo Eusébio de Cesaréia), lista do todos os livros do Novo Testamento, exceto as Cartas de Tiago e Judas, aos quais se refere em outra parte.

• Eusébio Panfílio – (315 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, relata porém que há contestação da parte de alguns a respeito das Cartas de Tiago, Judas, II Pedro, II e III João.

• S. Atanássio († 337 d.C) - (315 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento. Fala da obra O Pastor de Hermas, como útil, mas não como canônico.

• S. Cirilo de Jerusalém († 386 d.C) – (315 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, exceto o Apocalipse de S. João, os livros contestados de que fala Eusébio já são neste tempo geralmente aceitos.

• Concílio de Laodicéia – (364 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, com exceção do Apocalipse. • Epifânio de Salamis – (370 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento.

• Gregório Nazianzeno († 389 d.C.) – (375 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, menos o Apocalipse.

• Anfilóquio de Icônio – (380 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, mas diz que a maioria exclui o Apocalipse.

• Filástrio de Bréscia – (380 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, menciona treze Cartas de S. Paulo e a Carta aos Hebreus, dizendo sobre a mesma, que alguns duvidam que seja de autoria de S. Paulo, diz também que outros negam que sejam de S. João o Evangelho e o Apocalipse.

• Concílio de Catargo II – (397 d.C.) Foi um Concílio regional da Igreja, ao qual S. Agostinho († 430 d.C.) assistiu, cita todos os livros do Novo Testamento, sendo as atas deste Concílio muito importantes pelo seu testemunho histórico.

• S. Jerônimo († 420 d.C.) – (382 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento, diz que a Carta aos Hebreus é colocada por muitos fora dos escritos de S. Paulo.

• Rufino de Aquiléia – (390 d.C.) Lista do todos os livros do Novo Testamento.

• S. Agostinho († 430 d.C.) – Lista do todos os livros do Novo Testamento, refere-se à Carta aos Hebreus como sendo de S. Paulo.

• S. João Crisóstomo († 407 d.C.) – Numa sinopse que lhe atribuem, enumera quatorze Cartas de S. Paulo, os quatro Evangelhos, os Atos dos Apóstolos e três Epístolas Católicas, omitindo o restante dos livros.

biCÂNONES - SÃO DÂMASO - "... obra de algum clérigo, muito provavelmente do início do séc. VI, que teria se servido de outro documento de base, este sim, da lavra de Dâmaso, que conteria o fundamento para os 3 primeiros capítulos... de particular importância para nós é o capítulo II, que traz a lista completa dos livros que integram o Antigo e Novo Testamento. Repare-se que os livros deuterocanônicos (chamados de “apócrifos” pelos protestantes e, por este motivo, excluídos de suas Bíblia) encontram-se integrados ao cânon sagrado, fazendo eco, talvez (caso considere-se este decreto posterior ao papa Dâmaso), às decisões tomadas pelos concílios regionais de Cartago e Hipona. A propósito, ver o comparativo apresentado em Testemunhos primitivos sobre o cânon bíblico" (Carlos Martins Nabeto).

DECRETO GELASIANO - Cap II. [CÂNON DA SAGRADA ESCRITURA]

Também foi dito:

Agora verdadeiramente devemos discutir sobre as Divinas Escrituras, quais são aceitas pela Igreja Católica no universo e quais devem ser rejeitadas.

1. Esta é a ordem do Antigo Testamento: Gênese, 1 livro; Êxodo, 1 livro; Levítico, 1 livro; Números, 1 livro; Deuteronômio, 1 livro; Josué, 1 livro; Juízes, 1 livro; Rute, 1 livro; Reis, 4 livros; Crônicas, 2 livros; 150 Salmos, 1 livro; 3 livros de Salomão: Provérbios, 1 livro; Eclesiastes, 1 livro; Cântico dos Cânticos, 1 livro; Outros: Sabedoria, 1 livro; Eclesiástico, 1 livro.

2. Semelhantemente, esta é a ordem dos profetas: Isaías, 1 livro; Jeremias, 1 livro, contendo o Cinoth, isto é, suas lamentações; Ezequiel, 1 livro; Daniel, 1 livro; Oséias, 1 livro; Amós, 1 livro; Miquéias, 1 livro; Joel, 1 livro; Obadias, 1 livro; Jonas, 1 livro; Nahum, 1 livro; Habacuc, 1 livro; Sofonias, 1 livro; Ageu, 1 livro; Zacarias, 1 livro; Malaquias, 1 livro.

3. Semelhantemente, esta é a ordem dos [livros] históricos: Jó, 1 livro; Tobias, 1 livro; Esdras, 2 livros; Ester, 1 livro; Judite, 1 livro; Macabeus, 2 livros.

4. Semelhantemente, esta é a ordem das Escrituras do Novo Testamento, sustentadas e veneradas pela santa e católica Igreja romana: 4 livros dos Evangelhos: segundo Mateus, 1 livro; segundo Marcos, 1 livro; segundo Lucas, 1 livro; segundo João, 1 livro; também os Atos dos Apóstolos, 1 livro; as epístolas do apóstolo Paulo, em número de 14: aos Romanos, 1 epístola; aos Coríntios, 2 epístolas; aos Efésios, 1 epístola; aos Tessalonicenses, 2 epístolas; aos Gálatas, 1 epístola; aos Filipenses, 1 epístola; aos Colossenses, 1 epístola; a Timóteo, 2 epístolas; a Tito, 1 epístola; a Filemon, 1 epístola; aos Hebreus, 1 epístola; também o Apocalipse de João, 1 livro; também as epístolas canônicas, em número de 7: do apóstolo Pedro, 2 epístolas; do apóstolo Tiago, 1 epístola; do apóstolo João, 1 epístola; do outro João, o ancião, 2 epístolas; do apóstolos Judas, o zelota, 1 epístola. Aqui se encerra o cânon do Novo Testamento.


biCÂNONES - VELHO TESTAMENTO - Retrospecto histórico: Na época de Jesus, os hebreus não possuíam um cânone de livros inspirados. O primeiro esboço de um cânone se acha no prólogo do Eclesiástico: "A Lei, os profetas e os outros escritos". A Lei é certamente a Torá, ou Pentateuco, que provavelmente adquiriu sua forma definitiva no tempo de Esdras. Os profetas incluem Js, Jz, 1Rs, 2Rs, Is, Jr, Ez e os doze profetas menores. Sobre os "outros escritos" não se tem uma ainda uma definição precisa.A versão grega dos Setenta (LXX), feita por judeus em Alexandria entre o séc. III a.C. e o início da era cristã, incluiu os livros que hoje chamamos de deuterocanônicos, e alguns apócrifos. Não se pode dizer, no entanto, que a LXX estabeleceu um cânone normativo (os códices que nos chegaram apresentam diferenças).Na Palestina, por volta de 95, Flávio Josefo (37-100) escreve uma lista que coincide com o cânone hebraico, excluindo os deuterocanônicos. Apesar disso, encontram-se em seu trabalho citações de 1Mc, 1Esd e suplementos de Est. Portanto, não podemos concluir a partir do seu testemunho que o judaísmo já tivesse fixado o seu cânone no final do séc. I.Em Qumrã se encontram todos os livros protocanônicos, exceto Est. Dos deuterocanônicos foram encontrados Br 6, Tb e Eclo. Dos apócrifos, Jubileus, Enoc e o Testamento dos doze patriarcas. Aparentemente não havia uma distinção entre um cânone de livros sagrados e outros textos não-inspirados.Entre os anos 90-100 houve um sínodo de rabinos na cidade de Jâmnia. Uma tese tradicional propõe que a lista definitiva dos livros do Antigo Testamento foi fixada neste sínodo. Mas não há provas concretas de que isto realmente tenha acontecido. Mesmo depois de Jâmnia a canonicidade de alguns livros continuou a ser discutida (Ecl e Ct).Baseado nessas considerações, Valério Manucci propõe a seguinte explicação para a formação do cânone hebraico:Depois da destruição do Templo, no ano 70, o judaísmo se tornou cada vez mais uma religião "do Livro", o que impôs a necessidade de determinar um cânone definitivo.Várias disputas entre os fariseus e outras seitas judaicas serviram de estímulo para a fixação de um cânone.Ainda que no primeiro século da nossa era houvesse uma aceitação popular de 22 ou 24 livros como inspirados, não existiu um cânone normativo até o final do séc. III.O fato de os cristãos terem adotado a tradução dos LXX pode ter influenciado decisivamente a definição de um cânone mais restrito no judaísmo, excluindo os deuterocanônicos.De resto, se realmente houvesse um cânone já estabelecido antes do nascimento de Jesus, certamente os judeus de Alexandria, fiéis às orientações dos rabinos da Palestina, não teriam inserido os deuterocanônicos na sua tradução.Entre os cristãos, no Novo Testamento, aparece a tríplice divisão indicada no Eclesiástico (Lc 24,44). Há alusões a livros deuterocanônicos: Sb (Rm 1,19ss; Hb 8,14), Tb (Ap 8,2), 2Mc (Hb 11,34s), Eclo (Tg 1,19), Jt (1Cor 2,10) e nem todos os protocanônicos são citados (Esd, Ne, Rt, Ecl, Ct, Ab, Na, Pr). Também há alusões a livros apócrifos: Salmos de Salomão, 1 e 2 Esdras, 4 Macabeus, Assunção de Moisés e o livro de Enoc.Jesus se serviu do Pentateuco para discutir com os saduceus (que aceitavam apenas esta parte do AT como inspirada, cfr. Mt 22,23-33; Mc 12,18-27; Lc 20,27-40) e, ao que parece, usou a Bíblia hebraica em debates com os fariseus (cfr. Mt 23,34-36; Lc 11,49-51). Esta "adaptação aos interlocutores" não nos permite dizer que Cristo tenha reconhecido um cânone para o AT, e muito menos que este cânone seja o da Bíblia hebraica.Das 350 citações que o Novo Testamento faz do AT, 300 são da LXX. Como não havia, porém, cânone definido no período neotestamentário, os cristãos ainda não possuíam um cânone próprio.Os Padres Apostólicos citam a versão dos LXX. A Didaqué usa Eclo e Sb. Clemente, em sua epístola aos Coríntios, se serve de Jt, Sb, Eclo, Dn e passagens de Est grego. Policarpo cita Tb. O Pastor de Hermas cita Eclo, Sb e 2Mc. Também há citações de apócrifos, como o livro de Enoc.O mesmo se dá com outros autores do fim do séc. II e começo do séc. III, como Ireneu, Clemente de Alexandria, Tertuliano, Hipólito, Cipriano e Dionísio Alexandrino. Á medida, porém, que os judeus determinavam a sua lista, as igrejas que viviam em contato com a comunidade hebraica sofriam sua influência. São Justino, quando entra em polêmica com os judeus, prefere citações apenas dos protocanônicos, mas ensina que todos os livros presentes na tradução dos LXX são inspirados, "mesmo aqueles que os judeus suprimiram arbitrariamente". Melitão de Sardes, no entanto, possui uma lista de livros do AT com quase todos os protocanônicos e nenhum deuterocanônico.O Concílio de Laodicéia (360) defende o cânone hebraico. Mas a carta do papa Inocêncio I a Exupério de Toulouse (405) inclui o cânone completo. Mais tarde, os concílios provinciais de Hipona (393) e Cartago (I e II, 397 e 419, respectivamente) aceitarão oficialmente os deuterocanônicos como parte das Escrituras (mesmo que alguns padres, como Atanásio, Cirilo de Jerusalém, Gregório Nazianzeno, Rufino e Jerônimo, se sintam ainda atraídos pela Hebraica Veritas). No Concílio de Trullo (692) a ambigüidade continua: os cânones de Laodicéia e de Cartago são sancionados ao mesmo tempo!Só no século XV um concílio ecumênico se ocupará do assunto. O Concílio de Florença (1441) enumerará o cânone aceito pela Igreja hoje, e o Concílio de Trento, no século XVI, definirá solenemente o AT com os deuterocanônicos.
'
biCARTA DE PALHA - EPÍSTOLA DE SÃO TIAGO - Lutero chama a Epistola de São Tiago de carta de palha. (Erl. LXIII, 115)

biCATÓLICOS SEGUEM FIELMENTE A BÍBLIA - Seguimo-la o mais perfeitamente dentro de nossas limitações, pois:

1. Damos ouvidos à única e legítima Igreja de Cristo:

"... se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano" (São Mateus 18,17);

2. Recebemos as palavras de nossos superiores, legitimamente enviados como se fora as palavras do próprio Cristo:

"Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou" (São Lucas 10,16)

3. Não usamos a "pessoal interpretação" (2Pd 1,20 combinado com II São Pedro 3,15-16) das Escrituras, mas recebemos o ensinos dos legítimos ministros da Nova Aliança enviados de Cristo:

"Ele é que nos fez aptos para ser ministros da Nova Aliança, não a da letra, e sim a do Espírito. Porque a letra mata, mas o Espírito vivifica." (IICoríntios 3,6)

4. A Biblia para nós contém verdadeiramente a palavra de Deus e por isso nós a veneramos, mas, contrariamente dos irmãos rebelados, não a temos como única fonte da Palavra de Deus (releia o n.º 2) mas aceitamos também os ensinos da Igreja enviada às nações para ensiná-las a observar tudo quanto Cristo nos prescreveu:

"Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo" (São Mateus 28, 17-20);

5. Além disso São Paulo nos manda conservar as tradições porque estas são também palavras de Deus:

"Por isso é que também nós não cessamos de dar graças a Deus, porque RECEBESTES A PALAVRA DE DEUS, QUE DE NÓS OUVISTES, e a acolhestes, não como palavra de homens, mas como aquilo que realmente é, COMO PALAVRA DE DEUS, que age eficazmente em vós, os fiéis. " (I Tessalonicenses 2,13)

biCIÊNCIA - a própria Ciencia testifica os evangelhos! As descobertas mais recentes da Ciência vêm cada vez mais provando a autenticidade dos escritos do NT, alguns exemplos:

- Ano 1920, deserto do Médio Egito:

Bernard Grenfell descobre um papiro, que é redescoberto em 1934 por C. H. Roberts na Biblioteca John Rylands de Manchester (Inglaterra). Um ano depois, Roberts publica sua conclusão: o papiro em questão é o fragmento do manuscrito mais antigo conhecido do Novo Testamento até então. É denominado papiro P52 ou papiro Rylands grego. Contém um texto do Evangelho de João (18,31-33.37-38) e é datado do período de 100 a 125.

Unanimemente se reconhece que o Evangelho de João foi o último Evangelho a ser redigido. Muitos dos estudiosos não-cristãos do Novo Testamento ("críticos" ou "mitólogos", segundo a terminologia de Messori) sustentavam que este Evangelho tinha sido composto entre os anos 150 e 200 ou ainda depois, pois somente assim teria havido tempo suficiente para a formação do "mito cristão" expresso pela teologia de João, claramente mais desenvolvida que a dos três Evangelhos Sinóticos (Mateus, Marcos e Lucas). A descoberta do papiro P52 desfez com um só golpe todo o acúmulo de teorias contrárias à fé cristã (cf. V. Messori, obra citada, p. 127).

biCIÊNCIA E BÍBLIA - OSWALDO: - "... As relíquias, como sempre, estão disponíveis ao exame rigoroso da ciência. Por que até agora não desmascararam as "mentiras" da Igreja? "

HELOIZA: - Homem de Deus, vcs nem precisa da Ciência pra desmascarar...,Quem desmascara vcs é a própria palavra de Deus, é... a Bíblia!!!

OSWALDO: - Aquela Bíblia fininha que vocês torcem de acordo com seus caprichos? Vou lhe falar... do jeito que fazem, até Deus pode ser condenado ao inferno. Desse maná protestante se pode tirar o que quiser. Seu pai Lutero não mandou a Deus pro inferno mas disse que ele é ESTULTÍSSIMO... Disse também que "Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte [do poço de Jacó] de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: Que fez, então, com ela? " Depois, com Madalena, depois, com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim, Cristo, tão piedoso, também teve que fornicar, antes de morrer." (Lutero, Tischredden, Conversas à Mesa, N* 1472, edição de Weimar)

biCITAÇÕES - LIVROS CANÔNICOS NÃO CITADOS POR JESUS E PELOS APÓSTOLOS - "Para nós o fator decisivo é que Cristo e seus discípulos não os reconheceram como canônicos, pois não foram citados pelo Messias nem os outros escritores da Brit Hadasha (Novo Testamento)!"Portanto, para você, também não são canônicos os livros: Ester, Eclesiastes, Canticos dos Canticos, I e II Esdras e Neemias!http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apologetica&artigo=20041006144607&lang=bra
'
biCITAÇÕES - LIVROS CITADOS NA BÍBLIA PORÉM NÃO SÃO INSPIRADOS - O Novo Testamento cita livros apócrifos (S. Judas cita o livro de Henoc), e nem por isso eles ficaram inspirados. (S. Judas I, 14). Outros: Salmos de Salomão, 1 e 2 Esdras, 4 Macabeus e Assunção de Moisés.
'
biCITAÇÕES - LIVROS INSPIRADOS NÃO CITADOS - Nem todos os protocanônicos são citados (Esd, Ne, Rt, Ecl, Ct, Ab, Na, Pr). Também há alusões a livros apócrifos: Salmos de Salomão, 1 e 2 Esdras, 4 Macabeus, Assunção de Moisés e o livro de Enoc.



biCITAÇÕES - No Novo Testamento, aparece a tríplice divisão indicada no Eclesiástico (Lc 24,44)¹. Há alusões a livros deuterocanônicos: Sb (Rm 1,19ss; Hb 8,14), Tb (Ap 8,2), 2Mc (Hb 11,34s), Eclo (Tg 1,19), Jt (1Cor 2,10)² e nem todos os protocanônicos são citados (Esd, Ne, Rt, Ecl, Ct, Ab, Na, Pr). Também há alusões a livros apócrifos: Salmos de Salomão, 1 e 2 Esdras, 4 Macabeus, Assunção de Moisés e o livro de Enoc.¹ - "Depois lhes disse: Isto é o que vos dizia quando ainda estava convosco: era necessário que se cumprisse tudo o que de mim está escrito NA LEI DE MOISÉS, NOS PROFETAS E NOS SALMOS". (São Lucas 14-44)² - SABEDORIA:"Porquanto o que se pode conhecer de Deus eles o lêem em si mesmos, pois Deus lho revelou com evidência. Desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus, o seu sempiterno poder e divindade, se tornam visíveis à inteligência, por suas obras; de modo que não se podem escusar. Porque, conhecendo a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças. Pelo contrário, extraviaram-se em seus vãos pensamentos, e se lhes obscureceu o coração insensato..." (Romanos 1, 19ss);TOBIAS: "Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombeta" (Apocalipse 8,2) - Tobias : - "Eu sou Rafael, um dos sete que estão sempre presentes e têm acesso junto à Glória do Senhor" (Tobias 12,15)2MACABEUS - "... extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio de espada, triunfaram de enfermidades, foram corajosos na guerra e puseram em debandada exércitos estrangeiros. Devolveram vivos às suas mães os filhos mortos. Alguns foram torturados, por recusarem ser libertados, movidos pela esperança de uma ressurreição mais gloriosa. Outros sofreram escárnio e açoites, cadeias e prisões. Foram apedrejados, massacrados, serrados ao meio, mortos a fio de espada. Andaram errantes, vestidos de pele de ovelha e de cabra, necessitados de tudo, perseguidos e maltratados... " Hebreus 11,34 ss) - 2MACABEUS - "Chegado já ao último alento, disse: 'Tu, celerado, nos tiras desta vid apresente. Mas o Rei do mundo nos fará rtessurgir para uma vida eterna, a nós que morremos por suas leis" (2Macabeus 7,9)ECLESIÁSTICO - "Já o sabeis, meus diletíssimos irmãos: todo homem deve ser pronto para ouvir, porém tardo para falar e tardo para se irar" (São Tiago 1,19) - ECLESIÁSTICO - "Sê pronto para escutar, mas lento para dizer a resposta" (Eclo 5,11)JUDITE - "Todavia, Deus no-las revelou pelo seu Espírito, porque o Espírito penetra tudo, mesmo as profundezas de Deus" (1Coríntios 2,10)
'
biCÓDICES E PAPIROS - "A equipe que traduziu os textos originais hebraicos, aramaicos e gregos era composta de biblistas das diversas confissões cristãs e da religião judaica. Elaborada de maneira pluralista e cada colaborador representando sua tradição confessional, esta Bíblia não é meio termo entre judeus, católicos e protestantes, antes mostra o que as várias confissões podem subscrever de comum acordo, realçando os acentos específicos de cada uma" (Apresentação).Lutero como todos os reformadores utilizaram a Vulgata! A melhor edição crítica do Novo Testamento é a Edição de Kurt Alland, devida a uma comissão mista de católicos e protestantes!Por que este preconceito contra os católicos?Para análise e ilustração, foram descobertos:"85 papiros (datados dos séc. II-IV) que apresentam partes do texto do Novo Testamento;266 códices maiúsculos (dos séc. IV-X) do Novo Testamento;2.754 códices minúsculos (dos séc. X-XVI) do Novo Testamento;2.135 lecionários do Novo Testament '
'
biCOMPLUTENSE - espanhol - Cisneros fue un ardiente propagador de la ciencia y de las artes. En 1500 fundo la universidad de Alcalá de Heneres que costeo con su propio peculio, y a la cual llamo a los más distinguidos maestros de las letras de Bolonia, Paris y Salamanca. En Toledo reinstauro el antiguo rito mozarabe, que había sido suprimido por Roma. Su principal contribución a las letras fue la edición de la Biblia Poliglota Complutense, editada entre 1502 y 1517. Enciclopedia ilustrada de la historia de la Iglesia, Samuel Vila, Dario A. Santamaría, Edit. Clie, pag. 272

De los libros que están fuera del canon, los cuales la Iglesia acepta/recibe mas para edificación para la gente que para el propósito de confirmar las doctrinas de la Iglesia, ellos están en Griego, pero en 2 traducciones al Latín, una por el bendito Jerónimo, la otra es interlinear palabra por palabra. Biblia Complutensis (Rome: Gregorian University Polyglott Press, 1983-1984), Prologus ad lectorem, en Prefacio 3b.

Como todos sabemos el mas grande logro de Jiménez fue la Biblia Complutense que en colaboración con los mas grandes teólogos de su época produjeron esa edición, en el prologo de esta edición se habla sobre los libros apócrifos de Roma y se dice que estos libros no son Escrituras y que la Iglesia no los usa para confirmar doctrina ya que no son inspirados, la iglesia solo los lee para propósitos de edificación, en esto sigue a Jerónimo en el rechazo de los apócrifos.

Podemos resumir este argumento así:

1.- Una edición de las Sagradas Escrituras abiertamente en su prefacio habla que los apócrifos no son inspirados y no pertenecen al canon, y no hubo algún tipo de amonestación para la Biblia y sus redactores por parte de la Iglesia.

2.- La Biblia fue publicada por el consentimiento del papa León X, a quien todo el trabajo iba dedicado.
a) La edición es aprobada por el papa León X, ¡Con todo y su prefacio!
b) La edición es dedicada para el papa León X.

3.- Esto demuestra que el mismo magisterium de la iglesia de Roma no aceptaba a los apócrifos, ya que no se puede argumentar que estos actos de no aceptar los apócrifos no era parte de la enseñanza oficial de la iglesia. ¿Por qué nadie condeno esta Biblia? ¿Por qué León X le dio el visto bueno?
¿Fueron los protestantes los primeros en el cristianismo en rechazar estos libros?

Cita:
SAN HILARIO DE POITIERS (+ 366), que admite solamente los 22 li¬bros protocanónicos, según las letras hebreas. Pero él mismo advierte que algunos añaden Tobías y Judit, con lo que obtienen el número 24 de las letras griegas.( Prol. in Ps. 15) En la práctica, empero, usa casi todos los libros deuterocanónicos, considerándolos corno Escritura sagrada o profecía.( Cf. In Ps. 52,19: ML 9,335; In Ps. 66,9: MI 9,441; In Ps. 78,9: ML 9,482; Trin. 4,42: ML 10,127; In Ps. 118,2.8; 127,9; 135,11: ML 9,514.708.775; In Ps. 125,6: ML 9,688.)


Lo único que pruebas es que los antiguos cristianos no eran muy disciplinados al citar las obras tanto canonícas como no canonícas, casos muy bueno son el de Origenes o Clemente de Alejandria, que citaban todo tipo de obra como si fuera inspirada o canoníca, sin embargo nosotros no tenemos la excusa para pensar en tal cosa, porque estos padres fueron exactos y nos dijeron cuales libros aceptaban como parte del canon que es lo que debatimos aquí, no si citaban parecido a obras fuera del canon a las que están en el canon.

Cita:
RUFINO: (+ 410) distingue tres clases de libros: los que fueron reci¬bidos por los Padres en el canon, es decir, los protocanónicos, de los que enumera 22; los eclesiásticos, que han de ser leídos en la iglesia, pero que no pueden ser aducidos como autoridad para confirmar la fe. Estos son: Sab, Eclo, Tob, Jdt, 1 2 Mac. Y, finalmente, los apócri¬fos, que no pueden ser leídos en la iglesia.( Comm. in symb. apost. 36-38.) Sin embargo, también él cita los deuterocanónicos, y a veces como Escritura sagrada. Por otra parte, es de Rufino la siguiente afirmación: “Id pro vero so¬lum habendum est in Scripturis divinis, quod LXX interpretes tran-stulerunt: quoniam id solum est quod auctoritate apostolica confirma¬tum est” (“debemos considerar como verdadero en las Escrituras divinas Comm. in symb. apost. 5 y 46: ML 21,344.385; Bened. Ioseph 3; Bened. Beniamin 2: ML 21,332s; Apol. 2,32 37: ML 21,611 616. sólo aquello que los traductores de la versión de los LXX nos transmitieron, ya que sólo eso ha sido confirmado por la autoridad apostólica”). ( Interpretatio historiae Eusebianae 6,23, en Rufini vita 17,2: ML 21,270. Cf. M. Stenzel, Der Bibelkanon des Rufin von Aquileia: Bi 23 (1942) 43 61.) Ahora bien, la versión griega de los LXX contenía tam¬bién los libros deuterocanónicos; luego parece que Rufino admitía de algún modo la autoridad canónica de dichos libros.


Es muy interesante lo que has presentado aquí lleno de mentiras y malas interpretaciones, tu argumento es algo así: “Los Padres rechazaban los apócrifos como canónicos pero los consideraban canónicos” todos tus argumentos parten del premisa de la auto refutación de todos los padres, sin embargo como dije en el caso de Hilario, los padres citaban con mucha libertad las obras, y esto lo hacían porque ya habían hecho saber de manera explicita cuales eran los canónicos y cuales no.

Es cierto que Rufino consideraba a la LXX como inspirada, pero ese no es el problema aquí, ya vimos que también Cirilo de Jerusalén la tenia en alta estima y no por eso aceptaba los apócrifos de más en ella.
Pero veamos lo que dijo Rufino:

"And therefore it seems proper in this place to enumerate, as we have learnt from the tradition of the Fathers, the books of the New and of the Old Testament, which according to the tradition of our forefathers, are believed to have been inspired by the Holy Ghost, and have handed down to the churches of Christ. Of the Old Testament, therefore, first of all there have been handed down five books of Moses, Genesis, Exodus, Leviticus, Numbers, Deuteronomy; then Jesus Nave, (Joshua the son of Nun), the Book of Judges together with Ruth; then four books of Kings (Reigns), which the Hebrews reckon two; the book of Omissions, which is entitled the Book of Days (Chronicles), and two books of Ezra (Ezra and Nehemiah), which the Hebrews reckon one, and Esther; of the Prophets, Isaiah, Jeremiah, Ezekiel, and Daniel; moreover of the twelve minor Prophets, one book; Job also and the Psalms of David, each one book. Solomon gave three books to the Churches, Proverbs, Ecclesiastes, Canticles. These comprise the books of the Old Testament.
But it should be known that there are also other books which our fathers call not 'Canonical' but 'Ecclesiastical:' that is to say, Wisdom, called the Wisdom of Solomon, and another Wisdom, called the Wisdom of the Son of Syrach, which last-mentioned the Latins called by the general title Ecclesiasticus, designating not the author of the book, but the character of the writing. To the same class belong the Book of Tobit, and the Book of Judith, and the Books of the Maccabees. In the New Testament the little book which is called the Book of the Pastor of Hermas (and that) which is called the Two Ways, or the Judgment of Peter; all of which they would have read in the Churches, but not appealed to for the confirmation of doctrine. The other writings they have named 'Apocrypha.' These they would not have read in the Churches. These are the traditions which the Fathers have handed down to us, which, as I said, I have thought it opportune to set forth in this place, for the instruction of those who are being taught the first elements of the Church and of the Faith, that they may know from what fountains of the Word of God their draughts must be taken" (Philip Schaff and Henry Wace, Nicene and Post Nicene Fathers (Grand Rapids: Eerdmans, 1953), Rufinus, Commentary on the Apostles' Creed 36, p. 557-558.).

Rufino hace algunas aseveraciones importantes y de gran valor en el debate:
• Al igual que Cirilo de Jerusalén dice que los libros que va a enumerar fueron aprendidos por parte de la tradición de los antiguos padres y han sido aceptados por la iglesia, en ninguno de ellos se encuentra los apócrifos, solo los del canon hebreo.
• Los libros que se van a numerar son los que son inspirados por el Espíritu Santo y aceptado por la iglesia, no menciona a ningún libro apócrifo.
• Rufino hablo DESPUES del concilio de Cartago, demostrando que este concilio no fue universal ya que no se acato al canon de el. ¡Donde esta la supuesta autoridad de Cartago!
• Rufino demuestra que la creencia de una persona sobre la inspiracion de la LXX es diferente sobre la creencia de el canon del AT, ya que el consideraba como inspirada a la LXX pero no consideraba inspirados los apocrifos de Roma.

Después Rufino enumera a los apócrifos de Roma: “Sabiduría de Salomón, Sabiduría de Ben Sirac, el libro de Judith, libro de Tobit y Macabeos” y dice que estos libros no son inspirados sino eclesiásticos que se usan al mismo nivel de el Pastor de Hermas y que no se apela a estos libros en cuestiones doctrinales, estos son argumentos históricos no simple palabrería al estilo COQUEFAR alias el mentiroso.
Así que Rufino jamás ocupo a los apócrifos como palabra inspirada. ¡COQUEFAR! ERES UN MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO TU Y TU AMIGO JOSE MIGUEL.
Si eso es todo lo que la apologética romana puede hacer, ser cínicos y no aceptar los hechos históricos como tal, esta apologética no vale ni 3 maníes. El cinico de Coquefar trasgiversa la historia, ¡CON RAZON NO LE DA MIEDO LOS DEBATES!, pues inventa su propia argumentación.

Cita:
Pues bien creo que con estos son más que suficientes para que hagas fiesta tergiversando y restragandonos… de que no sabemos nada

Después analizaré a San Jerónimo para que pongas Cereza al Pastel

Espero que no se te olviden todos los que estaban a Favor, porque también los veremos, y veremos el desarrollo de todo esto sobre los deuterocanónicos.

Iniciaremos con los Judíos Palestinenses que estaban a Favor.

Las Analogías de los deuterocanónicos con el nuevo testamento.

Testimonio de los primeros padres de la Iglesia

Testimonio de los Padres en que estuvieron en duda, es decir de los padres que estuvieron a favor

Tesis de San Agustin que debatió con san Jerónimo la Canonicidad de los Deuterocanónicos y que ganó en los Dos Concilios de la Santa Iglesia, y luego veremos la plena aceptación de la Iglesia después de los dos concilios… además de la Aceptación de lo que se dictó en los dos Concilios por parte de San Jerónimo

Saludos Muerte Poética

PD Espero que no salgas huyendo como siempre hizo tu primo.

En realidad no me quitas el sueno ni me asustas, esos temas los he tratado desde hace muchos años tal vez cuando todavía eras “evangélico”, sin embargo eso de los Judios que estaban a favor de los apócrifos es muy interesante, espero ver tus argumentos, pero si son como los que he visto hasta ahora, será una pena.

biCOMPLUTENSE - tradução - Cisneros foi um ardente propagador da ciência e das artes. Em 1500 fundou a Universidade de Alcalá de Heneres que custeou com o seu próprio bolso, e para a qual convidou aos mais mais ilustres professores de letras de Bolonha, Paris e Salamanca. Em Toledo restaurou o velho rito moçárabe, que foi que tinha sido suprimido por Roma. Sua principal contribuição para as letras foi a publicação da Bíblia Poliglota Complutense, publicados entre 1502 e 1517. Enciclopédia ilustrada da história da Igreja, Samuel Vila, Dario A. Santamaría, Edit. Clie, pag. 272

Dos livros que estão fora do cânon, aos quais aceitarecebe a Igreja mais para a edificação das pessoa que para a finalidade de confirmar as doutrinas da Igreja, estão em grego,porém em 2 traduções em latim, uma por São Jerônimo, a outra é interlinear, palavra por palavra. Bíblia Complutensis (Roma: Universidade Gregoriana polyglotta Press, 1983-1984), Prologus ad lectorem, Prefácio a 3b.

Como todos sabemos, a maior conquista da Jimenez foi a Bíblia Complutense, que, em colaboração com os maiores teólogos do seu tempo, produziram essa edição, se discute sobre os livros apócrifos de Roma e se diz e que a Igreja não os usa para confirmar a doutrina, porque não são inspirados, a Igreja só os lê para fins de edificação,nisto segue Jerônimo na rejeição dos apócrifos.

Podemos resumir este argumento do seguinte modo:

1 .- Uma edição das Escrituras fala abertamente em seu prefácio que os apócrifos não são inspirados e não pertencem ao cânon, e não houve da parte da Igreja nenhum tipo de repreensão contra a Bíblia e contra os seus autores.

2 .- A Bíblia foi publicada com o consentimento de Papa Leão X, a quem a obra foi dedicada.

a) A publicação é aprovada pelo Papa Leão X, e todos com o seu prefácio!

b) A edição é dedicada ao Papa Leão X.

3 .- Isto demonstra que o próprio Magistério da Igreja de Roma não aceitava os apócrifos, uma vez que ninguém pode argumentar que estes atos não concordar com o apócrifos não fazia parte do ensino oficial da Igreja. Por que ninguém condenou esta Bíblia? Porque Leão X deu-lhe seu acentimento?

Foram os protestantes os primeiros no cristianismo a rejeitar esses livros?

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Citação:
SAN HILÁRIO DE POITIERS (+ 366), que admite apenas 22 li ¬ protocanónicos membros, de acordo com o hebraico letras. Mas alerta que alguns adicionar Tobias e Judite, obtendo assim o número de 24 letras gregas. (Prol. in Ps. 15) Na prática, porém, usa quase todos os livros deuterocanónicos, considerando corno Sagrada Escritura ou profecia . (Cf. In Ps. 52,19: ML 9,335; In Ps. 66,9: 9,441 MI; In Ps. 78,9 ML 9,482; Trin. 4,42: ML 10,127; In Ps. 118,2.8; 127,9, 135,11 ML 9,514.708.775, In Ps. 125,6: 9,688 ml.)


Tudo isso é prova de que os antigos cristãos não foram muito disciplinados quando ambos citando obras canônicas e não canônicas casos são muito bons para a Clemente de Alexandria e Origen, citando todos os tipos de trabalho, como se fosse inspirada ou royalties, no entanto não temos a desculpa para pensar sobre essas coisas, porque esses pais eram precisos e disse-nos quais livros aceitos como parte do cânone que é o que estamos discutindo aqui, não é como se já trabalha fora do cânone para os da Canon.

Citação:
RUFINO: (+ 410) distingue três tipos de livros: os que foram recebidos ¬ concebido pelo Padres no cânon, ou seja, protocanónicos, que enumera 22, a igreja, que deve ser lido na igreja, mas que não pode ser dada autoridade para confirmar a fé. Estes são: sábado, Eclo, Tob, JDT, 1 2 Mac e, finalmente, apócri ¬ gráficos, que não pode ser lido na Igreja. (Comm. em Symb. Apost. 36-38). No entanto, também Ele cita deuterocanónicos e, por vezes, como sagrada Escritura. Além disso, Rufino é a seguinte declaração: "Id vero pro ¬ Lum tão habendum em Scripturis divinis est, quod LXX intérpretes transição stulerunt: QUONIAM id quod est Solum Apostólica confirma ¬ tum auctoritate est" ( "temos de considerar como verdadeiros divinas Escrituras Comm. em Symb. apost. 5 e 46 ml 21344.385; Beneden. Ioseph 3; Beneden. 2 Beniamin: ML 21,332 s; Apol. 2,32 37 ML 21,611 616. justamente o que os tradutores da versão LXX de nós, uma vez que apenas o que foi confirmado pela autoridade apostólica "). (Interpretativa historiae Eusebianae 6,23 a 17,2 Rufini vita: ML 21,270. Cf. M. Stenzel, Der Bibelkanon des von Rufin Aquileia: Bi 23 (1942) 43 61.) No entanto, a versão grega da LXX continha tam ¬ deuterocanónicos bons livros e, em seguida, parece que alguma Rufino reconhecer a autoridade dos livros canónicos.


É muito interessante que você apresentou aqui está cheio de mentiras e de interpretações erradas, o argumento é algo como isto: "Os pais rejeitaram como canônicas apócrifos considerado canónico, mas" todos os seus argumentos são baseados na premissa de auto-refutação de todos os pais, não No entanto, como eu disse, no caso de Hilary, os pais já um monte de liberdade obras, e isso eles fizeram, porque eles já tinham feito em um conhecido e que não foram explícitos canônico.

É verdade que a LXX Rufino considerada como inspiração, mas esse não é o problema aqui, porque vimos que Cirilo de Jerusalém também tinha em alta estima e que não aceita o apócrifo ali.
Mas vamos ver o que ele disse Rufino:

"E, portanto, afigura-se adequada a este lugar para enumerar, como vimos com a tradição dos Padres, os livros do Novo e do Velho Testamento, que segundo a tradição dos nossos antepassados, acredita-se que foram inspirados por o Espírito Santo, e que tenham entregue, até à Igreja de Cristo. do Antigo Testamento, portanto, em primeiro lugar, foram proferidos cinco livros de Moisés, Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, então Jesus Nave (Joshua o filho de Nun), o Livro dos Juízes, juntamente com Ruth, em seguida, quatro livros dos Reis (Reina), que os hebreus contar dois; omissões do livro, cujo título é o Livro dos Dias (Crónicas), e dois livros de Esdras (Esdras e Neemias), que os hebreus contar uma, e Ester, dos Profetas, Isaías, Jeremias, Ezequiel, e Daniel, aliás, dos doze profetas menores, um livro, trabalho e também os Salmos de David, cada um livro. Salomão deu três livros para as Igrejas, Provérbios, Eclesiastes, Cânticos. Estas incluem os livros do Antigo Testamento.
Mas é necessário saber que existem também outros livros que nossos pais não chamada 'Canonical «mas» Eclesiástica' isto é, a sabedoria, chamado de Sabedoria de Salomão, Sabedoria e outro, chamado de Sabedoria do Filho de Syrach, que mencionou a última-latinos chamado pelo título geral Ecclesiasticus, designa não o autor do livro, mas o carácter da escrita. Pertencem à mesma classe do Livro de Tobit, e o Livro de Judite, e os livros do Maccabees. No Novo Testamento, que é o pequeno livro chamado o Livro do Pastor de Hermas (e esse) que é chamado de duas formas, ou o acórdão de Pedro, na medida em que todos teriam lido nas igrejas, mas não apelou para a a confirmação da doutrina. Os outros escritos que tenham chamado 'Apocrypha ». Estes não teriam lido nas Igrejas. Estas são as tradições que os Padres têm transmitida a nós, que, como eu disse, eu tenho pensado que Opportune ao estabelecido neste lugar, para a instrução das pessoas que estão sendo ensinado os primeiros elementos da Igreja e da Fé , que eles possam saber o que a partir de fontes da Palavra de Deus as suas damas devem ser tomadas "(Philip Schaff e Henry Wace, Nicene e Pós Nicene Fathers (Grand Rapids: Eerdmans, 1953), rufinus, Comentário sobre os Apóstolos' Creed, 36 p. 557-558.).

Rufino fez algumas afirmações importantes e valiosas para o debate:
• Tal como Cirilo de Jerusalém diz que os livros deviam ser enumerados pelo aprenderam a antiga tradição dos pais e que tenham sido aceites pela igreja, nenhum deles é o apócrifos, apenas o cânon hebraico.
• Os livros serão numerados são aqueles que são inspirados pelo Espírito Santo e aceites pela igreja, para não mencionar os livros apócrifos.
• Rufino falando depois de o Conselho de Cartago, o que demonstra que este município não era universal e que nenhum respeito ao cânone. Onde está a suposta autoridade de Cartago!
• Rufino demonstra a crença de que uma pessoa sobre a inspiração do LXX é diferente na crença o cânone da OT, porque o senti inspirada como a LXX, mas não considerados inspirados pelos apócrifos Roma.

Após a apócrifos Rufino listas de Roma: "A sabedoria de Salomão, Sabedoria de Ben Sirac, o livro de Judite, Tobit e Livro de Maccabees," e disse que esses livros não são apenas inspiradas igreja que utilizou o mesmo nível que o Pastor da Hermas e não apelar para os livros em matéria de doutrina, estes argumentos não são simples lábio serviço ao estilo histórico COQUEFAR alias mentiroso.
Então nunca olhar Rufino apócrifos como a palavra inspirada. ¡COQUEFAR! Tu és um mentiroso, mentiras, mentiras, mentiras que você e seu amigo José Miguel.
Se é tudo que posso fazer apologética romana, e não ser cínico para aceitar a fatos históricos, como tal, não vale 3 apologetic amendoins. O cínico Coquefar trasgiversa história, EM RAZÃO DA NÃO LE miedo NEGÓCIO! Portanto inventa a sua própria tese.

Citação:
Bem, creio que estas são mais que suficientes para fazer festa e desvirtuar restragandonos ... que não sabemos nada

Depois de olhar para San Jerónimo de colocar a Cherry Pie

Espero que você não se pode esquecer que todos eram a favor, porque nós, e ver todo este desenvolvimento em deuterocanónicos.

Palestinenses começar com os judeus que eram a favor.

A analogia do deuterocanónicos o novo testamento.

O testemunho dos primeiros Padres da Igreja

O testemunho dos Padres que estavam em dúvida, ou seja, pais, que eram a favor

Tesis de San Agustin discutido com São Jerônimo que o cânone da Deuterocanónicos e ganhou as duas Conselhos da Santa Igreja, e então veremos a plena aceitação da Igreja após os dois conselhos ... e para a aceitação do que é emitido nos dois Conselhos por parte de San Jerónimo

Saludos POETIC Morte

PS Espero que você não sai correndo como sempre foi o seu primo.



Na verdade eu não perder sono ou assustar-me, os itens que tenho experimentado por muitos anos talvez, quando você estava ainda "evangélico", mas a dos judeus que eram a favor dos apócrifos é muito interessante, espero para ver os seus argumentos mas se você é como eu tenho visto até agora, será uma pena.

biCONHECIMENTOS BÍBLICOS - Maurício: Fiel evangélico sabe mais bíblia que catolicos? É nítido nas comunidades de debates que membro evangélico saca mais que fiel católico, até teologos se arrebentam quando o assunto é bíblia, porque isso acontece?_______________________________________________

Quem sabia mais de Bíblia: os fariseus ou os apóstolos?

JUÍZO DOS SÁBIO E ENTENDIDOS

Era este o conceito que tinham os doutores da lei com relação ao povo simples mais aberto a Deus que eles:

"(São João 7,48-49) Há, acaso, alguém dentre as autoridades ou fariseus que acreditou nele? Este poviléu que não conhece a lei é amaldiçoado!... "

Comentário: Claro que havia! Nicodemos era um deles! O problema não é conhecer muito a Bíblia, mas estar com o coração aberto para Deus. Certamente que, com relação a este conhecimento bíblico, os cristãos estavam à milhas de distância do conhecimento dos escribas, saduceus e fariseus. Só que aqueles reconheceram de pronto quem os chamava à santidade, mas estes, não obstante seu avantajado conhecimento, acabaram rejeitando e matando o Senhor da Vida.

Não resta dúvida que fico com a ignorância dos católicos e renego a presunção e farisaímo de tantos membros cheios de empáfia que pugnam nas fileiras dos irmãos rebelados.

JUÍZO DE DEUS

Contrabalançando o juízo dos sábios vejamos o juízo de Cristo:

(São Mateus 11,25) "... Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque [b]escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequenos"

biCONTRADIÇÕES - APANHADO DE - Os estudiosos calcularam que a Bíblia contém mais de duas mil contradições explícitas ou implícitas. Esta lista é somente uma pequena seleção. Obs: As contradições serão mais bem entendidas se houver o devido acompanhamento das passagens bíblicas citadas. (VER http://saulo.guerra.vilabol.uol.com.br/contradicoes.htmOs Gigantes existiam antes da inundação (Gênesis 6:4).Somente Noé, sua família, e os animais da Arca sobreviveram à inundação (Gênesis 7:23).Mesmo depois da Inundação os gigantes continuaram existindo (Números 13:33).Toda a terra tinha uma só língua e as mesmas palavras, até que Deus criou vários idiomas diferentes, fazendo com que ninguém entendesse um ao outro (Gênesis 11:1,6-9).Anterior a isto, a Bíblia fala de diversas nações, cada umA com sua própria língua (Gênesis 10:5).Deus admitiu que Ele é a causa da surdez e da cegueira (Êxodo 4:11).Contudo, Deus não aflige os homens por vontade própria (Lamentações 3:33).Deus envia Moisés para o egito resgatar os filhos de Israel (Êxodo 3:10. 4:19-23).No caminho, Deus ameaçou Moisés de morte. Não proveu de explicação (Êxodo 4:24-26).Deus mata todos os animais dos egípcios com uma forte pestilência. Nenhum sobreviveu a pestilência (Êxodo 9:3-6).Deus mata todos os animais dos egípcios com uma chuva de granizo (Mas eles já não haviam morrido com a pestilência?) (Êxodo 9:19-21,25).Deus não foi conhecido por Abraão, Isaac e Jacó pelo nome de Javé (Êxodo 6:2-3).O nome do Senhor já era conhecido (Gênesis 4:26).Deus proibe que seja feito a escultura de qualquer ser (Êxodo 20:4).Deus ordenou a fabricação de estátuas de ouro (Êxodo 25:18).Proibição do assassinato (Êxodo 20:13).Deus manda Moisés matar todos os homens de Madiã (Números 31:7).Proibição do roubo (Êxodo 20:15).Deus manda roubar os egípcios (Êxodo 3:21-22).Proibição da mentira (Êxodo 20:16)Deus permiti a mentira (I Reis 22:22)Deus não pode mentir (Números 23:19).Deus deliberadamente enviou um "espírito" mentiroso (I Reis 22:20-30) (II Crônicas 18:19-22).Deus faz pessoas acreditarem em mentiras (II Tessalonicenses 2:11-12).O Senhor engana os profetas (Ezequiel 14:9).Aarão morreu no monte Hor. Imediatamente depois disso, os israelitas foram para Salmona e Finon (Números 33:38).Aarão morreu em Mosera. Depois disso, os isralelitas foram para Gadgad e Jetebata (Deuteronômio 10:6-7).Deus diz a Moisés que Aarão morreu no monte Hor (Deuteronômio 32:50).Nós temos que amar Deus (Deuteronômio 6:5) (Mateus 22:37).Nós temos que temer Deus (Deuteronômio 6:13) (I Pedro 2:17).Deus escreveu nas tábuas as dez palavras da aliança (Deuteronômio 10:1-2,4).Deus ditou e Moisés escreveu (Êxodo 34:27-28).Josué queimou a cidade de Hai e reduziu-a a um monte de ruínas para sempre (Josué 8:28).Hai ainda existe como uma cidade (Neemias 7:32).Josué destruiu totalmente os habitantes de Dabir (Josué 10:38-39).Os habitantes de Dabir ainda existem (Josué 15:15).Saul destruiu completamente os amalecitas (I Samuel 15:7-8,20).David destruiu completamente os amalecitas (I Samuel 27:8-9).Finalmente os amalecitas são mortos (I Crônicas 4:42-43).Isaí teve sete filhos além de seu mais jovem, David (I Samuel 16:10.11).David foi o sétimo filho (I Crônicas 2:15).Saul tentou consultar o Senhor (I Samuel 28:6).Saul nunca fez tal coisa (I Crônicas 10:13-14).Saul cometeu suicídio (I Samuel 31:4-6) (I Crônicas 10:4-5).Saul foi morto por um amalecita (II Samuel 1:8-10).Saul foi morto pelos filisteus (II Samuel 21:12).Davi tomou 1.700 cavaleiros de Adadezer (II Samuel 8:4).Davi tomou 7.000 cavaleiros de Adadezer (I Crônicas 18:4).Davi matou aos arameus 700 parelhas de cavalos e 40.000 cavaleiros (II Samuel 10:18).Davi matou aos arameus 7.000 cavalos e 40.000 empregados (I Crônicas 19:18).Israel dispõe de 800.000 homens aptos para manejar espadas, enquanto que Judá dispõe de 500.000 homens (II Samuel 24:9).Israel dispõe de 1.100.000 homens aptos para manejar espadas, enquanto que Judá dispõe de 470.000 homens (I Crônicas 21:5).Satã provocou Davi a fazer um censo de Israel (I Crônicas 21:1).Deus sugeriu Davi a fazer um censo de Israel (II Samuel 24:1).Davi pagou 50 siclos de prata por gados e pelo terreno (II Samuel 24:24).Davi pagou 600 siclos de ouro pelo mesmo terreno (I Crônicas 21:25).Rei Josias foi morto em Magedo. Seus servos o levam morto para Jerusalém (II Reis 23:29-30).Rei Josias foi ferido em Magedo e pediu para seus servos o levarem para Jerusalém, onde veio a falecer (II Reis 23:29-30).Foram levados 5 homens dentre os mais íntimos do rei (II Reis 25:19-20).Foram levados 7 homens dentre os mais íntimos do rei (Jeremias 52:25-26).São citados os nomes de 10 pessoas que vieram com Zorobabel (Esdras 2:2)São citados os nomes de 11 pessoas que vieram com Zorobabel (Neemias 7:7)(Esdras 2:3 & Neemias 7:8) Estas passagens pretendem mostrar a quantidade de pessoas que voltaram do cativeiro babilônico. Compare o número para cada família: 14 deles discordam.Jesus foi filho de José, que o foi de Jacob (Mateus 1:16).Jesus foi filho de José, que o foi de Heli (Lucas 3:23).O pai de Salathiel foi Jeconias (Mateus 1:12).O pai de Salathiel foi Neri (Lucas 3:27)Abiud é filho de Zorobabel (Mateus 1:13).Resa é filho de Zorobabel (Lucas 3:27).São citados os nomes de todos os filhos de Zorobabel, mas nem Resa e nem Abiud estão entre eles (I Crônicas 3:19-20).Jorão era o pai de Ozias que era o pai de Joathão (Mateus 1:8-9).Jorão era o pai de Occozias, do qual nasceu Joás, que gerou Amazias, que foi pai de Azarias que, finalmente, gerou Joathão (I Crônicas 3:11-12).Josias era o pai de Jeconias (Mateus 1:11).Josias era o avô de Jeconias (I Crônicas 3:15-16).Zorobabel era filho de Salathiel (Mateus 1:12) (Lucas 3:27).Zorobabel era filho de Fadaia. Salathiel era tio dele (I Crônicas 3:17-19).Jesus curou um leproso depois de visitar a casa de Pedro e Simão (Marcos 1:29,40-42).Jesus curou o leproso antes de visitar a casa de Pedro e Simão (Mateus 8:2-3,14).O Diabo levou Jesus primeiro ao topo do templo e depois para um lugar alto para ver todos os reinos do mundo (Mateus 4:5-8).O Diabo levou Jesus primeiro para o lugar alto e depois para o topo do templo (Lucas 4:5-9).O centurião se aproximou de Jesus e pediu ajuda para um criado doente (Mateus 8:5-7).O centurião não se aproximou de Jesus. Ele enviou amigos e os anciões dos judeus (Lucas 7:2-3,6-7).Jairo pediu a Jesus que ajudasse a sua filha, que estava morrendo (Lucas 8:41-42).Ele pediu para que Jesus salvasse a filha dele que já havia morrido (Mateus 9:18).Jesus disse aos seus discípulos que deveriam andar calçados com sandálias (Marcos 6:8).Jesus lhes disse que não deveriam andar descalços (Mateus 10:10).Deus confiou o julgamento a Jesus (João 5:22) (João 5:27,30 8:26) (II Coríntios 5:10) (Atos 10:42).Jesus, porém, disse que não julga ninguém (João 8:15,12:47).Os santos hão de julgar o mundo (I Coríntios 6:2).A transfiguração de Jesus ocorreu 6 dias após a sua profecia (Mateus 17:1-2).A transfiguração ocorreu 8 dias após (Lucas 9:28-29).A mãe de Tiago e João pediu a Jesus para que eles se assentassem ao seu lado no reino (Mateus 20:20-21).Tiago e João fizeram o pedido, ao invés de sua mãe (Marcos 10:35-37).Ao sair de Jericó, Jesus se encontrou com dois homens cegos (Mateus 20:29-30).Ao sair de Jericó, Jesus se encontrou com somente um homem cego (Marcos 10:46-47).Dois dos discípulos levaram uma jumenta e um jumentinho para Jesus da aldeia de Bethfagé (Mateus 21:2-7).Eles levaram somente um jumentinho (Marcos 11:2-7).Jesus amaldiçoou a árvore de figo depois de ter deixado o templo (Mateus 21:17-19).Ele amaldiçoou a árvore antes de ter entrado no templo (Marcos 11:14-15,20)Um dia após Jesus ter amaldiçoado a figueira, os discípulos notaram que ela havia secado (Marcos 11:14-15,20)A figueira secou imediatamente após a maldição ser posta (Mateus 21:19).Jesus disse que Zacarias era filho de Baraquias (Mateus 23:35).Zacarias era filho de Joiada (II Crônicas 24:20-22).*Atenção, nosso site não é contra nenhuma religião, apenas quer mostrar a verdade. Se você pode provar que qualquer parte deste texto esta errado, escreva-nos. Se você estiver certo retiraremos essa parte do texto.

IR PARA: -^->

Nenhum comentário:

.............................CABEÇALHO
------------------------------------------------------------------------------



1) - ANOTAÇÕES APOLOGÉTICAS (27 Páginas)



2) -
MENTIRAS PROTESTANTE (Vai para outro site)



3) - ARTIGOS DIVERSOS



------------------------------------------------------------------------------